CBO 2251-51 - Médico anestesiologista - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos médicos clínicos

O profissional no cargo de Médico anestesiologista CBO 2251-51 atua para proporcionar aos pacientes um estado de ausência de dor e de relaxamento durante cirurgias ou exames (diagnósticos e terapêuticos), realizando processos de avaliação de pacientes, escolha da técnica anestésica adequada, administração da anestesia, vigilância e manutenção dos sinais vitais (respiração, circulação e outros) durante procedimentos, e recuperação dos efeitos da anestesia Pode atender pacientes que sofrem com dores persistentes, controlando dor aguda e participando de equipe multiprofissional no tratamento de dor crônica.

Supervisiona equipes Mantém-se atualizado em sua área de atuação Efetua pesquisas na área de anestesiologia.

Atua com base em princípios de ética profissional Cumpre procedimentos, normas técnicas, normas higiênico-sanitárias e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de biossegurança e de preservação ambiental

CBO 2251-51 é o Código Brasileiro da Ocupação de médicos clínicos que pertence ao grupo dos profissionais das ciências biológicas, da saúde, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Médico anestesiologista, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Médicos clínicos CBO 2251-51 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2251-51

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Médicos clínicos.
      • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.

O que faz um Médico anestesiologista

O Médico anestesiologista CBO 2251-51 prepara o processo de anestesia para cirurgias de grande, médio e pequeno portes e de alta, média e baixa complexidades Conversa com médico-cirurgião sobre o procedimento cirúrgico a ser realizado, levantando o tipo de operação, o tempo previsto de duração, entre outras informações.

Faz entrevista com paciente, em que coleta dados sobre hábitos, problemas de saúde – principalmente se tem, ou já teve, doenças como asma, diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca ou infarto do miocárdio, remédios que toma, reações alérgicas a medicamentos, e experiências anteriores com o uso de anestésicos.

Analisa os resultados dos exames pré-operatórios feitos a partir dos dados coletados, avalia se o paciente está apto a receber anestesia.

Seleciona o anestésico a ser utilizado, de acordo com o tempo e o tipo de operação e com as condições físicas e emocionais de paciente No caso de duas ou mais opções tecnicamente possíveis, pode apresentar as vantagens e as desvantagens de cada alternativa para paciente, para que decidam juntos que tipo de anestesia será administrada.

Antes da operação, presta informações sobre a anestesia para paciente.

Esclarece se utilizará anestesia geral (para o corpo todo) ou parcial (quando apenas a região ou o local do corpo é anestesiado) Avisa que a anestesia dura o tempo necessário para que o médico-cirurgião faça seu trabalho, prolongando ainda seu efeito durante tempo variável após o procedimento.

Previne que - na noite anterior e cerca de uma hora antes da operação - poderá receber comprimido ou injeção de sedativo, com efeito durante o transporte e a chegada à sala de operações.

Responde às questões feitas por paciente e familiares, para lhes dar mais tranquilidade e segurança Faz a administração da anestesia, para início do procedimento cirúrgico Monitora e mantém os sinais vitais de paciente, controlando pressão arterial, pulso, ritmo cardíaco, respiração, temperatura e outras funções orgânicas durante a operação.

Quando termina a cirurgia, suspende os anestésicos e encaminha paciente para sala de recuperação pós-anestésica Monitora paciente durante o processo de recuperação, prevenindo a ocorrência da sensação da dor e administrando medicamentos necessários de acordo com as condições clínicas da pessoa após operação e conforme o tipo de cirurgia realizada Autoriza que paciente seja levado de volta a seu quarto, quando estiver completamente desperto e recuperado.

Pode, quando necessário, definir os medicamentos que devem ser mantidos e administrados para manter a estabilidade cardiovascular e para prevenir e controlar a dor durante o período de internação do paciente, até a alta hospitalar Administra anestesia para realização de exames diagnósticos e terapêuticos.

Faz avaliação pré-anestésica de paciente, para identificar possíveis riscos, definir metodologia de anestesia mais adequada e tomar as precauções necessárias para evitar intercorrências Acompanha paciente durante todo o procedimento e no período em que permanece na sala de recuperação pós-anestésica Avalia o restabelecimento da consciência e da sensibilidade de paciente.

Pode atender casos de dor persistente associada a patologias - como fibromialgia, endometriose, cefaleias, osteoartrose, entre outras – promovendo o controle da dor aguda e participando de equipe de profissionais da saúde no tratamento de dor crônica Registra os procedimentos executados no prontuário de paciente Supervisiona equipe, avaliando seu desempenho e executando programas de treinamento.

Mantém-se atualizado em sua área de atuação, testando e utilizando novos instrumentos, novos monitores e novas técnicas, para redução dos riscos de acidentes anestésicos ao mínimo possível Realiza pesquisas na área de anestesiologia, adotando método adequado de investigação em temas relacionados à anestesia clínica, à dor e à medicina perioperatória Divulga os resultados da pesquisa em congressos médicos e em revistas científicas.

.

Funções do cargo

O funcionário CBO 2251-51 deve difundir conhecimentos médicos, coordenar programas e serviços em saúde, demonstrar competências pessoais, efetuar perícias, auditorias e sindicâncias médicas, realizar consulta e atendimento médico, implementar ações de promoção da saúde, elaborar documentos médicos, tratar pacientes e clientes.

Condições de trabalho dessas profissões

Médicos clínicos os cargos dessa família CBO exercem suas funções em setores cujas atividades referem-se a saúde e serviços sociais, ensino, pesquisa e desenvolvimento. De modo geral atuam por conta própria, na condição de autônomos, sem supervisão permanente. Organizam- se individualmente e em equipe de trabalho, desenvolvendo as atividades em ambientes fechados, em horários de trabalho irregulares. Exceção feita profissionais que atuam no Programa de Estratégia de Saúde da Família, onde exercem suas funções como empregados, com supervisão ocasional e cumprem carga horária semanal prevista em Portaria específica. Podem trabalhar em posições desconfortáveis durante longos períodos e, devido à natureza e nível de responsabilidade próprio da função, podem estar sujeitos a estresse constante. Em algumas ocupações os profissionais podem estar sujeitos a ação de materiais tóxicos, químicos, radioativos e biológicos.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 2251-51

Essas ocupações são exercidas por profissionais com formação superior em Medicina, credenciados pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). O exercício pleno das funções se dá após o período de um a dois anos de experiência profissional e de três a quatro anos para o médico antroposófico. Para o exercício da função no Programa de Estratégia de Saúde da Família não é necessário experiência anterior.

Atividades exercidas por um Médico anestesiologista CBO 2251-51

Um Médico anestesiologista (ou sinônimo) deve rastrear doenças prevalentes, organizar cursos de educação continuada, descrever ações médicas, reabilitar pacientes e clientes - condições biopsicossociais, executar transplantes de órgãos e tecidos, elaborar documentos de imagem, solicitar exames complementares, praticar psicoterapia, arquivar documentos, elaborar prontuários, guardar órgaõs e tecidos, realizar atendimento em consultório, demonstrar capacidade de preservar sigilo médico, demonstrar capacidade de acolhimento, acompanhar plano terapêutico do usuário, planejar tratamento de clientes e pacientes, executar terapêutica genética, administrar situações de urgência e emergência, supervisionar propedêutica instrumental, avaliar atos médicos, responder quesitos periciais, supervisionar atos médicos, emitir atestados, distribuir tarefas, prestar depoimentos, elaborar relatórios, promover atividades educativas, prescrever tratamento, emitir laudos, elaborar material informativo e normativo, emitir receitas, fiscalizar treinamento médico, demonstrar capacidade de liderança, executar tratamento com agentes químicos, montar escala de serviços, redigir trabalhos científicos, retirar órgãos e tecidos, efetuar necropsias, vistoriar equipamentos e instalações, demonstrar capacidade de tomar decisões, demonstrar tolerância, cultivar órgãos e tecidos, avaliar conhecimento de especialistas, demonstrar capacidade de efetuar atendimento humanizado, organizar encontros científicos, indicar necessidade de internação, elaborar protocolos de condutas médicas, implantar órteses e próteses, praticar procedimentos intervencionais, desenvolver equipamentos, auxiliar normatização de atividades médicas, prescrever medidas higiênico-dietéticas, desenvolver pesquisas em medicina, praticar intervenções clínicas, preparar projetos de pesquisa, demonstrar empatia, demonstrar capacidade de atenção seletiva, realizar diagnóstico de saúde da comunidade, executar tratamento com agentes físicos, divulgar informações em mídia, realizar exame físico, demonstrar altruísmo, estabelecer plano de ações em saúde, emitir pareceres, demonstrar capacidade de adequar linguagem, solicitar interconsultas, realizar propedêutica instrumental, despachar expediente, emitir declarações, examinar documentos médicos, indicar tratamento, monitorar estado de saúde de pacientes hospitalizados, levantar hipóteses diagnósticas, formular quesitos periciais, receitar drogas, medicamentos , fitoterápicos e antroposóficos, especificar insumos, ministrar tratamentos preventivos, promover ações de controle de vetores e zoonoses, supervisionar equipe de saúde, participar de diretorias de associações, entidades de classe e conselhos de saúde, gerenciar recursos financeiros, interpretar dados de exame clínico e exames complementares, selecionar pacientes em situações específicas, implementar medidas de segurança e proteção do trabalhador, estabelecer prognóstico, realizar anamnese, demonstrar capacidade de lidar com situações adversas, executar tratamento com agentes biológicos, prescrever imunização, colher depoimentos, encaminhar usuários a outros profissionais, demonstrar capacidade de interpretar linguagem verbal e não-verbal, assistir parto, participar de encontros, congressos e demais eventos científicos, demonstrar rapidez de percepção, realizar exames complementares, implementar medidas de saúde ambiental, preencher formulários de notificação compulsória, vistoriar ambientes de trabalho, realizar visitas hospitalares, realizar visitas domiciliares, realizar atendimentos de urgência e emergência, selecionar equipe de trabalho, diagnosticar estado de saúde de pacientes e clientes, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, elaborar procedimentos operacionais padrão, implementar medidas de biossegurança, demonstrar imparcialidade de julgamento, promover campanhas de saúde, discutir diagnóstico, prognóstico e tratamento com pacientes, clientes, responsáveis e familiares, demonstrar capacidade de saber ouvir, constituir comissões médico-hospitalares, prestar consultorias e assessorias, desenvolver procedimentos.

Cargos e salários CBO 2251-51 - Médicos clínicos

Salário Médico Anestesista

Médico Anestesista: Brasil

  • 1.150
  • Brasil
  • 7.206 - 15.505
  • 22h
O profissional no cargo de Médico Anestesista CBO 2251-51 trabalhando no Brasil, ganha entre 7.206 e 15.505 para uma jornada de trabalho média de 22h semanais de acordo com dados salariais de 1.150 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.
Salário Médico Anestesiologista

Médico Anestesiologista: Brasil

  • 1.150
  • Brasil
  • 7.206 - 15.505
  • 22h
O profissional no cargo de Médico Anestesiologista CBO 2251-51 trabalhando no Brasil, ganha entre 7.206 e 15.505 para uma jornada de trabalho média de 22h semanais de acordo com dados salariais de 1.150 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.
Salário Anestesiologista

Anestesiologista: Brasil

  • 1.150
  • Brasil
  • 7.206 - 15.505
  • 22h
O profissional no cargo de Anestesiologista CBO 2251-51 trabalhando no Brasil, ganha entre 7.206 e 15.505 para uma jornada de trabalho média de 22h semanais de acordo com dados salariais de 1.150 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.
Salário Anestesista

Anestesista: Brasil

  • 1.150
  • Brasil
  • 7.206 - 15.505
  • 22h
O profissional no cargo de Anestesista CBO 2251-51 trabalhando no Brasil, ganha entre 7.206 e 15.505 para uma jornada de trabalho média de 22h semanais de acordo com dados salariais de 1.150 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.
Salário Anestesista Rio de Janeiro

Anestesista: Rio de Janeiro, RJ

  • 333
  • Rio de Janeiro, RJ
  • 5.147 - 9.094
  • 17h
O profissional no cargo de Anestesista CBO 2251-51 trabalhando em Rio de Janeiro - RJ, ganha entre 5.147 e 9.094 para uma jornada de trabalho média de 17h semanais de acordo com dados salariais de 333 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.
Salário Médico Anestesista Rio de Janeiro

Médico Anestesista: Rio de Janeiro, RJ

  • 333
  • Rio de Janeiro, RJ
  • 5.147 - 9.094
  • 17h
O profissional no cargo de Médico Anestesista CBO 2251-51 trabalhando em Rio de Janeiro - RJ, ganha entre 5.147 e 9.094 para uma jornada de trabalho média de 17h semanais de acordo com dados salariais de 333 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-51.