Supervisor de Forno-poço - Salário, O Que Faz, Piso Salarial 2024

R$ 5.223,86/mês

Atualizado em

Hoje um Supervisor de Forno-poço ganha em média R$ 5.223,86 para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais de acordo com pesquisa do Portal Salario junto a dados de 139 profissionais admitidos e desligados em regime CLT nos últimos 12 meses divulgados pelo Novo CAGED.

Em 2024 a remuneração para Supervisor de Forno-poço pode variar entre o piso salarial mínimo de R$ 5.081,19 e o teto salarial de R$ 10.715,56, dependendo do segmento da empresa, localidade, formação, experiência na função e política de cargos e salários da empresa.

Você pode conferir logo abaixo na tabela salarial, mais dados da pesquisa como piso salarial 2024, salário mediana, salário por hora, mensal e anual para saber exatamente quanto ganha um Supervisor de Forno-poço.

Tópicos dessa pesquisa salarial:

Perfil Profissional

De acordo com nosso levantamento o perfil profissional mais recorrente é o de um trabalhador com 36 anos, ensino médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h semanais em empresas do segmento de Produção de laminados longos de aço de todo o Brasil.

A cidade com mais ocorrências de contratações no estado e por consequência com mais vagas de emprego para Supervisor de Forno-poço é Congonhas , MG.

Metodologia

Essa pesquisa salarial leva em consideração somente o salário base de Supervisor de Forno-poço, não entram no cálculo nenhum adicional salarial como bônus, comissões, horas extras, adicional noturno, periculosidade, insalubridade nem nada do tipo. Somente o salário base registrado em carteira e no contrato de trabalho entram na amostragem.

Os dados salariais são atualizados mensalmente de acordo com divulgação dos dados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O que faz um Supervisor de Forno-poço CBO 8201-25

O Supervisor de Forno-poço planeja atividades para a produção de laminados siderúrgicos Controla recursos, programando suprimentos e insumos – metálicos e não metálicos, dimensionando equipes de trabalho, definindo equipamentos para atingir a produtividade esperada e organizando arranjo físico em função do programa de produção Controla estoques, garantindo o suprimento de insumos e matérias-primas.

Controla disponibilidade de máquinas, equipamentos e instrumentos Organiza as operações de customização na produção, alocando os recursos necessários para atender necessidades específicas de clientes, tais como requisitos de qualidade, composição dos produtos, tamanho e lotes Administra metas e resultados da produção de laminados siderúrgicos, analisando pedidos e ordens de serviço, dimensionando a capacidade de produção, negociando metas e definindo métodos e processos de produção Analisa viabilidade de produção de um novo produto.

Participa do planejamento do orçamento anual por área Analisa e controla os custos da produção Interpreta parâmetros de produção, analisa relatórios e registros e controla o volume da produção.

Define itens de controle dos processos siderúrgicos de laminação, monitora pontos críticos da produção e analisa causas de não conformidades Controla processos de produção de laminados siderúrgicos, determinando padrões, elaborando programação e garantindo recursos para escoamento e continuidade da produção Orienta fluxo e movimentação de materiais e identifica falhas de produção Supervisiona serviços terceirizados na produção siderúrgica de laminados.

Pode utilizar recursos tecnológicos de automação e controle de processos Pode utilizar sistemas de controle centralizado de operações, sistemas de inteligência artificial, softwares de diagnóstico e de correção de erros Monitora padrões de qualidade do processo e implementa ações preventivas e corretivas Promove melhorias de produtos e de processos, incorporando novos materiais e adaptando os processos de produção às inovações tecnológicas Garante qualidade dos produtos siderúrgicos laminados, selecionando matéria-prima e insumo – conforme produto a ser fabricado – e preparando as equipes de trabalho para utilização das ferramentas da qualidade aplicadas aos processos produtivos.

Inspeciona a qualidade físico-química dos produtos Identifica defeitos nos produtos Avalia índice de produtos não conformes, controla índice de refugos e monitora a identificação dos produtos.

Define ajustes dos equipamentos, em função dos resultados dos indicadores da qualidade Coordena equipes de trabalho, selecionando pessoal, distribuindo atividades e orientando a execução dos processos siderúrgicos de laminação Supervisiona o trabalho, avaliando o desempenho profissional dos membros das equipes e identificando necessidades de treinamento.

Realiza programas de treinamento para as equipes de trabalho Elabora documentação técnica e operacional dos processos siderúrgicos de laminação, coletando dados dos processos, estruturando as informações e redigindo textos técnicos Elabora documentos diversificados, tais como relatórios, cronogramas e requisições de material.

Emite pareceres técnicos de produtos, processos e equipamentos Programa e monitora a execução da manutenção de máquinas e equipamentos Define ajustes dos equipamentos – em função da produção – e realiza testes Monitora a limpeza e a organização do local de trabalho Controla o cumprimento das normas de segurança do trabalho, realizando a análise de risco, simulando emergências e monitorando o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Controla o cumprimento das normas ambientais e solicita a inspeção em equipamentos de controle ambiental Implementa conceitos de eficiência energética e promove a utilização de fontes alternativas de energia, tendo em vista o desenvolvimento sustentável na siderurgia.

Algumas funções no exercício da profissão

  • supervisionar equipe de trabalho dos processos siderúrgicos;
  • garantir qualidade dos produtos siderúrgicos;
  • controlar processos de produção siderúrgica;
  • elaborar documentação técnica e operacional dos processos siderúrgicos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • controlar recursos para produção siderúrgica;
  • controlar o cumprimento das normas de segurança do trabalho e meio ambiente;
  • administrar metas e resultados da produção siderúrgica;
  • analisar relatórios e registros da produção;
  • fazer análise de risco;
  • comunicar-se;
  • elaborar padrões operacionais;
  • avaliar desempenho profissional;
  • programar folgas e férias;
  • agir com iniciativa;
  • definir itens de controle dos processos siderúrgicos;
  • garantir recursos para escoamento e continuidade da produção;
  • fornecer dados para elaboração de manuais e procedimentos;
  • ver mais...

Salário de Supervisor de Forno-poço CBO 8201-25 - Série histórica

Quanto ganha um Supervisor de Forno-poço por região do Brasil

Quanto ganha um Supervisor de Forno-poço nas principais cidades

Clique em uma cidade para ver a pesquisa salarial completa para Supervisor de Forno-poço na localidade
Cidade Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
37 6.266,35 6.442,30 9.735,79 34,73 10
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada uma das cidades da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outras cidades além dessas utilize a Busca Salarial.

Tabela salarial para Supervisor de Forno-poço

Tabela salarial referentes ao salário base do cargo e na remuneração por períodos
Período Salário Mensal Salário Anual Salário Semanal Salário/Hora
Piso Salarial 5.081 60.974 1.270 23,74
Média Salarial 5.224 62.686 1.306 24,40
1º Quartil 2.882 34.586 721 13,46
Salário Mediana 4.594 55.128 1.149 21,46
3º Quartil 8.172 98.066 2.043 38,18
Teto Salarial 10.716 128.587 2.679 50,06
  • Piso Salarial: Média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Supervisor de Forno-poço negociados por sindicatos e registrados no MTE;
  • Média Salarial: A soma de todos os salários dividido pelo total de salários de profissionais CBO 8201-25 da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;
  • 1° Quartil: Primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Salário Mediana: Mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. o cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;
  • 3º Quartil: Cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Teto Salarial: Corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

Demanda no mercado de trabalho para o cargo

Supervisor de Forno-poço é um cargo que está com baixíssima demanda no mercado de trabalho brasileiro nos últimos meses.

No comparativo entre os meses de Abril de 2023 e Março de 2024, tivemos uma queda de 16.67% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Dentro da pesquisa, logo abaixo, você pode conferir um gráfico completo mês a mês com o número de contratações e demissões de Supervisor de Forno-poço CBO 8201-25 pelo mercado de trabalho brasileiro segundo levantamento estatístico do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web nos últimos 12 meses.

Quanto ganha um Supervisor de Forno-poço por estado

Clique em um estado para ver a pesquisa salarial completa para Supervisor de Forno-poço na localidade
UF Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
41 5.913,87 6.079,92 9.188,16 29,41 51
44 4.378,96 4.501,91 6.803,43 20,53 46
Para ver a pesquisa salarial completa para o cargo em cada um dos estados da tabela, clique nos links das localidades da lista. Para ver o salário em outros estados além desses utilize a Busca Salarial.

Tipos de empresas que mais contratam

Salários por setores de empresas
CNAE Segmento da Empresa Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial
2423-7/02 Produção de laminados longos de aço 8.644,96 8.887,69 13.431,34
0710-3/01 Extração de minério de ferro 6.324,69 6.502,27 9.826,42
5212-5/00 Carga e descarga 4.804,11 4.939,00 7.463,96
2422-9/01 Produção de laminados planos de aço ao carbono, revestidos ou não 7.529,87 7.741,29 11.698,87
2229-3/99 Fabricação de artefatos de material plástico para outros usos 3.405,70 3.501,32 5.291,30
4292-8/02 Obras de montagem industrial 5.321,06 5.470,47 8.267,13
2423-7/01 Produção de tubos de aço sem costura 6.989,01 7.185,25 10.858,57
4329-1/99 Outras obras de instalações em construções 4.025,96 4.139,00 6.254,98
2229-3/02 Fabricação de artefatos de material plástico para usos industriais 3.793,49 3.900,00 5.893,80
8299-7/99 Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas 3.390,47 3.485,67 5.267,64
CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Para ver a pesquisa salarial completa para o segmento, clique nas empresas da lista. Para ver outros segmentos e pesquisas em estados e cidades específicas, utilize a nossa Pesquisa Salarial e filtre a busca por CNAE.

Quanto ganha um Supervisor de Forno-poço por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 139 profissionais admitidos e desligados. A relação abrange somente Supervisor de Forno-poço CBO 8201-25 em regime integral de trabalho.

Cálculo de acordo com a carga horária mensal e salário
Total Jornada Ref. Salário Mensal Salário Hora
101 44 220 4.804,07 21,84
7 40 200 7.808,61 39,04
6 41 205 7.899,13 38,53
6 33 165 6.586,33 39,92
5 37 185 4.444,20 24,02
2 42 210 7.212,50 34,35

No Brasil, todo trabalhador contratado com carteira assinada, ou seja, numa relação de emprego, tem a jornada de trabalho estipulada no contrato de trabalho. A lei exige que fique clara, por escrito, a duração do trabalho que esse profissional terá de cumprir.

Salários por nível profissional e porte da empresa

Metodologia: Salários de 82 profissionais demitidos pelas empresas.
Porte da Empresa Nível I Nível II Nível III
Micro 5.358,92 5.716,07 6.335,60
Pequenas 4.640,12 4.997,27 5.616,80
Médias 5.579,10 5.936,25 6.555,78
Grandes Empresas 6.141,89 6.499,04 7.118,57
  • *Supervisor de Forno-poço Nível I: até 4 anos;
  • *Supervisor de Forno-poço Nível II: de 4 a 6 anos;
  • *Supervisor de Forno-poço Nível III: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

Gráficos de pesquisa

Simulador de gastos da empresa com o salário mensal de um Supervisor de Forno-poço

  • Salário Base: R$ 5.223,86
  • Salário-educação (3%): R$ 156,72
  • Sistema S (2%): R$ 104,48
  • INSS Patronal (20%): R$ 1.044,77
  • RAT - Risco Ambiental do Trabalho (1%): R$ 52,24
  • FGTS (8%): R$ 417,91
  • Férias 1/12: R$ 435,32
  • Auxílio Transporte: R$ 220,00
  • Auxílio Alimentação: R$ 440,00
  • Adicional Noturno (20%): R$ 1.044,77
  • Periculosidade (30%): R$ 1.567,16
  • Insalubridade (20%): R$ 288,00
  • Plano de Saúde: R$ 300,00
  • 1/3 de Férias: R$ 145,11
  • 13º Salário: R$ 435,32
  • FGTS sobre Férias: R$ 34,83
  • FGTS sobre 1/3 de Férias: R$ 11,61
  • FGTS sobre 13º: R$ 34,83
  • Aviso Prévio: R$ 435,32
  • FGTS sobre Aviso Prévio: R$ 34,83
  • Multa Rescisória FGTS: R$ 435,32

Os valores referem-se somente a uma simulação de gastos mensais proporcionais e médios do mercado de trabalho. Alguns benefícios não são pagos ao mesmo tempo. Procure seu contador para maiores detalhes.

Fique por dentro dos seus direitos trabalhistas

Gostou da pesquisa e deseja utilizá-la?

Toda essa pesquisa salarial para Supervisor de Forno-poço pode ser utilizada para fins acadêmicos, empresariais estratégicos e matérias em portais, sites, blogs e redes sociais desde que seja citada a fonte com um link para o site Salario.com.br.

Ainda tem dúvidas sobre a origem dos dados salariais do Salario.com.br? Leia aqui e veja também onde os dados do Salario.com.br estão sendo utilizados.

Salário e mercado de trabalho para Supervisor de Forno-poço