CBO 2347-10 - Professor de arquivologia do ensino superior - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos professores de ciências humanas do ensino superior

O profissional no cargo de Professor de arquivologia do ensino superior CBO 2347-10 Ministra aulas de arquivologia em cursos de graduação e pós-graduação, apresentando conteúdos, indicando bibliografias, entre outras ações, a fim de capacitar o aluno no planejamento, implementação, conservação e organização de arquivos públicos, institucionais, comerciais e pessoas Coordena e desenvolve atividades e projetos de pesquisa e extensão em gestão de arquivos, orientando na construção de objeto de pesquisa e na execução de trabalhos acadêmicos.

Participa de eventos Prepara aulas e elabora o plano de ensino, acompanha seu desenvolvimento Avalia o processo de ensino e aprendizagem, analisando resultados.

Participa de processos de seleção e avaliação, arguindo candidatos à titulação, examinando monografias, dissertações e teses Cumpre procedimentos, normas técnicas, de qualidade, regulamentadoras, de biossegurança, saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

CBO 2347-10 é o Código Brasileiro da Ocupação de professores de ciências humanas do ensino superior que pertence ao grupo dos profissionais do ensino, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Professor de arquivologia do ensino superior, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Professores de ciências humanas do ensino superior CBO 2347-10 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2347-10

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Professores de ciências humanas do ensino superior.
      • Profissionais do ensino.

O que faz um Professor de arquivologia do ensino superior

O Professor de arquivologia do ensino superior CBO 2347-10 ministra aulas de arquivologia no ensino superior, apresentando conteúdos de disciplinas, promovendo debates, discutindo textos, respondendo às perguntas, organizando seminários, indicando bibliografias, utilizando recursos audiovisuais e tecnologias digitais, a fim de capacitar o aluno no planejamento, implementação, conservação e organização de arquivos Realiza atividades em laboratórios e oficinas e experiências extrassala.

Coordena e desenvolve atividades de pesquisa e extensão e projetos de pesquisa em gestão de arquivos.

Elabora projetos, trabalhos científicos e relatórios, divulga resultados, orienta pesquisadores, seleciona pessoal, supervisiona atividades de campo e avalia a execução da pesquisa Capta recursos para a execução de pesquisas.

Participa de eventos tecnocientíficos e organiza publicações Orienta a construção de objeto de pesquisa e a formulação e acompanhamento da execução de projeto para a elaboração de trabalhos acadêmicos, sugerindo bibliografia, realizando reuniões de orientação, examinando e avaliando a produção do orientado, preparando-o para exame de qualificação e para a defesa do trabalho na área de arquivologia.

Prepara aulas, elaborando o plano de aula, organizando atividades didáticas, atualizando dados e informações conjunturais, revendo bibliografia, elaborando textos e material didático, incorporando gestão de documentos eletrônicos, tecnologia de informação e comunicação aplicados à arquivologia, entre outros temas.

Elabora o plano de ensino, definindo os objetivos da disciplina, a metodologia, as atividades extrassala, os critérios de avaliação Seleciona recursos didáticos, pesquisa, seleciona bibliografia e monta cronograma.

Incorpora novas tecnologias desenvolvidas para a gestão de arquivos nos vários suportes.

Avalia e define ementas e programas Acompanha o desenvolvimento do plano de ensino e prevê formas de avaliação Supervisiona estágios, identificando os campos de atuação, elaborando programas e projetos, acompanhando as atividades, verificando a aplicação das normas de estágio, orientando e avaliando a iniciação ao exercício profissional.

Propõe a realização de convênios e parcerias Supervisiona atividades de monitores Avalia processos de ensino e aprendizagem, elaborando e aplicando instrumentos de avaliação, analisando resultados de avaliações, readequando o processo de ensino-aprendizagem, revendo a prática docente, verificando frequência.

Avalia provas, comenta resultados de avaliações Avalia a participação em classe e extraclasse, trabalhos acadêmicos programados e examina relatórios de campo.

Participa de processos de seleção e avaliação, auxiliando na elaboração de editais para concursos, selecionando candidatos ao ingresso em cursos de pós-graduação e candidatos em concursos para a área de arquivologia, avaliando currículos e memoriais, arguindo candidatos à titulação, julgando trabalhos acadêmicos, examinando monografias, dissertações e teses Presta assessoria tecnocientífica, emitindo laudo e pareceres técnicos, pareceres sobre textos para fins de publicação, assessorando projetos de instituições, prestando consultorias, dando entrevistas Exerce atividades acadêmicas e administrativas, participando de órgãos colegiados, coordenando núcleos, programas, laboratórios e oficinas, cursos e programas de estágio, organizando eventos acadêmicos.

Gerencia recursos financeiros e materiais, integrando comissões, orientando a formação de acervos, propondo minutas de editais, portarias e resoluções, prestando contas de recursos financeiros Chefia departamentos acadêmicos Constrói projetos políticos pedagógicos e políticas de estágio.

Define perfil profissional, política de capacitação docente, linhas de pesquisa e extensão e diretrizes de avaliação e currículo do curso Cumpre procedimentos, normas técnicas, de qualidade, normas regulamentadoras, de biossegurança, de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

Funções do cargo

O funcionário CBO 2347-10 deve avaliar processos de ensino-aprendizagem, construir projetos político-pedagógicos, elaborar plano de ensino, demonstrar competências pessoais, participar de processos de seleção e avaliação, prestar assessoria técnico-científica, orientar trabalhos acadêmicos, supervisionar estágios, desenvolver atividades de pesquisa e extensão, preparar aulas, exercer atividades acadêmico-administrativas, ministrar aula.

Condições de trabalho dessas profissões

Professores de ciências humanas do ensino superior exercem suas funções em instituições e entidades de ensino e são contratados na condição de trabalhadores com carteira assinada. Organizam-se em equipes de trabalho e também podem atuar de forma individual. Trabalham com supervisão ocasional, em ambientes fechados e a céu aberto, geralmente no período diurno. O exercício do trabalho pode se dar de forma presencial e à distância. Podem estar sujeitos a situação de estresse, devido a trabalhos sob pressão.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 2347-10

O exercício dessas ocupações requer ensino superior completo e títulos de pós-graduação ou especialização na área. É comum o ingresso e a progressão na carreira por intermédio de concursos, principalmente, na área pública. O pleno desempenho das atividades, como professor-titular, geralmente ocorre após três ou quatro anos de experiência.

Atividades exercidas por um Professor de arquivologia do ensino superior CBO 2347-10

Um Professor de arquivologia do ensino superior (ou sinônimo) deve demonstrar criatividade, demonstrar capacidade de motivação, demonstrar capacidade de contextualização, participar da elaboração de editais para concursos, dar entrevistas, atualizar dados e informações conjunturais, rever prática docente, definir perfil profissional, prestar serviços a comunidade, emitir parecer sobre textos para fins de publicação, acompanhar execução do projeto, definir linhas de pesquisa e extensão, demonstrar capacidade de expressão oral, selecionar candidatos ao ingresso em cursos de pós-graduação, coordenar núcleos, programas, laboratórios e oficinas, coordenar cursos, propor minutas de editais, portarias e resoluções, definir política de capacitação docente, avaliar participação em classe e extraclasse, definir perfil dos docentes, controlar freqüência, trabalhar com a comunidade, julgar trabalhos acadêmicos, elaborar projetos de pesquisa, divulgar resultados, acompanhar desenvolvimento de planos de ensino, organizar seminários, avaliar execução de atividades de extensão, avaliar trabalhos acadêmicos programados, demonstrar capacidade de lidar com a diversidade, realizar experiências extra-sala, organizar eventos acadêmicos, selecionar recursos humanos, elaborar material didático, realizar leituras, examinar monografias, teses e dissertações, indicar bibliografia, construir currículo do curso, avaliar ementas e programas, apresentar conteúdos de disciplinas, captar recursos para pesquisa e extensão, realizar reuniões de orientação, realizar atividades em laboratórios e oficinas, elaborar programas e projetos de estágio, avaliar provas, rever bibliografia, readequar processo de ensino-aprendizagem, integrar comissões, responder perguntas, orientar pesquisadores, gerenciar recursos financeiros e materiais, avaliar execução de pesquisa, demonstrar capacidade de reflexão, comentar resultados de avaliações, promover debates, manter-se atualizado, executar pesquisas, elaborar projetos de extensão, definir ementas e programas, utilizar recursos audiovisuais, demonstrar capacidade de observação, elaborar textos, definir atividades extra-sala, provocar reflexões, participar de órgãos colegiados, elaborar relatórios, argüir candidatos a titulação, coordenar projetos de pesquisa, exercer papéis de cidadania, elaborar trabalhos científicos, discutir textos, fiscalizar a aplicação das normas de estágio, definir critérios de avaliação, identificar campos de estágio, analisar resultados de avaliações, sugerir bibliografia, emitir laudos e pareceres técnicos, examinar produto final, examinar relatórios de campo, organizar publicações, selecionar recursos didáticos, avaliar currículos e memoriais, coordenar programas de estágio, demonstrar capacidade de redação, participar de eventos técnico-científicos, demonstrar capacidade de síntese, avaliar iniciação ao exercício profissional, demonstrar capacidade de polemização, prestar contas dos recursos financeiros, demonstrar capacidade de argumentação, demonstrar capacidade de problematizar, demonstrar capacidade de estabelecer interlocuções, definir metodologia, pesquisar bibliografia, elaborar instrumentos de avaliação, definir diretrizes de avaliação do curso, coordenar projetos de extensão, aplicar instrumentos de avaliação, preparar orientando para exame de qualificação, identificar demandas da sociedade, chefiar departamentos acadêmicos, elaborar plano de aula, prever formas de avaliação, montar cronograma, supervisionar atividades de campo, demonstrar capacidade de mobilização, orientar iniciação ao exercício profissional, assessorar projetos de instituições, verificar freqüência, propor a realização de convênios e parcerias, definir perfil dos alunos, selecionar bibliografia, definir objetivos da disciplina, prestar consultoria, construir política de estágio, selecionar candidatos em concursos, avaliar produção do orientado, orientar construção de objeto de pesquisa, acompanhar atividades de estágio, preparar orientando para defesa do trabalho, identificar perfil dos docentes, organizar atividades didáticas, formular questões, orientar formulação do projeto, orientar formação de acervos.

Cargos e salários CBO 2347-10 - Professores de ciências humanas do ensino superior

Salário Professor de Arquivologia do Ensino Superior

Professor de Arquivologia do Ensino Superior: Brasil

  • 0
  • Brasil
  • 0 - 0
  • 0h
O profissional no cargo de Professor de Arquivologia do Ensino Superior CBO 2347-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 0 e 0 para uma jornada de trabalho média de 0h semanais de acordo com dados salariais de 0 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2347-10.