CBO 3412-25 - Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 3412-25 é o Código Brasileiro da Ocupação de técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés que pertence ao grupo dos técnicos em navegação aérea, marítima e fluvial, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés CBO 3412-25 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 3412-25

  • Técnicos de nível médio.
    • Técnicos de nível médio em serviços de transportes.
      • Técnicos em navegação aérea, marítima e fluvial.
        • Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés.

Descrição dos cargos da categoria Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés

Os Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés CBO 3412-25 navegam, atracam e desatracam embarcações, gerenciam tripulação, operam equipamentos de embarcação, monitoram carga e descarga da embarcação e controlam embarque e desembarque de passageiros. Registram dados da embarcação, supervisionam manutenção de embarcações, administram recursos materiais e financeiros, administram sinalização náutica e executam os serviços de sinalização náutica.

Condições de trabalho

Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés os cargos dessa família CBO exercem suas funções em empresas de transporte aquaviário, de navegação marítima ou fluvial, indústria da pesca ou de atividades anexas e auxiliares do transporte. São contratados na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Organizam-se na forma de trabalho hierarquizado e trabalham em ambientes a céu aberto. Em algumas ocupações, os profissionais desenvolvem suas atividades com supervisão permanente, em outras, com supervisão ocasional. Trabalho presencial e em algumas ocupações em horários irregulares. Trabalham em posições desconfortáveis durante longos períodos, estão sujeitos a estresse constante e à ação de ruído intenso, vibração e movimento da embarcação em outras ocupações não. Em algumas ocupações atuam, ainda, na condição de trabalho confinado.

Exigências do mercado de trabalho

Essas ocupações são exercidas por pessoas com escolaridade de ensino fundamental concluído, acrescida de curso básico de qualificação com mais de quatrocentas horas em outras ocupações com curso técnico (em nível de ensino médio ou 2 grau completo). O exercício pleno das atividades ocorre após cinco anos de experiência profissional.

Funções dos Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés CBO 3412-25

Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés devem:

  • navegar embarcações;
  • monitorar carga e descarga de embarcação;
  • gerenciar tripulação;
  • atracar e desatracar embarcações;
  • demonstrar competências pessoais;
  • administrar recursos materiais e financeiros;
  • supervisionar manutenção de embarcação/sinais náuticos;
  • registrar dados da embarcação/sinais náuticos;
  • operar equipamentos de embarcação;
  • Atividades dos cargos CBO 3412-25

    Entre as principais atribuições dos Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés CBO 3412-25 estão as de:

    • orientar tripulação sobre questões ambientais;
    • aplicar advertências e demais punições;
    • escriturar diário de navegação;
    • redigir atas de reuniões;
    • simular situações adversas para treinamento de tripulação;
    • verificar documentação de cargas;
    • analisar condições de vento;
    • fiscalizar condições de conservação de embarcação;
    • solicitar serviços de reparos;
    • preencher livro de carga;
    • inventariar materiais;
    • monitorar condições do navegabilidade;
    • verificar condições de porões de carga;
    • operar sonar;
    • solicitar serviços de apoio portuário;
    • acionar equipamentos de auxílio à navegação;
    • acionar luzes regulamentares de embarcação;
    • requisitar materiais;
    • preencher rol de tripulação (rol de equipagem);
    • manobrar embarcações;
    • fiscalizar reparos realizados a bordo;
    • manifestar capacidade de autocontrole;
    • guarnecer passadiço;
    • liderar tripulação;
    • escriturar diário de comunicação;
    • preencher mapa de bordo para o ibama;
    • organizar documentação de embarcação e carga;
    • rebocar embarcações;
    • treinar novatos;
    • monitorar condições de conservação de pescados;
    • atualizar cartas e publicações náuticas;
    • tomar decisões em condições desfavoráveis;
    • comprar insumos;
    • monitorar disposição de cargas;
    • pagar tripulação;
    • preencher documentação de despacho de lixo;
    • manifestar paciência na execução de atividades;
    • analisar condições de profundidade;
    • fiscalizar condições de equipamentos de convés;
    • analisar condições de tráfego de embarcações;
    • monitorar calado de embarcação;
    • operar equipamentos de combate a incêndio e salvatagem;
    • emitir documentação de entrada, saída e permanência no porto;
    • traçar derrota de navegação;
    • orientar tripulação sobre condições e atos inseguros;
    • emitir notificação de prontidão de embarcação;
    • trabalhar em equipe;
    • operar equipamentos de orientação para posicionamento geográfico;
    • divulgar normas e regulamentos;
    • relatar posição de embarcação e hora estimada de chegada;
    • classificar cargas;
    • determinar horário de trabalho;
    • trabalhar em condições adversas;
    • trocar informações com estação de apoio;
    • orientar utilização de equipamentos de proteção individual;
    • fiscalizar equipamentos de combate a incêndio e salvatagem;
    • fiscalizar compartimentos habitáveis de embarcação;
    • divulgar informações sobre saúde;
    • requisitar combustível, lubrificantes e água;
    • acionar seção de máquinas, para atracação e desatracação;
    • expressar-se oralmente;
    • adaptar-se ao movimento da embarcação;
    • operar piloto automático;
    • compartilhar espaços comuns;
    • operar ecossondador (ecossonda);
    • orientar tripulação para situações de emergência;
    • requisitar provisões de alimentos;
    • designar pessoal para carregamento e descarregamento;
    • verificar peação de cargas;
    • verificar condições de cargas;
    • trabalhar em condições de isolamento social;
    • analisar condições de visibilidade;
    • distribuir tarefas para guarnição;
    • analisar condições de maré;
    • administrar custeio de bordo;
    • guarnecer timão;
    • fiscalizar dotação de material para contenção de poluentes;
    • operar equipamentos de comunicação;
    • informar unidade receptora sobre características de cargas;

    Cargos e salários CBO 3412-25 - Técnicos marítimos, fluviários e pescadores de convés

    Salário Patrão de Pesca na Navegação Interior

    Patrão de Pesca na Navegação Interior: Brasil

    • 160
    • Brasil
    • 3.27 - 5.684
    • 43h
    O profissional no cargo de Patrão de Pesca na Navegação Interior CBO 3412-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.27 e 5.684 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 160 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3412-25.