CBO 2251-60 - Médico fisiatra - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos médicos clínicos

O profissional no cargo de Médico fisiatra CBO 2251-60 realiza diagnóstico e tratamento clínico de condições de saúde limitantes ou incapacitantes - como dor crônica, sequelas de acidente vascular cerebral e paralisias causadas por lesões - para melhorar qualidade de vida, autonomia, e funcionalidade em todas as esferas de vida de paciente, fazendo seu atendimento em consultórios, centros de reabilitação e hospitais Trabalha em equipe multidisciplinar.

Atua em saúde pública Participa na reintegração de paciente à vida normal Registra procedimentos executados e elabora documentos médicos.

Supervisiona equipes Mantém-se atualizado em sua área de atuação Efetua pesquisas na área de medicina física e reabilitação.

Atua com base em princípios de ética profissional Cumpre procedimentos, normas técnicas, normas higiênico-sanitárias e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de biossegurança e de preservação ambiental

CBO 2251-60 é o Código Brasileiro da Ocupação de médicos clínicos que pertence ao grupo dos profissionais das ciências biológicas, da saúde, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Médico fisiatra, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Médicos clínicos CBO 2251-60 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2251-60

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Médicos clínicos.
      • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.

O que faz um Médico fisiatra

O Médico fisiatra CBO 2251-60 planeja a assistência em fisiatria (ou medicina física e reabilitação), estabelecendo o tempo necessário para atendimento de cada paciente Orienta o preparo do ambiente para atendimento de pacientes de todas as faixas etárias.

Realiza o acolhimento de paciente - e, se for o caso, acompanhante - em consulta.

Faz anamnese fisiátrica, levantando dados pessoais, queixas principais, histórico familiar, e histórico de paciente, com elementos médicos, funcionais e psicossociais Realiza exame físico geral, em que avalia os sistemas cardiovascular, respiratório, entre outros.

Faz o exame fisiátrico para verificar possíveis deformidades, desbalanços musculares e posturas viciosas Efetua avaliação neurológica, para testar a força muscular, sensibilidade (tátil, vibratória e dor) e reflexos.

Solicita exames complementares de laboratório, de imagem e de eletroneuromiografia.

Interpreta os resultados dos exames a partir dos dados coletados, elabora diagnóstico e prognóstico.

Define as condições de saúde decorrentes de uma doença (aguda ou crônica) ou de outras circunstâncias, como envelhecimento, anomalias congênitas ou predisposições genéticas.

Antecipa as comorbidades e o risco de agravamento da incapacidade e das condições clínicas Conversa com paciente sobre o plano de tratamento, para adequá-lo, dentro do possível, às suas necessidades individuais Efetua o tratamento clínico, conforme o tipo de limitação ou incapacidade e as características de paciente.

Atua com objetivo de restabelecer as funções prejudicadas em decorrência de doenças, tais como sequelas do acidente vascular cerebral (AVC) e consequências da distrofia muscular Pode realizar procedimentos para alívio de dor e para controle da espasticidade Auxilia idosos durante recuperação de fraturas.

Presta apoio a atletas e esportistas para alcance de recuperação física após lesões Pode dar para paciente meios e recursos com os quais ele possa recuperar todos ou, ao menos, parte de seus movimentos, prescrevendo órteses, próteses e equipamentos auxiliares, como cadeiras de rodas e andadores.

Coordena o trabalho de equipe multidisciplinar – fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, enfermeiro, fonoaudiólogo, entre outros - para tratamento de lesões mais graves (com maior grau de incapacidade) Atua em hospitais, avaliando paciente, fazendo diagnóstico e prognóstico, planejando e implementando tratamento, e monitorando o processo de reabilitação, para que sejam atingidos objetivos funcionais preestabelecidos Trabalha de forma articulada com ortopedistas, neurologistas, reumatologistas ou outros profissionais de saúde que tratem de doenças que gerem limitações ou incapacidades, para contribuir com sua experiência em reabilitação, prescrevendo órteses ou próteses, orientando o uso de meios físicos (calor, frio e eletricidade), dando orientação postural e indicando exercícios, para a melhoria da qualidade de vida.

No caso de paciente com câncer, estrutura plano de reabilitação personalizado e coordena sua execução, contando com a participação de equipe multidisciplinar, geralmente com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e terapeuta ocupacional Atua em saúde pública, participando de equipe de atendimento em Hospital ou Centro Especializado em Reabilitação, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) Participa no planejamento, na execução e na avaliação de programas para reintegração de paciente à sua vida normal, visando restaurar sua qualidade de vida.

Registra os procedimentos executados, seguindo normas preestabelecidas Elabora documentos médicos, como pareceres e relatórios Supervisiona equipe, avaliando desempenho e promovendo treinamentos.

Mantém-se atualizado em sua área de atuação, analisando inovações tecnológicas Efetua pesquisas na área de fisiatria, estudando novas abordagens em reabilitação robótica, termografia e avaliação funcional, e outros temas relacionados às intervenções multidisciplinares em reabilitação.

Funções do cargo

O funcionário CBO 2251-60 deve difundir conhecimentos médicos, efetuar perícias, auditorias e sindicâncias médicas, elaborar documentos médicos, realizar consulta e atendimento médico, tratar pacientes e clientes, demonstrar competências pessoais, implementar ações de promoção da saúde, coordenar programas e serviços em saúde.

Condições de trabalho dessas profissões

Médicos clínicos os cargos dessa família CBO exercem suas funções em setores cujas atividades referem-se a saúde e serviços sociais, ensino, pesquisa e desenvolvimento. De modo geral atuam por conta própria, na condição de autônomos, sem supervisão permanente. Organizam- se individualmente e em equipe de trabalho, desenvolvendo as atividades em ambientes fechados, em horários de trabalho irregulares. Exceção feita profissionais que atuam no Programa de Estratégia de Saúde da Família, onde exercem suas funções como empregados, com supervisão ocasional e cumprem carga horária semanal prevista em Portaria específica. Podem trabalhar em posições desconfortáveis durante longos períodos e, devido à natureza e nível de responsabilidade próprio da função, podem estar sujeitos a estresse constante. Em algumas ocupações os profissionais podem estar sujeitos a ação de materiais tóxicos, químicos, radioativos e biológicos.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 2251-60

Essas ocupações são exercidas por profissionais com formação superior em Medicina, credenciados pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). O exercício pleno das funções se dá após o período de um a dois anos de experiência profissional e de três a quatro anos para o médico antroposófico. Para o exercício da função no Programa de Estratégia de Saúde da Família não é necessário experiência anterior.

Atividades exercidas por um Médico fisiatra CBO 2251-60

Um Médico fisiatra (ou sinônimo) deve implementar medidas de segurança e proteção do trabalhador, examinar documentos médicos, demonstrar imparcialidade de julgamento, demonstrar capacidade de atenção seletiva, acompanhar plano terapêutico do usuário, prestar consultorias e assessorias, demonstrar rapidez de percepção, cultivar órgãos e tecidos, realizar atendimento em consultório, redigir trabalhos científicos, descrever ações médicas, administrar situações de urgência e emergência, prescrever imunização, arquivar documentos, praticar psicoterapia, despachar expediente, selecionar pacientes em situações específicas, demonstrar tolerância, montar escala de serviços, realizar diagnóstico de saúde da comunidade, emitir pareceres, desenvolver procedimentos, executar tratamento com agentes químicos, monitorar estado de saúde de pacientes hospitalizados, diagnosticar estado de saúde de pacientes e clientes, ministrar aulas, preparar projetos de pesquisa, elaborar material informativo e normativo, vistoriar equipamentos e instalações, executar terapêutica genética, promover ações de controle de vetores e zoonoses, demonstrar capacidade de saber ouvir, demonstrar empatia, realizar anamnese, estabelecer plano de ações em saúde, efetuar necropsias, demonstrar capacidade de acolhimento, discutir diagnóstico, prognóstico e tratamento com pacientes, clientes, responsáveis e familiares, demonstrar capacidade de preservar sigilo médico, elaborar prontuários, implantar órteses e próteses, emitir receitas, gerenciar recursos financeiros, retirar órgãos e tecidos, demonstrar capacidade de interpretar linguagem verbal e não-verbal, ministrar tratamentos preventivos, participar de diretorias de associações, entidades de classe e conselhos de saúde, organizar encontros científicos, avaliar atos médicos, indicar tratamento, emitir declarações, elaborar documentos de imagem, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, prescrever tratamento, guardar órgaõs e tecidos, responder quesitos periciais, demonstrar capacidade de efetuar atendimento humanizado, especificar insumos, solicitar exames complementares, prescrever medidas higiênico-dietéticas, fiscalizar treinamento médico, demonstrar capacidade de adequar linguagem, colher depoimentos, realizar atendimentos de urgência e emergência, implementar medidas de biossegurança, rastrear doenças prevalentes, executar tratamento com agentes biológicos, praticar procedimentos intervencionais, implementar medidas de saúde ambiental, prestar depoimentos, receitar drogas, medicamentos , fitoterápicos e antroposóficos, demonstrar capacidade de tomar decisões, elaborar relatórios, realizar visitas hospitalares, demonstrar capacidade de lidar com situações adversas, organizar cursos de educação continuada, levantar hipóteses diagnósticas, constituir comissões médico-hospitalares, elaborar protocolos de condutas médicas, realizar exames complementares, praticar intervenções clínicas, indicar necessidade de internação, vistoriar ambientes de trabalho, interpretar dados de exame clínico e exames complementares, supervisionar equipe de saúde, executar transplantes de órgãos e tecidos, supervisionar propedêutica instrumental, promover campanhas de saúde, realizar exame físico, preencher formulários de notificação compulsória, avaliar conhecimento de especialistas, emitir atestados, supervisionar atos médicos, preparar material didático, desenvolver equipamentos, participar de encontros, congressos e demais eventos científicos, estabelecer prognóstico, elaborar procedimentos operacionais padrão, distribuir tarefas, desenvolver pesquisas em medicina, divulgar informações em mídia, solicitar interconsultas, planejar tratamento de clientes e pacientes, reabilitar pacientes e clientes - condições biopsicossociais, assistir parto, demonstrar altruísmo, executar tratamento com agentes físicos, auxiliar normatização de atividades médicas, realizar propedêutica instrumental, selecionar equipe de trabalho, promover atividades educativas, emitir laudos, formular quesitos periciais, realizar visitas domiciliares, encaminhar usuários a outros profissionais, demonstrar capacidade de liderança, demonstrar ações médicas.

Cargos e salários CBO 2251-60 - Médicos clínicos

Salário Médico Fisiatra

Médico Fisiatra: Brasil

  • 39
  • Brasil
  • 10.577 - 22.976
  • 18h
O profissional no cargo de Médico Fisiatra CBO 2251-60 trabalhando no Brasil, ganha entre 10.577 e 22.976 para uma jornada de trabalho média de 18h semanais de acordo com dados salariais de 39 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2251-60.