CBO 6323-45 - Trabalhador da exploração de murumuru - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos

O profissional no cargo de Trabalhador da exploração de murumuru CBO 6323-45 realiza exploração de murumuruzeiro – espécie de palmeira típica da região amazônica -, localizando concentração de palmeiras, recolhendo frutos no solo ou que boiam em rios, fazendo seleção, secagem e quebra de cocos, para retirada de amêndoas, extraindo - de amêndoas - óleo, que se transforma em gordura semissólida, e comercializando gordura para aplicações em segmentos industriais, como o alimentício e o cosmético Programa colheita e beneficiamento de frutos, selecionando instrumental e recursos manuais, semimecanizados ou mecanizados.

Pode realizar tratamentos silviculturais, como corte da vegetação circundante às palmeiras Cumpre legislação, normas técnicas, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção de incêndios e de preservação ambiental

CBO 6323-45 é o Código Brasileiro da Ocupação de extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos que pertence ao grupo dos pescadores e extrativistas florestais, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Trabalhador da exploração de murumuru, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos CBO 6323-45 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 6323-45

  • Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca.
    • Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos.
      • Pescadores e extrativistas florestais.

O que faz um Trabalhador da exploração de murumuru

O Trabalhador da exploração de murumuru CBO 6323-45 programa a colheita dos frutos da palmeira murumuru no período de pico da safra Seleciona instrumental e recursos manuais, semimecanizados ou mecanizados.

Faz o reconhecimento geral de uma área – geralmente úmida e temporariamente inundada, como margens de cursos de água -, para localizar concentração das palmeiras.

Verifica as condições dos caminhos e das estradas de acesso às áreas de coleta Desenha mapa, identificando pontos geográficos existentes – estradas, rios, entre outros - como referências e, se possível, fazendo levantamento das coordenadas geográficas com uso do GPS-Sistema de Posicionamento Global (Global Position System).

Pode utilizar uma nova tecnologia - Modelo Digital de Exploração Florestal (Modeflora) -, que integra GPS e outros sistemas remotos, para planejar, executar e monitorar as atividades de manejo florestal com alta precisão Estima a capacidade produtiva da área de extração.

Registra os dados.

Realiza a colheita, abrindo caminho pela área de extração e recolhendo os frutos do murumuru que estão no solo ou que boiam na água dos rios, após o desprendimento do cacho Coleta frutos diretamente dos cachos com uso de uma vara, para sacudir o cacho e derrubar os frutos maduros no chão, pelo fato de a planta possuir muitos espinhos.

Coloca os frutos colhidos em cestos - limpos e de uso exclusivo para esse fim -, evitando que fiquem amontoados.

Pode realizar tratos silviculturais - como o corte da vegetação circundante às palmeiras e a retirada de folhas velhas -, para aumento da produção e conservação dos murumuruzeiros, do ambiente e da fauna silvestre Executa a primeira seleção dos frutos colhidos na área de coleta, separando e descartando os murumurus que estejam escurecidos, rebrotando ou, ainda, apresentando furos Transporta os frutos selecionados até as unidades de pré-beneficiamento, a pé, em veículo automotor ou em canoa.

Lava os frutos Coloca os cocos (semente com amêndoas) para secagem, em estufas ou sobre estruturas do tipo jirau - afastadas do chão -, construídas com madeira, telas e cobertura de plástico Deixa a secagem perdurar até que as amêndoas estejam soltas dentro do coco.

Quebra os cocos para a retirada das amêndoas Faz a moagem e a prensagem das amêndoas para a extração de óleo, que se transforma em gordura semissólida.

Filtra a gordura Acondiciona a gordura em bombonas de plástico, que são identificadas por lote, de acordo com a demanda dos clientes Pode fazer aproveitamento do murumuruzeiro para obter outros produtos.

Utiliza as folhas para cobertura de casas Produz artesanato com as fibras extraídas das folhas – como redes, mantas e sacolas – e com os cocos, tais como anéis, pulseiras e colares Comercializa a gordura semissólida e os demais produtos, negociando os preços.

Conserva a limpeza e a organização dos locais de trabalho Mantém ferramentas, utensílios e instrumentos de trabalho limpos, organizados, acondicionados e em plenas condições de uso e funcionamento Faz a conservação de máquinas e equipamentos e providencia o serviço para sua manutenção.

Executa práticas para mitigar danos ambientais, como deixar uma quantidade de frutos no local da coleta, para alimentar a fauna e para assegurar a regeneração natural da espécie Trabalha com segurança, usando equipamentos de proteção individual, como luvas de couro, botas ou sapatos fechados Pode prestar primeiros socorros.

Funções do cargo

O funcionário CBO 6323-45 deve demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho dessas profissões

Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos trabalham predominantemente em silvicultura, exploração florestal, agricultura, pecuária e serviços relacionados a essas atividades. O trabalho é desenvolvido em equipe, com supervisão ocasional, a céu aberto, no período diurno. No exercício das atividades, os trabalhadores estão sujeitos a ruídos intensos, altas temperaturas e posição desconfortável por longos períodos. Os trabalhadores da exploração de andiroba, piaçava e coco-da-praia desenvolvem suas atividades em alturas elevadas expondo-os a riscos.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 6323-45

O acesso ao trabalho é livre, sem exigência de escolaridade ou formação profissional.

Atividades exercidas por um Trabalhador da exploração de murumuru CBO 6323-45

Um Trabalhador da exploração de murumuru (ou sinônimo) deve suportar trabalhos em alturas elevadas, apresentar resistência física, demonstrar concentração em manuseio de equipamentos cortantes e máquinas, adaptar-se a ambientes silvestres, apresentar força física para subir em árvores.

Cargos e salários CBO 6323-45 - Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos

Salário Trabalhador da Exploração de Murumuru

Trabalhador da Exploração de Murumuru: Brasil

  • 0
  • Brasil
  • 0 - 0
  • 0h
O profissional no cargo de Trabalhador da Exploração de Murumuru CBO 6323-45 trabalhando no Brasil, ganha entre 0 e 0 para uma jornada de trabalho média de 0h semanais de acordo com dados salariais de 0 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 6323-45.