CBO 2263-15 - Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 2263-15 é o Código Brasileiro da Ocupação de profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas que pertence ao grupo dos profissionais de saúde em praticas integrativas e complementares, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas CBO 2263-15 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2263-15

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.
      • Profissionais de saúde em praticas integrativas e complementares.
        • Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas.

Descrição dos cargos da categoria Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas

Os Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas CBO 2263-15 realizam atendimento terapêutico em pacientes, clientes e praticantes utilizando programas, métodos e técnicas específicas de arteterapia, musicoterapia, equoterapia e naturologia. Atuam na orientação de pacientes,interagentes, clientes, praticantes, familiares e cuidadores. Desenvolvem programas de prevenção, promoção de saúde e qualidade de vida. Exercem atividades técnico-científicas através da realização de pesquisas, trabalhos específicos, organização e participação em eventos científicos.

Condições de trabalho

Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas os cargos dessa família CBO exercem suas funções em setores cujas atividades referem-se a saúde e serviços sociais, educação e desportiva. De modo geral atuam por conta própria, na condição de autônomos, de forma individual ou em grupos, sem supervisão permanente. Atuam em ambientes fechados no caso do Arteterapeuta, Musicoterapeuta, Naturólogo, e em ambientes abertos no caso do Equoterapeuta. Arteterapeuta, Musicoterapeuta e Equoterapeuta trabalham no período diurno. No caso dos Naturólogos os horários de trabalho são irregulares.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício da ocupação Musicoterapeuta, é exigida graduação ou especialização na área. Para o exercício da ocupação Arteterapeuta, é exigida formação superior em saúde, educação ou saúde além de pós- graduação ou especialização na área. Para o exercício da ocupação Equoterapeuta, é exigida formação superior em saúde ou em educação, além de, no mínimo, cursos de capacitação de 80(oitenta) horas e experiência de 1(um) ano em equoterapia e equitação. Para o exercício da ocupação Naturólogo é exigida graduação na área.

Funções dos Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas CBO 2263-15

Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas devem:

  • trabalhar com segurança;
  • avaliar condições de clientes/pacientes/usuários/praticantes/interagentes t/interagente icantes;
  • executar atividades técnico-científicas e administrativas;
  • realizar atendimento terapêutico;
  • demonstrar competências pessoais;
  • realizar planejamento terapêutico;
  • analisar evolução terapêutica;
  • orientar clientes/pacientes/usuários/familiares/cuidadores/interagentes;
  • comunicar-se;
  • Atividades dos cargos CBO 2263-15

    Entre as principais atribuições dos Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas CBO 2263-15 estão as de:

    • utilizar protocolos de avaliação;
    • supervisionar equipes técnicas (estagiários, outros profissionais);
    • higienizar materiais;
    • demonstrar escula acolhedora;
    • organizar grupos terapêuticos;
    • estabelecer vínculo cavalo-praticante-mediador (aproximação);
    • selecionar material terapêutico;
    • analisar interação praticante-cavalo;
    • demonstrar criatividade;
    • participar de reuniões com equipes multidisciplinares;
    • implantar projetos e programas;
    • solicitar avaliação de outros profissionais;
    • contornar situações adversas;
    • avaliar condições sensorio-motoras, cognitivas e emocionais;
    • demonstrar objetividade;
    • selecionar programas, métodos e técnicas equoterapêuticos;
    • demonstrar raciocínio transdisciplinar;
    • demonstrar empatia;
    • gerenciar recursos financeiros;
    • usar epi;
    • realizar sessões temáticas;
    • estabelecer critérios de alta;
    • verificar compreensão da orientação;
    • demonstrar raciocínio clínico;
    • estabelecer critérios de observação;
    • estabelecer vínculo;
    • estabelecer diagnóstico;
    • conferir condições dos materiais;
    • realizar estimulação multissensorial;
    • encaminhar pacientes/clientes/usuários/interagentes a outros profissionais;
    • adequar planejamento terapêutico;
    • demonstrar capacidade de comunicação não verbal;
    • realizar conservação dos materiais de encilhamento;
    • estimular autonomia e independência;
    • discutir casos com equipe multidisciplinar;
    • organizar eventos técnico-científicos;
    • adequar material;
    • elaborar relatórios;
    • orientar atividades de vida diária;
    • demonstrar flexibilidade;
    • coordenar serviços (saúde, educação, etc.);
    • observar comportamento do cavalo;
    • analisar envolvimento do indivíduo com processo terapêutico;
    • elaborar produções técnico-científicas;
    • definir objetivos de atendimento terapêutico;
    • treinar cavalo;
    • selecionar cavalo;
    • realizar pesquisas;
    • emitir laudos e pareceres;
    • aplicar atividades equoterapias;
    • definir estratégias de atendimento terapêutico;
    • estabelecer indicadores de resultados;
    • observar sinais de mudanças;
    • aplicar instrumentos de avaliação;
    • estimular alinhamento biomecânico do praticante;
    • avaliar relação com cavalo;
    • realizar anamnese;
    • gerenciar recursos humanos;
    • identificar indicações e contraindicações relativas;
    • estabelecer contrato terapêutico;
    • realizar visitas domiciliares e a instituições;
    • orientar mudanças de hábitos e comportamentos;
    • atuar em programas de educação;
    • estabelecer número, duração e frequência de sessões;
    • registrar dados de atendimento;
    • definir prioridades no atendimento;
    • produzir material informativo;
    • elaborar processo de alta;
    • coordenar projetos e programas;
    • demonstrar capacidade de liderança;
    • esclarecer dúvidas;
    • demonstrar habilidade de manejo, equitação e relacionamento com cavalo;
    • definir equipe de atendimento;
    • estabelecer plano terapêutico;
    • realizar prognóstico;
    • participar de diagnóstico diferencial;
    • trabalhar em equipe;
    • observar aspectos multidimensionais da saúde;
    • selecionar material de encilhamento;
    • participar de treinamentos de segurança;
    • sugerir exames complementares;
    • analisar exames complementares;
    • informar riscos / limites inerentes ao tratamento;
    • definir tipo de atendimento (individual ou em grupo);
    • demonstrar dinamismo;
    • estimular adesão e continuidade ao tratamento;
    • avaliar condições gerais de clientes/pacientes/usuários/praticantes/interagente;
    • realizar exame clínico;
    • realizar avaliação do contexto sociocultural;
    • prestar consultorias e assessorias;
    • participar de eventos técnico-científicos;
    • escolher ambiente terapêutico;
    • analisar riscos do uso de material terapêutico;
    • demonstrar procedimentos e rotinas;
    • envolver familiares, cuidadores e educadores no processo terapêutico;
    • preparar ambiente terapêutico;
    • elaborar projetos e programas;
    • verificar paramentação do praticante;
    • propor atividades;
    • atuar em programas sociais;
    • elaborar ficha terapêutica;
    • analisar perfil da comunidade;
    • observar desenvolvimento bio-psicossocial;
    • demonstrar organização;
    • adequar técnicas;
    • demonstrar equilíbrio emocional;
    • implementar programas de prevenção e promoção da saúde;
    • demonstrar atenção difusa e focada;
    • desenvolver novas tecnologias;
    • compartilhar informações com outros profissionais;
    • realizar devolutiva;
    • ministrar cursos e palestras;
    • demonstrar perseverança;
    • analisar laudos e pareceres de outros profissionais;

    Cargos e salários CBO 2263-15 - Profissionais das terapias criativas,equoterápicas e naturológicas

    Salário Equoterapeuta

    Equoterapeuta: Brasil

    • 25
    • Brasil
    • 2.719 - 6.379
    • 31h
    O profissional no cargo de Equoterapeuta CBO 2263-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.719 e 6.379 para uma jornada de trabalho média de 31h semanais de acordo com dados salariais de 25 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2263-15.