Professor de Economia - Piso Salarial 2024, O Que Faz, Salário Economia e/ou Matemática

R$ 10.370,26/mês

Atualizado em

Hoje um Professor de Economia ganha em média R$ 10.370,26 para uma jornada de trabalho de 29 horas semanais de acordo com pesquisa do Portal Salario junto a dados de 124 profissionais admitidos e desligados em regime CLT nos últimos 12 meses divulgados pelo Novo CAGED.

Em 2024 a remuneração para Professor de Economia pode variar entre o piso salarial mínimo de R$ 10.087,03 e o teto salarial de R$ 26.424,31, dependendo do segmento da empresa, localidade, formação, experiência na função e política de cargos e salários da empresa.

Você pode conferir logo abaixo na tabela salarial, mais dados da pesquisa como piso salarial 2024, salário mediana, salário por hora, mensal e anual para saber exatamente quanto ganha um Professor de Economia.

Tópicos dessa pesquisa salarial:

Perfil Profissional

De acordo com nosso levantamento o perfil profissional mais recorrente é o de um trabalhador com 34 anos, formação superior em Economia e/ou Matemática, do sexo masculino que trabalha 40h semanais em empresas do segmento de Educação superior - graduação e pós-graduação de todo o Brasil.

A cidade com mais ocorrências de contratações no estado e por consequência com mais vagas de emprego para Professor de Economia é Rio de Janeiro , RJ.

Metodologia

Essa pesquisa salarial leva em consideração somente o salário base de Professor de Economia, não entram no cálculo nenhum adicional salarial como bônus, comissões, horas extras, adicional noturno, periculosidade, insalubridade nem nada do tipo. Somente o salário base registrado em carteira e no contrato de trabalho entram na amostragem.

Os dados salariais são atualizados mensalmente de acordo com divulgação dos dados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O que faz um Professor de Economia CBO 2348-05

O Professor de Economia ministra aulas práticas e expositivas de micro e macroeconomia, econometria e modelagem econômica, teoria e planejamento do desenvolvimento socioeconômico, história econômica e disciplinas afins no ensino superior de economia, nas modalidades presencial e ou a distância Esclarece dúvidas do estudante, coordena seminários e grupos de discussão, supervisiona estágios curriculares e ministra atividades de pesquisa de campo Instrui alunos em técnicas especiais e na formação de atitudes.

Adequa o conteúdo programático à realidade do mundo do trabalho, aplica recursos didáticos e tecnológicos e indica uso de ferramentas e software específicos de modelagem Presta orientação acadêmica e profissional ao estudante de graduação e pós-graduação em ciências econômicas e o auxilia na escolha de disciplinas e temas de pesquisa, na obtenção de estágio e de bolsa de estudos Participa da publicação de trabalho em conjunto com os pares e alunos e orienta o trabalho dos monitores Define e atualiza periodicamente o conteúdo programático e das aulas, prepara material didático para apoiar estudo por projeto, simulações, estudos de caso, e exercícios teóricos e práticos relativos ao estudo de economia, finanças e disciplinas afins.

Define bibliografias básica e complementar, seleciona recursos técnicos para exposição das aulas e prepara exames e avaliações Avalia a participação dos estudantes em aula, provas e trabalhos e orienta teses, monografias e dissertações Registra frequência e outras informações dos alunos.

Aplica prova escrita e ou oral, promove a realização de trabalhos em grupo e interdisciplinares e estimula o desenvolvimento de competências e habilidades profissionais e de atitude crítica Elabora artigos científicos e acadêmicos, teses e dissertações e relatórios diversos Divulga resultados de pesquisas Orienta aluno de ciências econômicas quanto à estruturação do pensamento, leitura e interpretação da realidade.

Auxilia na definição de temas de pesquisa e na definição de metodologias Orienta pesquisas bibliográficas, teóricas e de campo e na coleta de dados em fontes secundárias Esclarece normas e formas de apresentação, comenta versões de trabalhos e sugere composição de banca examinadora Participa de atividades administrativas, elabora pareceres de propostas de pesquisa, colabora na definição de temas e escopo e elabora projetos Define cronograma e metodologia, coleta, classifica e analisa dados e pesquisa bibliografia.

Coordena execução do projeto, organizando equipes e atribuindo tarefas Compõe bancas examinadoras, julgando trabalhos acadêmicos e científicos, propondo alterações em teses, dissertações e monografias e dando parecer em publicações científicas e acadêmicas Participa de comissões editoriais.

Participa de eventos acadêmicos, selecionando e apresentando trabalhos, artigos e comunicações Promove debates, coordena mesas, participa de painéis e profere palestras Pode administrar departamentos de ensino, participando de atividades administrativas, estabelecendo matriz curricular e horários e indicando professor para contratação.

Organiza eventos, elabora prestação de contas, procura fontes de financiamentos e participa da avaliação de cursos junto a órgãos reguladores Realiza atividades de extensão, elaborando propostas e assessorando projetos técnicos em economia Participa de programas de orientação profissional, presta auxílio na elaboração de base de dados e propõe parcerias de pesquisas com instituições privadas e públicas.

Orienta projetos de empreendedorismo e incubadoras de empresas Exerce a profissão com zelo e comprometimento com o desenvolvimento profissional e intelectual do alunado e com o bem-estar da sociedade Mantém independência técnica em suas orientações, baseando-se em dados, informações, documentos e elementos objetivos que facilitam a tomada de decisões fundamentadas em elementos econômicos.

Algumas funções no exercício da profissão

  • participar de eventos acadêmicos;
  • participar de bancas examinadoras;
  • participar de atividades administrativas;
  • orientar teses, monografias, dissertações e trabalhos de uso;
  • realizar atividades de extensão;
  • produzir trabalhos acadêmicos;
  • avaliar alunos;
  • preparar cursos, programas, disciplinas e aulas;
  • assistir alunos;
  • ministrar aula;
  • administrar departamentos de ensino;
  • demonstrar competências pessoais;
  • definir metodologia;
  • fornecer orientação acadêmica e profissional;
  • orientar pesquisa teórica;
  • expressar-se com fluência verbal em língua estrangeira;
  • divulgar resultados de pesquisas;
  • selecionar recursos técnicos para exposição;
  • preparar exercícios relativos a economia, administração e contabilidade;
  • coletar dados;
  • apresentar trabalhos, artigos e comunicações;
  • ver mais...

Salário de Professor de Economia CBO 2348-05 - Série histórica

Quanto ganha um Professor de Economia por região do Brasil

Quanto ganha um Professor de Economia nas principais cidades

Clique em uma cidade para ver a pesquisa salarial completa para Professor de Economia na localidade
Cidade Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
39 19.022,11 19.556,21 29.553,93 101,23 22
13 5.336,37 5.486,21 8.290,92 85,34 14
40 9.133,87 9.390,33 14.190,95 46,95 12
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada uma das cidades da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outras cidades além dessas utilize a Busca Salarial.

Tabela salarial para Professor de Economia

Tabela salarial referentes ao salário base do cargo e na remuneração por períodos
Período Salário Mensal Salário Anual Salário Semanal Salário/Hora
Piso Salarial 10.087 121.044 2.522 68,47
Média Salarial 10.370 124.443 2.593 70,39
1º Quartil 3.918 47.014 979 26,59
Salário Mediana 9.020 108.240 2.255 61,23
3º Quartil 20.152 241.828 5.038 136,79
Teto Salarial 26.424 317.092 6.606 179,36
  • Piso Salarial: Média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Professor de Economia negociados por sindicatos e registrados no MTE;
  • Média Salarial: A soma de todos os salários dividido pelo total de salários de profissionais CBO 2348-05 da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;
  • 1° Quartil: Primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Salário Mediana: Mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. o cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;
  • 3º Quartil: Cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Teto Salarial: Corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

Demanda no mercado de trabalho para Economia e/ou Matemática

Professor de Economia é um cargo que está com demanda restrita no mercado de trabalho brasileiro nos últimos meses.

No comparativo entre os meses de Junho de 2023 e Maio de 2024, tivemos uma queda de 100% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Dentro da pesquisa, logo abaixo, você pode conferir um gráfico completo mês a mês com o número de contratações e demissões de Professor de Economia CBO 2348-05 pelo mercado de trabalho brasileiro segundo levantamento estatístico do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web nos últimos 12 meses.

Quanto ganha um Professor de Economia por estado

Clique em um estado para ver a pesquisa salarial completa para Professor de Economia na localidade
UF Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
38 18.351,16 18.866,42 28.511,50 99,75 23
12 4.598,98 4.728,11 7.145,25 77,37 18
39 8.326,50 8.560,29 12.936,56 43,74 14
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada um dos estados da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outros estados além desses utilize a Busca Salarial.

Tipos de empresas que mais contratam

Salários por setores de empresas
CNAE Segmento da Empresa Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial
8532-5/00 Educação superior - graduação e pós-graduação 13.467,62 13.845,76 20.924,13
8550-3/02 Atividades de apoio à educação 5.336,37 5.486,21 8.290,92
8532-5/00 Educação superior - graduação 6.883,66 7.076,94 10.694,88
8513-9/00 Ensino fundamental 2.701,89 2.777,75 4.197,82
8533-3/00 Educação superior - pós-graduação e extensão 23.051,76 23.699,00 35.814,64
9319-1/99 Outras atividades esportivas 2.528,99 2.600,00 3.929,20
8512-1/00 Educação infantil - pré-escola 2.050,43 2.108,00 3.185,67
8593-7/00 Ensino de idiomas 3.482,23 3.580,00 5.410,20
8520-1/00 Ensino médio 1.336,47 1.374,00 2.076,43
CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Para ver a pesquisa salarial completa para o segmento, clique nas empresas da lista. Para ver outros segmentos e pesquisas em estados e cidades específicas, utilize a nossa Pesquisa Salarial e filtre a busca por CNAE.

Quanto ganham profissionais de Economia e/ou Matemática por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 124 profissionais admitidos e desligados. A relação abrange somente Professor de Economia CBO 2348-05 em regime integral de trabalho.

Cálculo de acordo com a carga horária mensal e salário
Total Jornada Ref. Salário Mensal Salário Hora
38 40 200 14.390,97 71,95
10 44 220 5.077,56 23,08
6 30 150 25.515,89 170,11
5 8 40 3.253,40 81,34
4 4 20 1.388,25 69,41
3 9 45 1.626,67 36,15

No Brasil, todo trabalhador contratado com carteira assinada, ou seja, numa relação de emprego, tem a jornada de trabalho estipulada no contrato de trabalho. A lei exige que fique clara, por escrito, a duração do trabalho que esse profissional terá de cumprir.

Salários por porte da empresa e nível profissional

Metodologia: Salários de 44 profissionais demitidos pelas empresas.
Porte da Empresa Júnior Pleno Sênior
Micro 9.401,42 10.110,42 11.340,29
Pequenas 7.093,20 7.802,20 9.032,07
Médias 10.721,21 11.430,22 12.660,09
Grandes Empresas 11.354,14 12.063,15 13.293,02
  • *Professor de Economia Júnior: até 4 anos;
  • *Professor de Economia Pleno: de 4 a 6 anos;
  • *Professor de Economia Sênior: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

Gráficos de pesquisa

Simulador de gastos da empresa com o salário mensal de um Professor de Economia

  • Salário Base: R$ 10.370,26
  • Salário-educação (3%): R$ 311,11
  • Sistema S (2%): R$ 207,41
  • INSS Patronal (20%): R$ 2.074,05
  • RAT - Risco Ambiental do Trabalho (1%): R$ 103,70
  • FGTS (8%): R$ 829,62
  • Férias 1/12: R$ 864,19
  • Auxílio Transporte: R$ 220,00
  • Auxílio Alimentação: R$ 440,00
  • Adicional Noturno (20%): R$ 2.074,05
  • Periculosidade (30%): R$ 3.111,08
  • Insalubridade (20%): R$ 288,00
  • Plano de Saúde: R$ 300,00
  • 1/3 de Férias: R$ 288,06
  • 13º Salário: R$ 864,19
  • FGTS sobre Férias: R$ 69,14
  • FGTS sobre 1/3 de Férias: R$ 23,05
  • FGTS sobre 13º: R$ 69,14
  • Aviso Prévio: R$ 864,19
  • FGTS sobre Aviso Prévio: R$ 69,14
  • Multa Rescisória FGTS: R$ 864,19

Os valores referem-se somente a uma simulação de gastos mensais proporcionais e médios do mercado de trabalho. Alguns benefícios não são pagos ao mesmo tempo. Procure seu contador para maiores detalhes.

Fique por dentro dos seus direitos trabalhistas

Gostou da pesquisa e deseja utilizá-la?

Toda essa pesquisa salarial para Professor de Economia pode ser utilizada para fins acadêmicos, empresariais estratégicos e matérias em portais, sites, blogs e redes sociais desde que seja citada a fonte com um link para o site Salario.com.br.

Ainda tem dúvidas sobre a origem dos dados salariais do Salario.com.br? Leia aqui e veja também onde os dados do Salario.com.br estão sendo utilizados.

Salário e mercado de trabalho para Professor de Economia