CBO 7681-15 - Tricoteiro, à mão - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas

O profissional no cargo de Tricoteiro, à mão CBO 7681-15 realiza confecção manual de peças em tricô – tais como blusas, mantas, sapatinhos para bebês, almofadas decorativas, entre outras -, selecionando agulhas de tricô e linhas, escolhendo tipos de ponto, entrelaçando linha nas agulhas, de acordo com receita ou diagrama, e fazendo acabamento das peças Verifica a qualidade das peças tricotadas, examinando dimensões, modelos e padronagens.

Planeja as atividades, interpretando diagramas ou receitas de peças em tricô Faz divulgação e venda dos produtos, providenciando embalagem e entrega a cliente Pode realizar pesquisas sobre modelos, texturas e colorações de peças em tricô.

Cumpre procedimentos técnicos e de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção contra incêndios e de preservação ambiental

CBO 7681-15 é o Código Brasileiro da Ocupação de trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas que pertence ao grupo dos trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Tricoteiro, à mão, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas CBO 7681-15 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 7681-15

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
    • Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas.
      • Trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas.

O que faz um Tricoteiro, à mão

O Tricoteiro, à mão CBO 7681-15 planeja as atividades, interpretando diagramas ou receitas de peças em tricô Verifica medidas, modelo, padronagem e outras informações sobre a peça a ser confeccionada.

Organiza o espaço de trabalho.

Pode produzir sob demanda, definindo prazo para entrega da encomenda e calculando preço para cliente Pode consultar revistas especializadas e acessar endereços da Internet, para efetivar pesquisas sobre novos modelos, novas texturas e colorações diferenciadas de peças em tricô.

Seleciona agulhas de tricô, feitas de madeira, alumínio, plástico, acrílico, fibras de carbono ou outro material Escolhe o estilo das agulhas, optando por circular (com duas pontas pontiagudas conectadas por um cabo flexível, para tricotar peças redondas) ou reta.

Define o diâmetro das agulhas a serem utilizadas no trabalho, com base no estilo da peça e no uso de linha mais grossa ou mais fina.

Utiliza agulhas nas dimensões apropriadas ao ponto e à espessura da linha Seleciona linhas para o trabalho, de uma ou mais cores.

Escolhe tipo(s) de ponto - tais como ponto tricô, ponto meia, ponto arroz, ponto barra, ponto cordão ou musgo, ponto mate simples, entre outros -, de acordo com a peça a ser tricotada.

Confecciona peça em tricô, entrelaçando a linha nas agulhas, conforme receita ou diagrama e tipo(s) de ponto escolhido(s) Faz emendas de linhas, trocando as cores conforme modelo e padronagem da peça Controla as dimensões da peça.

Remata pontos Dá acabamento à peça, costurando as diversas partes que a compõem e fazendo arremates Controla a qualidade da peça produzida, examinando suas dimensões, seu modelo e sua padronagem, em relação à encomenda feita, ao diagrama e à receita.

Comercializa as peças tricotadas, definindo seus preços a partir do cálculo do custo Faz divulgação, inclusive apresentando fotos dos produtos em redes sociais.

Pode realizar a comercialização por meio de cooperativas ou outra forma de associativismo Negocia preços com clientes Providencia embalagem e entrega das peças produzidas.

Controla o estoque de linhas, agulhas e demais materiais, realizando compra para reposição Conserva o local de trabalho limpo e organizado Acondiciona linhas, agulhas e outros materiais utilizados.

Seleciona resíduos para reaproveitamento e faz descarte dos demais, seguindo os procedimentos apropriados para proteção do meio ambiente Segue procedimentos de saúde e segurança, observando princípios básicos de ergonomia e prevenindo acidentes.

Funções do cargo

O funcionário CBO 7681-15 deve operar a urdideira - gaiola, comercializar produtos da tecelagem manual, tecer tecidos, demonstrar competências pessoais, operar tear, confeccionar peças de crochê, confeccionar peças de tricô.

Condições de trabalho dessas profissões

Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas os trabalhadores dessa família ocupacional atuam em setores ligados à fabricação de produtos têxteis e preparação de couros, fabricação de artefatos de couro, artigos de viagem e calçados. São profissionais autônomos ou empregados. Podem trabalhar individualmente ou em pequenos grupos, com total autonomia. Têm como local de trabalho ambientes fechados e horários irregulares. Freqüentemente trabalham em posições desconfortáveis, por períodos longos, expostos a materiais tóxicos, ruídos e pêlos.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 7681-15

A escolaridade desejável para acessar as ocupações de chapeleiro, redeiro, tecelão e tricoteiro é a formação mínima do ensino fundamental. Os crocheteiros e tecelões de tapetes têm, em geral, o ensino médio incompleto. Esses trabalhadores necessitam de cursos básicos de qualificação profissional com até duzentas horas-aula que podem ser ministrados em escolas especializadas ou por pessoas mais experientes, no próprio local de trabalho. A experiência profissional pode variar entre menos de um ano até quatro anos de atuação, dependendo da ocupação. São, majoritariamente, profissionais que se organizam de forma individual no trabalho com total autonomia de suas funções.

Atividades exercidas por um Tricoteiro, à mão CBO 7681-15

Um Tricoteiro, à mão (ou sinônimo) deve rematar pontos, confeccionar amostras, divulgar produtos para comercialização, definir custos das peças, demonstrar habilidade, montar pontos na agulha, definir quantidade de pontos de acordo com a peça, laçar linhas, confeccionar o molde da peça, selecionar modelos, linhas e agulhas, providenciar entrega de peças, trocar as linhas de acordo com modelos, definir tipo de tricô, negociar preço com clientes, criar criatividade, entrelaçar fios, embalar peças, fixar fios com nós, entrelaçar a linha na agulha conforme tipos de pontos, demonstrar paciência, selecionar materiais - fios, agulhas, linhas, navete, palheta, definir o início da confecção de peças, persistir, unir fios conforme cores.

Cargos e salários CBO 7681-15 - Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas

Salário Tricoteiro À Mao

Tricoteiro À Mao: Brasil

  • 17
  • Brasil
  • 1.840 - 3.035
  • 42h
O profissional no cargo de Tricoteiro À Mao CBO 7681-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.840 e 3.035 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 17 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7681-15.
Salário Tricotador

Tricotador: Brasil

  • 17
  • Brasil
  • 1.840 - 3.035
  • 42h
O profissional no cargo de Tricotador CBO 7681-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.840 e 3.035 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 17 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7681-15.
Salário Tricoteiro

Tricoteiro: Brasil

  • 17
  • Brasil
  • 1.840 - 3.035
  • 42h
O profissional no cargo de Tricoteiro CBO 7681-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.840 e 3.035 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 17 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7681-15.