CBO 2241-30 - Técnico de laboratório e fiscalização desportiva - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos profissionais da educação física

O profissional no cargo de Técnico de laboratório e fiscalização desportiva CBO 2241-30 Desenvolve atividades técnicas de laboratório e fiscalização desportiva, em atividades competitivas institucionalizadas, das diferentes modalidades individuais e coletivas, realizadas conforme técnicas, habilidades, objetivos e regras estabelecidas Identifica necessidades de intervenção e planeja ações, mediante análise e consulta a prontuários e relatórios com dados físicos e técnicos.

Desenvolve treinamentos, prestando orientações sobre regras desportivas e aspectos disciplinares, táticos, técnicos e comportamentais Promove intervenção nos processos competitivos, avaliando o comportamento dos atletas Coordena atividade física e esportiva, integrando comissões e desempenhando papel de interlocução.

Participa de reuniões e ministra cursos e palestras Exerce função pautada em preceitos éticos, de saúde e segurança e biossegurança no trabalho e de preservação ambiental

CBO 2241-30 é o Código Brasileiro da Ocupação de profissionais da educação física que pertence ao grupo dos profissionais das ciências biológicas, da saúde, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Técnico de laboratório e fiscalização desportiva, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Profissionais da educação física CBO 2241-30 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2241-30

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais da educação física.
      • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.

O que faz um Técnico de laboratório e fiscalização desportiva

O Técnico de laboratório e fiscalização desportiva CBO 2241-30 desenvolve atividades técnicas de laboratório e fiscalização desportiva, em atividades competitivas institucionalizadas, realizadas conforme técnicas, habilidades e objetivos definidos pelas modalidades esportivas, determinadas por regras preestabelecidas que lhe dão forma, significado e identidade, podendo ser praticadas com liberdade e finalidade lúdica, realizadas em ambiente diferenciado, como jogos da natureza, radicais, orientação, aventura e outros Cadastra beneficiários e usuários e coleta dados técnicos e físicos.

Planeja ações de intervenção profissional, determina objetivos e os meios e processos das atividades, analisando dados físicos e técnicos dos beneficiários e usuários.

Define indicações e contraindicações para a realização da prática esportiva considerando fatores de risco e necessidades individuais e coletivas, na modalidade objeto da sua especialidade profissional, bem como prescreve, aplica e dirige programas e sessões de treinos específicos Consulta prontuários e relatórios, aplica testes funcionais e presta orientações sobre as regras das modalidades esportivas, as normas de competição nacional e internacional e os aspectos disciplinares, táticos, técnicos, comportamentais, sociais, morais e éticos.

Identifica os espaços e os equipamentos e implementos esportivos, além das regras de arbitragem das modalidades esportivas Coleta dados estatísticos da competição e avalia o comportamento dos atletas.

Verifica a documentação do atleta perante as entidades de administração esportiva e integra comissão técnica como técnico de laboratório e fiscalização desportiva.

Desempenha papel de interlocução e agenda horário e local das atividades, controlando o material necessário para o seu desenvolvimento Participa de reuniões, ministra cursos e palestras, apoia a elaboração de materiais didáticos e manuais técnicos, normas de orientação e de treinamento.

Presta serviços de consultoria, assessoria e auditoria nas modalidades esportivas em que é especialista.

Pode participar, assessorar, coordenar, liderar e gerenciar equipes multiprofissionais de discussão, de definição, de planejamento e de operacionalização de políticas públicas e institucionais nos campos da saúde, do lazer, do esporte, da educação não escolar, da segurança, do urbanismo, do ambiente, da cultura, do trabalho, dentre outros Exerce função pautada nos princípios de respeito à vida, à dignidade, à integridade e aos direitos do indivíduo, de responsabilidade social, de valorização da identidade profissional no campo das atividades físicas, esportivas e similares e de saúde e segurança e biossegurança no trabalho.

Funções do cargo

O funcionário CBO 2241-30 deve orientar atividade física / práticas corporais e exercício físico, identificar necessidades de intervenção profissional, desenvolver treinamento, demonstrar competências pessoais, coordenar atividade física e esportiva, intervir nos processos competitivos, planejar ações de intervenção profissional, comunicar-se.

Condições de trabalho dessas profissões

Profissionais da educação física os profissionais prestam serviços no campo dos exercícios físicos com objetivos educacionais, de saúde e de desempenho esportivo. Podem trabalhar em academias e escolas de esporte, clubes e hotéis, clínicas médicas e fisioterápicas, em atendimentos domiciliares, em órgãos da administração pública direta etc, como empregados com carteira ou como autônomos. Desenvolvem seu trabalho de forma individual, nos mais variados ambientes, em horários irregulares. Em algumas atividades, alguns profissionais podem trabalhar sob condições especiais, p.ex.,em posições desconfortáveis por período prolongado, sob pressão, sujeitos a mudanças climáticas e intempéries.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 2241-30

O exercício das ocupações da família requer formação superior em educação física, com registro no Conselho Regional de Educação Física. No mercado de trabalho, cresce o número de profissionais portadores de cursos de especialização e pós-graduação. O exercício pleno das atividades varia conforme a ocupação, entre um e quatro anos.

Atividades exercidas por um Técnico de laboratório e fiscalização desportiva CBO 2241-30

Um Técnico de laboratório e fiscalização desportiva (ou sinônimo) deve verificar a documentação do atleta perante as entidades de administração esportiva, participar de reuniões, analisar dados físicos e técnicos dos beneficiários/usuários, coletar dados técnicos e físicos, integrar os membros da comissão, avaliar o comportamento dos atletas na competição, aplicar testes funcionais, orientar aspectos comportamentais, sociais, morais e éticos, cadastrar beneficiários/usuários, demonstrar capacidade de inovação, demonstrar capacidade de motivação, demonstrar capacidade de liderança, orientar aspectos disciplinares, táticos e técnicos, desempenhar papel de interlocutor, marcar horário e local das atividades, fixar objetivos e metas, demonstrar capacidade de estabelecer prioridades, demonstrar criatividade, ministrar cursos e palestras, orientar sobre as regras desportivas, trabalhar em equipe, determinar os meios e processos das atividades, controlar o material necessário para o desenvolvimento das atividades, demonstrar capacidade de empatia, consultar prontuários/relatórios dos beneficiários/usuários, demonstrar capacidade de organização, participar da elaboração de material didático, demonstrar capacidade de escuta, coletar dados estátisticos da competição, demonstrar controle emocional.

Cargos e salários CBO 2241-30 - Profissionais da educação física

Salário Técnico de Laboratório e Fiscalização Desportiva

Técnico de Laboratório e Fiscalização Desportiva: Brasil

  • 129
  • Brasil
  • 3.031 - 6.924
  • 38h
O profissional no cargo de Técnico de Laboratório e Fiscalização Desportiva CBO 2241-30 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.031 e 6.924 para uma jornada de trabalho média de 38h semanais de acordo com dados salariais de 129 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2241-30.