CBO 2332-05 - Instrutores de ensino profissional - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 2332-05 é o Código Brasileiro da Ocupação de instrutores de ensino profissional que pertence ao grupo dos professores e instrutores do ensino profissional, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Instrutores de ensino profissional CBO 2332-05 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2332-05

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais do ensino.
      • Professores e instrutores do ensino profissional.
        • Instrutores de ensino profissional.

Descrição dos cargos da categoria Instrutores de ensino profissional

Os Instrutores de ensino profissional CBO 2332-05 planejam e desenvolvem situações de ensino e aprendizagem voltadas para a qualificação profissional de jovens e adultos orientando-os nas técnicas específicas da área em questão. Avaliam processo ensino- aprendizagem, elaboram material pedagógico, sistematizam estudos, informações e experiências sobre a área ensinada, garantem segurança, higiene e proteção ambiental nas situações de ensino- aprendizagem, fazem registros de documentação escolar, de oficinas e de laboratórios. Podem prestar serviços à comunidade. No desenvolvimento das atividades mobilizam capacidades comunicativas.

Condições de trabalho

Instrutores de ensino profissional trabalham, em escolas e instituições de formação profissional de caráter privado e público, bem como em sindicatos, ong etc. , Como estatutário ou assalariado com carteira assinada. Atuam no ensino das áreas comercial, industrial, agroflorestal e de serviços, junto a alunos de diversas faixas etárias, facilitando o aprendizado e fornecendo os meios para o exercício das atividades práticas de uma dada profissão em locais variados, como salas de aulas, oficinas, no campo etc. Desenvolvem suas atividades em equipe, com supervisão permanente, em rodízios de turnos ou em horários irregulares.

Exigências do mercado de trabalho

O exercício dessas ocupações requer, no mínimo, curso técnico profissionalizante na área de atuação mais curso de complementação pedagógica de nível superior.

Funções dos Instrutores de ensino profissional CBO 2332-05

Instrutores de ensino profissional devem:

  • zelar pela manutenção dos equipamentos e ambientes de trabalho;
  • desenvolver situações de ensino que promovam a aprendizagem profissional;
  • demonstrar competências pessoais;
  • fazer registros de documentação escolar, de oficinas e laboratórios;
  • planejar metas e estratégias de ações educacionais;
  • garantir segurança, higiene e proteção ambiental nas situações de ensino e aprendizagem;
  • prestar serviços À comunidade;
  • sistematizar estudos, informações e experiências sobre a Área ensinada;
  • avaliar o processo de ensino-aprendizagem;
  • elaborar material pedagógico;
  • comunicar-se;
  • Atividades dos cargos CBO 2332-05

    Entre as principais atribuições dos Instrutores de ensino profissional CBO 2332-05 estão as de:

    • revisar material pedagógico;
    • fixar critérios de avaliação dos alunos;
    • registrar as tarefas executadas pelos alunos;
    • coletar informações especializadas na área através de pesquisa e experimentação;
    • comprovar experiência na área específica;
    • participar da captação de recursos financeiros e físicos;
    • avaliar competências adquiridas anteriormente;
    • demonstrar capacidade de coordenação de tarefas com os alunos;
    • expor ideias e opiniões em reuniões da escola;
    • preparar recursos audiovisuais;
    • dialogar com os outros professores;
    • prospectar informações sobre o perfil profissional requerido pelo mercado de trabalho;
    • participar de atividades de elaboração do plano de ensino da escola;
    • coletar informações sobre as características sociais, culturais e educacionais dos alunos;
    • tomar parte na organização do currículo escolar;
    • criar relações de sociabilidade em diferentes situações de trabalho;
    • utilizar comunicação verbal, escrita e corporal;
    • desenvolver práticas quanto à preservação do meio ambiente;
    • pesquisar sobre os mercados na sua área de trabalho;
    • garantir o emprego dos acessórios de segurança em situações de ensino e aprendizagem;
    • consultar manual do equipamento para manutenção;
    • preencher diários de classe ou similares;
    • corrigir trabalhos, provas, exercícios;
    • participar de ações institucionais com objetivo social;
    • sistematizar os termos técnicos da área;
    • auxiliar no processo seletivo dos alunos para o ingresso no curso;
    • preencher solicitação de compra de reposição de material de consumo, peças e estoques;
    • demonstrar respeito pelas diferenças socioculturais;
    • limpar os equipamentos;
    • adequar material pedagógico;
    • manusear materiais normatizados ou não-normatizados;
    • tratar dos resíduos (sólidos, gasosos e efluentes);
    • demonstrar criatividade;
    • verificar o estado dos equipamentos de segurança;
    • promover intercâmbios institucionais;
    • dialogar com os pais sobre a aprendizagem dos alunos;
    • avaliar alunos por meio de instrumentos e referenciais de avaliação;
    • dialogar com membros e instituições da comunidade;
    • conferir a execução da manutenção;
    • demonstrar flexibilidade;
    • preencher relatórios de participação em atividades externas e internas;
    • sistematizar a produção científica da área;
    • sistematizar a legislação na sua área;
    • comprovar qualificação profissional na área de atuação;
    • negociar projetos e cursos;
    • dialogar com outros setores ou unidades da escola;
    • comprovar capacidade de aplicação do conhecimento;
    • registrar ocorrências de manutenção de equipamentos;
    • confraternizar-se com alunos, pais e colegas em atividades coletivas;
    • avaliar habilidades e interesses profissionais dos alunos dentro de sua área;
    • auto avaliar-se;
    • orientar os alunos;
    • orientar os alunos no uso de epi, pelo exemplo;
    • desenvolver atividades de ensino em situações práticas de trabalho;
    • prestar assessoria técnica à comunidade;
    • executar a manutenção preventiva;
    • preencher lista de aquisição de matérias-primas e equipamentos;
    • programar calendário de atividades para estágios de alunos;
    • desenvolver atividades para troca de experiências profissionais;
    • registrar controles de estoque;
    • organizar exposições de produtos;
    • estabelecer referenciais de avaliação;
    • identificar características e interesses pessoais dos alunos;
    • demonstrar tolerância e paciência;
    • testar experiências no processo de ensino e de aprendizagem;
    • cuidar das condições de segurança e higiene do aluno;
    • preencher planilhas de custo;
    • demonstrar capacidade de avaliação;
    • efetuar a assepsia dos equipamentos, segundo as normas técnicas;
    • dialogar com os alunos;
    • demonstrar capacidade de atenção para situações de risco;
    • sistematizar as normas técnicas;
    • encaminhar alunos para atendimentos específicos;
    • sistematizar informações sobre as demandas do mercado de trabalho;
    • utilizar referenciais de avaliação normatizados;
    • solicitar a manutenção corretiva de equipamentos e máquinas;
    • preencher fichas de solicitação de recuperação de alunos;
    • demonstrar perseverança;
    • investigar diferentes recursos didáticos;
    • preparar as formas e instrumentos de avaliação e recuperação dos alunos;
    • preparar modelos para o ensino e a aprendizagem;
    • comprovar certificação das competências;
    • criar situações de trabalho em equipe;
    • participar de atividades de elaboração do plano de curso;
    • processar materiais para a utilização em ensino;
    • preparar ferramental para o ensino e para a aprendizagem;
    • elaborar os planos de aula;
    • criar situações para revisão e incorporação de valores éticos;
    • tomar providências em casos de emergência;
    • criar situações interativas com o mercado de trabalho;
    • demonstrar capacidade de trabalho em equipe;
    • orientar-se sobre resoluções de problemas emergentes;
    • dialogar com os meios de comunicação de massa;
    • organizar exposições dos produtos elaborados na escola;
    • prever a participação em feiras exposições, eventos de divulgação e seminários;
    • sistematizar as mudanças tecnológicas;
    • demonstrar capacidade de aprendizagem;
    • sistematizar as mudanças dos processos de trabalho;
    • criar relacionamentos de confiabilidade;
    • realizar parcerias com a sociedade no desenvolvimento de atividades de prestação de serviço;
    • demonstrar capacidade de organização;
    • especificar equipamentos para manutenção e reposição;
    • participar de campanhas educativas;
    • demandar manutenção preventiva de equipamentos e máquinas;
    • analisar as avaliações;
    • integrar-se em eventos da área;
    • mapear riscos e danos à comunidade e ao meio ambiente;
    • identificar novas fontes para atualização;
    • expressar-se com clareza;
    • controlar o estoque de peças de reposição;
    • avaliar o desempenho dos alunos para indicação ao mercado de trabalho;
    • confeccionar apostilas para apoio às aulas;
    • analisar relatórios de avaliação de estágios elaborados pelos alunos e pelas instituições;
    • executar manutenção corretiva de equipamentos e máquinas;
    • promover a exposição e venda de produtos do curso;
    • demonstrar liderança;
    • auxiliar no processo seletivo de novos instrutores;
    • divulgar ideias através de projetos de ensino;
    • agir eticamente na profissão;
    • ministrar cursos para a comunidade, para a população de baixa renda;

    Cargos e salários CBO 2332-05 - Instrutores de ensino profissional

    Salário Instrutor de Aprendizagem e Treinamento Agropecuário

    Instrutor de Aprendizagem e Treinamento Agropecuário: Brasil

    • 420
    • Brasil
    • 2.145 - 5.000
    • 43h
    O profissional no cargo de Instrutor de Aprendizagem e Treinamento Agropecuário CBO 2332-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.145 e 5.000 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 420 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2332-05.
    Salário Instrutor Agrícola

    Instrutor Agrícola: Brasil

    • 420
    • Brasil
    • 2.145 - 5.000
    • 43h
    O profissional no cargo de Instrutor Agrícola CBO 2332-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.145 e 5.000 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 420 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2332-05.
    Salário Instrutor de Aprendizagem Agropecuária

    Instrutor de Aprendizagem Agropecuária: Brasil

    • 420
    • Brasil
    • 2.145 - 5.000
    • 43h
    O profissional no cargo de Instrutor de Aprendizagem Agropecuária CBO 2332-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.145 e 5.000 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 420 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2332-05.
    Salário Instrutor de Treinamento Agropecuário

    Instrutor de Treinamento Agropecuário: Brasil

    • 420
    • Brasil
    • 2.145 - 5.000
    • 43h
    O profissional no cargo de Instrutor de Treinamento Agropecuário CBO 2332-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.145 e 5.000 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 420 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2332-05.