Salário de Técnico em Segurança no Trabalho 2019 - Média Salarial de 53.352 Profissionais no Cargo

Dados oficiais e atualizados do mercado de trabalho para Técnico em Segurança no Trabalho. Encontre informações como média salarial, faixa salarial, piso salarial 2019, salário por perfil profissional, tamanho da empresa, localidade, gênero, escolaridade, jornada de trabalho, salário inicial, segmentos que mais contratam e com os melhores salários, informações jurídico/trabalhistas, carreira e muito mais com base em 53.352 salários de profissionais no cargo CBO 3516-05.

07/2019
atualização

Informações salariais oficiais do período de 12/2018 até 07/2019 segundo dados do CAGED/MTE.

53.352
salários

Salários de 53.352 profissionais no cargo e dados do mercado de trabalho para a profissão.

44h
carga horária

Jornada de trabalho de 44h. Carga horária semanal média de 53.352 profissionais.

R$ 2.665,94
média salarial

Salário médio bruto mensal calculado de acordo com informações salariais de admitidos e desligados.

Um Técnico em Segurança no Trabalho ganha em média R$ 2.665,94 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais de acordo com o CAGED do MTE e pesquisa do Salario.com.br no período de 12/2018 até 07/2019 com um total de 53.352 salários.

A faixa salarial do Técnico em Segurança no Trabalho CBO 3516-05 fica entre R$ 2.000,00 (média do piso salarial 2019 de convenções coletivas e dissídios), R$ 2.446,00 (salário mediana da amostragem) e o teto salarial de R$ 4.028,84, levando em conta profissionais contratados com carteira assinada em regime CLT a nível nacional.

O perfil profissional mais recorrente é o de um trabalhador com 33 anos, Ensino Médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h semanais em médias empresas do segmento de Construção de Edifícios. A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego para Técnico em Segurança no Trabalho é São Paulo - SP.

Confira logo abaixo todos os dados da pesquisa salarial para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho em todo o Brasil e em todos os segmentos da economia.

Salários de Técnico em Segurança no Trabalho nas cidades

Cargos similares com o mesmo CBO na categoria dos Técnicos em segurança do trabalho

O cargo de Técnico em Segurança no Trabalho possui sinônimos que são registrados no contrato e na carteira de trabalho dentro do mesmo CBO 351605, como por exemplo Técnico em Meio Ambiente, Supervisor de Segurança do Trabalho, Técnico em Segurança Industrial.

Nossa pesquisa de salários é atualizada mensalmente e fornece dados como média salarial, piso salarial, setores com os melhores salários, salários de acordo com o nível profissional, porte da empresa, escolaridade, faixa etária e muito mais pra você saber exatamente quanto ganha um Técnico em Segurança no Trabalho CBO 351605 segundo dados salariais oficiais informados pelas empresas a Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho).

Técnico em Segurança no Trabalho

O que faz

A principal função do Técnico em Segurança no Trabalho é garantir a segurança e medicina do trabalho através do comprimento das normas e legislação pertinentes, para isso esse profissional efetua inspeções e vistorias nas respectivas áreas, é responsável pela implementação da SIPAT e CIPA na empresa, atua de forma preventiva afim de evitar ocorrências de acidentes, fiscaliza o uso de equipamentos e sinalizações de segurança, entre outras atividades.

Como é o mercado de trabalho

Este profissional está presente em todas as empresas cuja a atividade apresente algum grau de risco conforme estabelecido segundo a NR 4, e de acordo com o grau de periculosidade e o número de funcionários, será estabelecido a demanda de Técnicos em Segurança no Trabalho para determinada organização, uma vez identificada a necessidade deste profissional a mesma é obrigatório conforme estabelecido por lei.

Concursados e contratados para empregos públicos

Profissionais no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho também podem almejar um emprego público através de concurso. Dentro da pesquisa, 64 profissionais são concursados com um salário de R$ 2.694,38 para uma jornada de 40 horas semanais.

Sem dúvidas seguir uma carreira concursada de Técnico em Segurança no Trabalho é uma ótima pedida, já que o salário no setor público é cerca de 1% maior do que a média salarial do setor privado.

Lembrando que quando um Técnico em Segurança no Trabalho é concursado e contratado como agente público, ele também entra como regime CLT, ou seja, ele poderá exercer a função como emprego público na administração direta ou indireta, em empresas públicas, sociedades de economia mista e em fundações públicas de direito privado.

Remuneração por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 53352 profissionais admitidos e desligados no periodo de 12/2018 até 07/2019. Jornada de trabalho semanal.

Somente profissionais admitidos
AdmitidosJornadaRef.Salário p/ mêsSalário p/ hora
2473744220R$ 2.558,35R$ 11,63
122640200R$ 3.129,47R$ 15,65
22242210R$ 3.279,62R$ 15,62
20036180R$ 3.242,56R$ 18,01
9843215R$ 2.504,76R$ 11,65
5220100R$ 1.386,27R$ 13,86
5030150R$ 2.445,88R$ 16,31
Somente profissionais desligados registrados no CBO 3516-05
DesligadosJornadaRef.Salário p/ mêsSalário p/ hora
2377844220R$ 2.682,48R$ 12,19
118940200R$ 3.666,60R$ 18,33
20642210R$ 3.376,65R$ 16,08
17636180R$ 3.289,09R$ 18,27
9743215R$ 2.957,85R$ 13,76
5522110R$ 1.758,49R$ 15,99
4630150R$ 2.602,15R$ 17,35

Profissionais em jornada de trabalho parcial e intermitente

A Nova Legislação Trabalhista regulamentou o regime de jornada de trabalho parcial e a jornada intermitente. Veja como funciona o parcial e o intermitente.

No período de 12/2018 até 07/2019, um total de 84 profissionais foram contratados para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho em regime de jornada de trabalho parcial. Nesse contexto a jornada semanal média ficou em 21h com um salário de R$ 1.346,76 o que corresponde a R$ 12,94 por hora trabalhada.

Já para o regime de jornada de trabalho intermitente, um total de 516 profissionais foram contratados com um salário médio de R$ 2.371,84.

Tipos de contratos de trabalho na admissão e demissão

Relação de tipos de admissões e desligamentos informados pelas empresas ao CAGED. É possível observar os principais motivos de demissões e admissões, os diferentes tipos de contratos de trabalho celebrados e homologados, bem como saber o total de contratados e o salário inicial de primeiro emprego para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho praticado atualmente.

Tipos de admissão e demissão - *O tempo de empresa é expresso em meses em casos de demissão
TotalRelaçãoSalárioTempo na empresa*
23735Admissão por ReempregoR$ 2.598,420
15598Demissão sem Justa CausaR$ 2.839,0527
5544Pedido de DemissãoR$ 2.665,5616
3109Demissão por Término de ContratoR$ 2.461,822
2387Admissão por Contrato de Trabalho de Prazo DeterminadoR$ 2.582,240
902Término do Contrato de Trabalho de Prazo DeterminadoR$ 2.396,092
675Admissão ao Primeiro EmpregoR$ 2.411,730
427Desligamento por Acordo Empregado/EmpregadorR$ 2.854,3839
124Demissão por Justa CausaR$ 2.759,3538
59Desligamento por MorteR$ 3.381,5893
15Admissão por ReintegraçãoR$ 3.357,530
6Desligamento por AposentadoriaR$ 4.172,17140

Salário por porte da empresa e nível profissional

Salário por porte da empresa

Esse levantamento mostra a faixa salarial em que se encontra o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho de acordo com o porte da empresa. Os segmentos são: MEI - Micro Empreendedor Individual, micro empresa, pequena empresa, média empresa e grande empresa. Veja como é feita essa divisão:

  • MEI: permitido no máximo 1 funcionário;
  • Micro: até 19 funcionários;
  • Pequena: 20 a 99 funcionários;
  • Média: 100 a 499 funcionários;
  • Grande: mais de 500 empregados, seja comércio, serviços ou indústria.

Salário por nível profissional

Aqui buscamos listar a remuneração do cargo de Técnico em Segurança no Trabalho de acordo com o nível de experiência do profissional na empresa até sua demissão. Veja como é feita a listagem:

  • *Júnior: até 4 anos;
  • *Pleno: de 4 a 6 anos;
  • *Sênior: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

Um Técnico em Segurança no Trabalho Júnior tem um salário de R$ 2.603,99, o nível pleno recebe cerca de R$ 3.265,55, já o profissional Sênior tem uma rendimento mensal de R$ 3.944,81.

Entenda as diferenças entre os níveis Júnior, Pleno e Sênior.

Tabela de salários para Técnico em Segurança no Trabalho Júnior, Pleno e Sênior

Metodologia e amostragem: Salários de 25769 profissionais desligados das empresas no período de 12/2018 até 07/2019.
Porte da EmpresaJúniorPlenoSênior
MEI e Micro empresa
(De 1 até 19 funcionários)
2.382,102.795,532.965,67
Pequena empresa
(20 a 99 funcionários)
2.494,263.248,733.743,85
Média empresa
(100 a 499 funcionários)
2.701,113.344,054.091,28
Grande empresa
(Acima de 500 funcionários)
2.825,963.403,124.135,19

*Os ordenados de Júnior, Pleno e Sênior no cargo são referentes somente ao histórico do Técnico em Segurança no Trabalho naquela empresa até ser demitido. Esses dados não levam em consideração a vida profissional completa no cargo, por isso o salário de um pleno pode ser maior que um sênior por exemplo. Geralmente quando a amostragem de salários na pesquisa é maior isso tende a se estabilizar estatisticamente.

Piso salarial

O piso salarial de Técnico em Segurança no Trabalho em todo o Brasil é de *R$ 2.000,00 para uma jornada de trabalho de 44 horas por semana.

O valor do piso salarial, bem como o percentual de reajuste dos vencimentos mensais é homologado pela convenção coletiva ou dissídio da categoria pelo sindicato.

*O valor do piso salarial mostrado aqui é a média da base salarial retirada de convenções coletivas registradas no MTE (caso houver), calculada em conjunto com o salário em locais com maior número de contratações para chegar ao valor final.

Na grande maioria dos casos, esse cálculo se aproxima muito do piso salarial da categoria para o cargo CBO 3516-05.

Calculamos dessa forma para que os dados não sejam afetados por dados de contratações de profissionais em locais que não hajam sindicatos regionais para negociações salariais com sindicatos patronais.

Adicionais Salariais

Adicional Noturno

Numa jornada de trabalho noturna, o pagamento do adicional noturno por hora seria de cerca de R$ 2,45. Assim, se o profissional cumprir todas as horas do mês como noturna, seu salário terá um valor adicional de cerca de R$ 533,19 mensais.

Insalubridade e Periculosidade

O valor do adicional de periculosidade com base no salário médio seria de R$ 799,78 mensais (30%). Já o adicional por insalubridade é dividido por graus. A 1ª de 10% teria um valor de cerca de R$ 266,59, a 2ª de 20% seria de cerca de R$ 533,19 e a 3ª de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 1.066,37.

Segundo o MTE a caracterização e classificação da insalubridade e da periculosidade, serão feitas através de perícia do Médico do Trabalho ou Engenheiro do Trabalho. (Art. 195 CLT)

Insalubridade e periculosidade não são cumulativos. O trabalhador deve optar por um ou pelo outro.

Salário base para aprendiz

Em um total de 165 aprendizes contratados e demitidos durante o período da pesquisa, o salário médio de um aprendiz no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho é de R$ 662,99 para uma jornada de trabalho de cerca de 22 horas semanais.

De acordo com a legislação, aprendiz é uma ocupação com jornada parcial de trabalho a qual não poderá interferir nos horários de estudos e no qual o trabalhador possa ter vencimentos menores que o salário mínimo vigente. Confira uma tabela salarial completa com todos os cargos e salários de aprendizes contratados.

Salário para PCD no cargo

Num levantamento no período de 12/2018 até 07/2019 com 455 salários de PCDs - Pessoas Com Deficiência no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho, a média salarial em todo o Brasil é de R$ 2.659,93 para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais.

O salário médio aqui mostrado não difere o tipo de deficiência do trabalhador, podendo esta ser permanente, ou até mesmo um trabalhador readaptado que retorna de afastamento do trabalho pelo INSS.

Evolução do salário mês a mês

Salário de Técnico em Segurança no Trabalho mês a mês de acordo com a pesquisa salarial. Atualmente estamos calculando dados salariais de 12/2018 até 07/2019. Remunerações de admitidos e desligados pelas empresas.

No período do levantamento, o salário dos profissionais desligados ficou em R$ 2.742,13 e o rendimento médio mensal dos admitidos em R$ 2.592,71 uma diferença de 5.45%.

Contratações e demissões pelo mercado de trabalho

Gráfico de contratações e demissões de Técnico em Segurança no Trabalho pelo mercado de trabalho no período .

No período de 12/2018 até 07/2019 houveram 27.274 contratações formais com carteira assinada e 26.078 demissões, resultando num saldo positivo de 1196 empregos formais gerados.

Setores que mais contratam

Lista com os segmentos de atividades econômicas das empresas com o maior número de registros para o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho no período de 12/2018 até 07/2019. Um termômetro fiel para sabermos os setores da economia com maior demanda nas contratações de profissionais para a ocupação e os salários pagos em média em cada setor.

Essa é uma estatística muito importante para profissionais que buscam uma recolocação no mercado de trabalho ou que buscam uma primeira oportunidade.

Os segmentos das empresas estão listados são de acordo com a descrição do CNAE de cadastro de cada empresa (CNAE - Classificação Nacional de Atividades Econômicas) junto a Receita Federal.

TotalSegmento da EmpresaSalário
4635Construção de Edifícios2.501,37
2641Serviços de Engenharia2.829,71
1737Instalação e Manutenção Elétrica2.615,23
1495Obras de Montagem Industrial2.838,18
1410Construção de Rodovias e Ferrovias2.631,93
1184Transporte Rodoviário de Carga, Exceto Produtos Perigosos e Mudanças, Intermunicipal, Interestadual e Internacional2.523,34
996Limpeza em Prédios e em Domicílios2.593,74
943Atividades de Atendimento Hospitalar, Exceto Pronto-Socorro e Unidades para Atendimento a Urgências2.487,96
892Construção de Estações e Redes de Distribuição de Energia Elétrica2.585,40
859Serviços de Perícia Técnica Relacionados à Segurança do Trabalho2.632,62

Setores com os melhores salários

Nesta tabela, listamos os setores de atividades econômicas das empresas com os melhores salários para um(a) técnico em segurança no trabalho. A lista obedece os maiores proventos salariais registrados na carteira em admissões de técnico em segurança no trabalho e informados oficialmente pelas empresas ao Ministério do Trabalho.

TotalSegmento da EmpresaSalário
14Fabricação de Produtos Petroquímicos Básicos6.660,93
14Fabricação de Produtos Químicos Orgânicos não Especificados Anteriormente6.499,29
7Fabricação de Motores Elétricos, Peças e Acessórios5.991,71
30Fabricação de Produtos Derivados do Cacau e de Chocolates5.587,27
37Transmissão de Energia Elétrica5.536,03
13Fabricação de óleos Vegetais Refinados, Exceto óleo de Milho5.462,00
16Fabricação de Defensivos Agrícolas5.366,56
8Fabricação de Bancos e Estofados para Veículos Automotores5.143,13
40Fabricação de Peças e Acessórios para O Sistema Motor de Veículos Automotores5.123,65
6Locação de Embarcações sem Tripulação, Exceto para Fins Recreativos5.072,67

Salário por gênero

Numa amostragem de 53352 salários de profissionais admitidos ou desligados no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho, 17214 são mulheres com vencimentos médios de R$ 2.425,02 para uma jornada semanal de 44 horas.

Um total de 35367 são homens com remuneração salarial média de R$ 2.783,20 e jornada de trabalho de 44h por semana.

As informações são do CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho) com recursos do FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador com cálculos estatísticos do Salario.com.br.

Salário por escolaridade ou grau de instrução

Neste filtro com níveis de escolaridade, a pesquisa busca mostrar uma relação entre o grau de instrução do funcionário e o salário base de Técnico em Segurança no Trabalho com filtro removendo aprendizes, trabalho parcial e intermitente. O total de profissionais em cada nível aparece entre parênteses.

  • (2) Sem instrução: R$ 2.083,50.
  • (46) Até 5ª ano incompleto: R$ 2.659,15.
  • (59) Até 5ª ano do fundamental: R$ 2.544,05.
  • (102) 6º ao 9º ano do fundamental: R$ 2.443,94.
  • (493) Ensino fundamental completo: R$ 2.580,00.
  • (318) Ensino médio incompleto: R$ 2.398,75.
  • (25489) Ensino médio completo: R$ 2.656,66.
  • (2369) Ensino superior incompleto: R$ 2.834,49.
  • (6489) Ensino superior completo: R$ 3.304,42.

Obs: o gráfico não mostrará porcentagens muito pequenas.

Salário por faixa etária ou idade

Neste levantamento mostramos a relação direta entre a idade e a remuneração mensal do colaborador no cargo de Técnico em Segurança no Trabalho com filtro removendo aprendizes, trabalho parcial e intermitente. O total de salários da amostragem aparece entre parênteses.

  • (593) Até 20 anos: R$ 1.710,49.
  • (14041) Entre 21 e 30 anos: R$ 2.292,67.
  • (24260) Entre 31 e 40 anos: R$ 2.727,50.
  • (10459) Entre 41 e 50 anos: R$ 2.924,40.
  • (2815) Entre 51 e 60 anos: R$ 3.123,60.
  • (390) Entre 61 e 70 anos: R$ 3.478,42.
  • (23) Acima de 70 anos: R$ 2.903,91.

Obs: o gráfico não mostrará dados muito pequenos.

Se você tiver alguma dúvida sobre o salário de Técnico em Segurança no Trabalho CBO 3516-05 ou qualquer outro aspecto do levantamento salarial aqui mostrado, por favor deixe um comentário logo abaixo ou entre em contato conosco.

Comente sobre Técnico em Segurança no Trabalho

Regras para os comentários

  • Todos os comentários são moderados antes de publicados.
  • Possui dúvidas trabalhistas sobre o cargo de Técnico em Segurança no Trabalho? Acesse o nosso conteúdo trabalhista.
  • Respondemos todas as dúvidas no prazo máximo de 2 dias úteis.
  • Se postou uma pergunta, volte a essa página para ver a resposta. Não enviamos respostas por email devido ao problema com SPAM.
  • Tem alguma dúvida sobre a origem e confiabilidade dos dados salariais do cargo de Técnico em Segurança no Trabalho? Acesse este link.

2 comentários em Técnico em Segurança no Trabalho

    • Oi Edvanio, os números estão corretos e são oficiais. São inúmeras contratações em todo o estado, portanto nem sempre o salário praticado na sua localidade é o mesmo do estado inteiro. Além disso o salário está baseado em contratações e demissões, sendo que na grande maioria das vezes o salário do profissional demitido é maior do que o salário de um recém-contratado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Please enter your name here