Trabalhador na Formação de Pastagem - Salário, O Que Faz, Piso Salarial 2024

R$ 1.699,30/mês

Atualizado em

Hoje um Trabalhador na Formação de Pastagem ganha em média R$ 1.699,30 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais de acordo com pesquisa do Portal Salario junto a dados de 396.871 profissionais admitidos e desligados em regime CLT nos últimos 12 meses divulgados pelo Novo CAGED.

Em 2024 a remuneração para Trabalhador na Formação de Pastagem pode variar entre o piso salarial mínimo de R$ 1.652,89 e o teto salarial de R$ 2.906,81, dependendo do segmento da empresa, localidade, formação, experiência na função e política de cargos e salários da empresa.

Você pode conferir logo abaixo na tabela salarial, mais dados da pesquisa como piso salarial 2024, salário mediana, salário por hora, mensal e anual para saber exatamente quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem.

Tópicos dessa pesquisa salarial:

Perfil Profissional

De acordo com nosso levantamento o perfil profissional mais recorrente é o de um trabalhador com 23 anos, ensino médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h semanais em empresas do segmento de Criação de bovinos para corte de todo o Brasil.

A cidade com mais ocorrências de contratações no estado e por consequência com mais vagas de emprego para Trabalhador na Formação de Pastagem é Petrolina , PE.

Metodologia

Essa pesquisa salarial leva em consideração somente o salário base de Trabalhador na Formação de Pastagem, não entram no cálculo nenhum adicional salarial como bônus, comissões, horas extras, adicional noturno, periculosidade, insalubridade nem nada do tipo. Somente o salário base registrado em carteira e no contrato de trabalho entram na amostragem.

Os dados salariais são atualizados mensalmente de acordo com divulgação dos dados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O que faz um Trabalhador na Formação de Pastagem CBO 6210-05

O Trabalhador na Formação de Pastagem prepara e nivela o solo para o plantio Identifica e supre as necessidades de nutrientes e de adubos Realiza plantio de sementes e mudas.

Irriga a plantação Monitora o aparecimento de doenças, plantas invasoras e pragas nos cultivos Elimina ervas daninhas com máquinas e aplica defensivos agrícolas Colhe a produção agrícola.

Trata animais, seguindo procedimentos sanitários Pesa e mede animais Confina, transporta e reveza rebanhos.

Cuida da reprodução de animais, selecionando reprodutores e matrizes e organizando cruzamentos Providencia a inseminação de animais Auxilia nos partos Controla peso e medida de animais recém-nascidos.

Registra dados de cobertura e parição de animais Vacina animais Identifica doenças, ministrando medicamentos prescritos por veterinários Alimenta os animais, preparando silagem e outros elementos nutricionais Abate animais.

Beneficia produtos agropecuários - defumados, derivados do leite e da carne e da produção vegetal -, trabalhando no preparo da matéria-prima e na elaboração dos produtos Executa embalagem, rotulagem e armazenagem dos produtos Organiza e transporta a produção, para comercialização.

Pode dirigir veículos e operar equipamentos, máquinas e implementos próprios da mecanização agrícola Realiza construções e manutenções na propriedade, reformando estradas de acesso, construindo caixas dágua, reformando cercas e montando instalação hidráulica Constrói, repara e pinta instalações.

Realiza limpeza de áreas e instalações Conserva e realiza pequenos reparos em máquinas, equipamentos e ferramentas Controla e registra dados da produção agrícola, da pecuária e do beneficiamento de produtos agropecuários.

Inventaria o rebanho, contando e identificando os espécimes.

Algumas funções no exercício da profissão

  • tratar animais;
  • demonstrar competências pessoais;
  • organizar produtos agropecuários para comercialização;
  • preparar solo para plantio;
  • manejar Área de cultivo;
  • beneficiar produtos agropecuários;
  • cuidar da reprodução de animais;
  • efetuar manutenção na propriedade;
  • irrigar plantação;
  • ferrar animais;
  • colher produção;
  • consertar instalações elétricas;
  • covear solo;
  • transportar produtos;
  • construir barragens para plantio;
  • vacinar animais;
  • esterilizar material de beneficiamento;
  • moer matéria-prima;
  • desinfetar material de vacinação, reprodução e cirúrgico;
  • ver mais...

Salário de Trabalhador na Formação de Pastagem CBO 6210-05 - Série histórica

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem por região do Brasil

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem nas principais cidades

Clique em uma cidade para ver a pesquisa salarial completa para Trabalhador na Formação de Pastagem na localidade
Cidade Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
44 1.367,17 1.405,55 2.124,11 6,40 6.159
44 1.637,08 1.683,04 2.543,47 7,65 4.371
44 1.337,15 1.374,70 2.077,48 6,25 3.686
44 1.342,45 1.380,14 2.085,71 6,28 2.978
44 1.468,63 1.509,86 2.281,75 6,88 2.548
44 1.534,27 1.577,35 2.383,73 7,17 2.465
44 1.325,22 1.362,42 2.058,94 6,20 2.224
44 1.828,92 1.880,27 2.841,52 8,55 2.052
44 1.521,29 1.564,01 2.363,57 7,11 2.042
44 1.473,47 1.514,84 2.289,27 6,89 1.869
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada uma das cidades da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outras cidades além dessas utilize a Busca Salarial.

Tabela salarial para Trabalhador na Formação de Pastagem

Tabela salarial referentes ao salário base do cargo e na remuneração por períodos
Período Salário Mensal Salário Anual Salário Semanal Salário/Hora
Piso Salarial 1.653 19.835 413 7,56
Média Salarial 1.699 20.392 425 7,78
1º Quartil 1.390 16.681 348 6,36
Salário Mediana 1.537 18.444 384 7,03
3º Quartil 2.217 26.602 554 10,14
Teto Salarial 2.907 34.882 727 13,30
  • Piso Salarial: Média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Trabalhador na Formação de Pastagem negociados por sindicatos e registrados no MTE;
  • Média Salarial: A soma de todos os salários dividido pelo total de salários de profissionais CBO 6210-05 da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;
  • 1° Quartil: Primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Salário Mediana: Mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. o cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;
  • 3º Quartil: Cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Teto Salarial: Corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

Demanda no mercado de trabalho para o cargo

Trabalhador na Formação de Pastagem é um cargo que está em baixa no mercado de trabalho brasileiro nos últimos meses.

No comparativo entre os meses de Maio de 2023 e Abril de 2024, tivemos uma queda de 1.2% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Dentro da pesquisa, logo abaixo, você pode conferir um gráfico completo mês a mês com o número de contratações e demissões de Trabalhador na Formação de Pastagem CBO 6210-05 pelo mercado de trabalho brasileiro segundo levantamento estatístico do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web nos últimos 12 meses.

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem por estado

Clique em um estado para ver a pesquisa salarial completa para Trabalhador na Formação de Pastagem na localidade
UF Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
44 1.728,47 1.777,00 2.685,45 8,11 80.184
43 1.548,97 1.592,47 2.406,58 7,33 78.302
44 1.749,49 1.798,61 2.718,11 8,21 37.532
44 1.805,30 1.855,99 2.804,83 8,47 27.095
44 1.801,59 1.852,18 2.799,07 8,46 24.152
44 1.729,57 1.778,14 2.687,17 8,10 23.629
44 1.380,37 1.419,13 2.144,63 6,49 23.428
44 1.956,79 2.011,73 3.040,19 9,16 21.781
44 1.507,47 1.549,80 2.342,11 7,11 10.692
43 1.394,00 1.433,14 2.165,81 6,63 10.233
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada um dos estados da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outros estados além desses utilize a Busca Salarial.

Tipos de empresas que mais contratam

Salários por setores de empresas
CNAE Segmento da Empresa Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial
0151-2/01 Criação de bovinos para corte 1.774,28 1.824,10 2.756,63
0115-6/00 Cultivo de soja 1.808,98 1.859,78 2.810,55
0151-2/02 Criação de bovinos para leite 1.624,78 1.670,40 2.524,36
0134-2/00 Cultivo de café 1.788,00 1.838,21 2.777,95
0161-0/99 Atividades de apoio à agricultura 1.580,45 1.624,83 2.455,49
0161-0/03 Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita 1.507,26 1.549,58 2.341,77
0113-0/00 Cultivo de cana-de-açúcar 1.616,06 1.661,44 2.510,82
0132-6/00 Cultivo de uva 1.379,43 1.418,17 2.143,18
0111-3/02 Cultivo de milho 1.786,57 1.836,74 2.775,73
0119-9/99 Cultivo de outras plantas de lavoura temporária 1.543,63 1.586,97 2.398,28
CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Para ver a pesquisa salarial completa para o segmento, clique nas empresas da lista. Para ver outros segmentos e pesquisas em estados e cidades específicas, utilize a nossa Pesquisa Salarial e filtre a busca por CNAE.

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem concursado

Profissionais com ensino médio completo contratados para exercer o cargo de Trabalhador na Formação de Pastagem também podem almejar um emprego público através de concurso.

O salário de Trabalhador na Formação de Pastagem concursado é de R$ 1.981,85 para uma jornada de 42 horas semanais, segundo dados de 54 profissionais contratados por concúrso público para órgãos municipais, estaduais ou federais.

Sem dúvidas seguir uma carreira concursada de Trabalhador na Formação de Pastagem é uma ótima pedida, já que o salário no setor público é cerca de 14% maior do que a média salarial do setor privado.

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 396.871 profissionais admitidos e desligados. A relação abrange somente Trabalhador na Formação de Pastagem CBO 6210-05 em regime integral de trabalho.

Cálculo de acordo com a carga horária mensal e salário
Total Jornada Ref. Salário Mensal Salário Hora
367.127 44 220 1.706,33 7,76
21.172 40 200 1.596,15 7,98
1.084 42 210 1.523,06 7,25
691 43 215 1.615,69 7,51
498 36 180 1.636,52 9,09
163 22 110 1.525,63 13,87

No Brasil, todo trabalhador contratado com carteira assinada, ou seja, numa relação de emprego, tem a jornada de trabalho estipulada no contrato de trabalho. A lei exige que fique clara, por escrito, a duração do trabalho que esse profissional terá de cumprir.

Salários por nível profissional e porte da empresa

Metodologia: Salários de 193.565 profissionais demitidos pelas empresas.
Porte da Empresa Nível I Nível II Nível III
Micro 1.751,08 1.867,26 2.068,79
Pequenas 1.698,34 1.814,52 2.016,05
Médias 1.669,28 1.785,46 1.986,99
Grandes Empresas 1.618,60 1.734,78 1.936,31
  • *Trabalhador na Formação de Pastagem Nível I: até 4 anos;
  • *Trabalhador na Formação de Pastagem Nível II: de 4 a 6 anos;
  • *Trabalhador na Formação de Pastagem Nível III: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

Quanto ganha um aprendiz de Trabalhador na Formação de Pastagem

Em um total de 209 aprendizes contratados e demitidos durante o período da pesquisa, o salário médio de um aprendiz no cargo de Trabalhador na Formação de Pastagem é de R$ 910,10 para uma jornada de trabalho de cerca de 24 horas semanais.

Quanto ganha um Trabalhador na Formação de Pastagem PCD

Num levantamento com 530 salários de Trabalhadores agropecuários em geral PCDs - Pessoas Com Deficiência no cargo de Trabalhador na Formação de Pastagem, a média salarial em todo o Brasil é de R$ 1.561,15 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.

O salário médio aqui mostrado não difere o tipo de deficiência do trabalhador, podendo esta ser permanente, ou até mesmo um trabalhador readaptado que retorna de afastamento do trabalho pelo INSS.

Gráficos de pesquisa

Simulador de gastos da empresa com o salário mensal de um Trabalhador na Formação de Pastagem

  • Salário Base: R$ 1.699,30
  • Salário-educação (3%): R$ 50,98
  • Sistema S (2%): R$ 33,99
  • INSS Patronal (20%): R$ 339,86
  • RAT - Risco Ambiental do Trabalho (1%): R$ 16,99
  • FGTS (8%): R$ 135,94
  • Férias 1/12: R$ 141,61
  • Auxílio Transporte: R$ 220,00
  • Auxílio Alimentação: R$ 440,00
  • Adicional Noturno (20%): R$ 339,86
  • Periculosidade (30%): R$ 509,79
  • Insalubridade (20%): R$ 288,00
  • Plano de Saúde: R$ 300,00
  • 1/3 de Férias: R$ 47,20
  • 13º Salário: R$ 141,61
  • FGTS sobre Férias: R$ 11,33
  • FGTS sobre 1/3 de Férias: R$ 3,78
  • FGTS sobre 13º: R$ 11,33
  • Aviso Prévio: R$ 141,61
  • FGTS sobre Aviso Prévio: R$ 11,33
  • Multa Rescisória FGTS: R$ 141,61

Os valores referem-se somente a uma simulação de gastos mensais proporcionais e médios do mercado de trabalho. Alguns benefícios não são pagos ao mesmo tempo. Procure seu contador para maiores detalhes.

Fique por dentro dos seus direitos trabalhistas

Gostou da pesquisa e deseja utilizá-la?

Toda essa pesquisa salarial para Trabalhador na Formação de Pastagem pode ser utilizada para fins acadêmicos, empresariais estratégicos e matérias em portais, sites, blogs e redes sociais desde que seja citada a fonte com um link para o site Salario.com.br.

Ainda tem dúvidas sobre a origem dos dados salariais do Salario.com.br? Leia aqui e veja também onde os dados do Salario.com.br estão sendo utilizados.

Salário e mercado de trabalho para Trabalhador na Formação de Pastagem