CBO 2236-35 - Fisioterapeutas - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 2236-35 é o Código Brasileiro da Ocupação de fisioterapeutas que pertence ao grupo dos profissionais da medicina, saúde, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Fisioterapeutas CBO 2236-35 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2236-35

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.
      • Profissionais da medicina, saúde.
        • Fisioterapeutas.

Descrição dos cargos da categoria Fisioterapeutas

Os Fisioterapeutas CBO 2236-35 aplicam técnicas fisioterapêuticas para prevenção, readaptação e recuperação de pacientes e clientes. Atendem e avaliam as condições funcionais de pacientes e clientes utilizando protocolos e procedimentos específicos da fisioterapia e suas especialidades. Atuam na área de educação em saúde através de palestras, distribuição de materiais educativos e orientações para melhor qualidade de vida. Desenvolvem e implementam programas de prevenção em saúde geral e do trabalho. Gerenciam serviços de saúde orientando e supervisionando recursos humanos. Exercem atividades técnico-científicas através da realização de pesquisas, trabalhos específicos, organização e participação em eventos científicos.

Condições de trabalho

Fisioterapeutas trabalham nas áreas de saúde, de educação e de serviços sociais, em caráter liberal e/ou com vínculo empregatício ou ainda na prestação de serviços terceirizados, de forma individual ou em equipes multiprofissionais. Atuam em consultórios, hospitais, ambulatórios clínicas, escolas, domicílios, clubes, comunidades, escolas e indústrias, em ambientes fechados ou abertos, em horários diurnos e noturnos. Podem permanecer em posições desconfortáveis por longos períodos ou ser expostos a elementos biopatogênicos.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício dessas ocupações é exigido curso superior na área de fisioterapia, com registro no conselho profissional pertinente.

Funções dos Fisioterapeutas CBO 2236-35

Fisioterapeutas devem:

  • implementar ações de intervenção;
  • exercer atividades técnico-científicas;
  • demonstrar competências pessoais;
  • atender clientes e pacientes;
  • trabalhar com segurança;
  • planejar estratégias de intervenção;
  • comunicar-se;
  • aplicar avaliação tecnológica fisioterapêutica;
  • estabelecer diagnóstico fisioterapêutico;
  • educar em saúde;
  • gerenciar serviços de saúde;
  • avaliar clientes e pacientes;
  • Atividades dos cargos CBO 2236-35

    Entre as principais atribuições dos Fisioterapeutas CBO 2236-35 estão as de:

    • supervisionar estágios;
    • prestar consultoria;
    • estabelecer parâmetros de alta;
    • interpretar indicadores epidemiológicos e índices de acidentes e incidentes;
    • minimizar riscos;
    • definir objetivos;
    • readaptar clientes e pacientes nas avd (atividades de vida diária) nas avde (atividades de vida diária/esportiva);
    • elaborar projetos;
    • encaminhar clientes e pacientes a outros profissionais;
    • orientar profissionais da equipe de trabalho;
    • participar de discussão técnica interdisciplinar;
    • descartar materiais contaminados;
    • aplicar técnicas fisioterapêuticas para distúrbios vasculares;
    • ministrar palestras e cursos;
    • desenvolver habilidades dos clientes e pacientes;
    • adaptar ambiente ao tratamento;
    • analisar custos;
    • orçar serviços, equipamentos e materiais;
    • especificar capacidade de atendimento;
    • restaurar funções neuro-sensório-cognitivo-motoras;
    • participar de eventos técnico-científicos;
    • avaliar funções tegumentares;
    • identificar potencialidades dos clientes e pacientes;
    • avaliar processos seletivos;
    • lidar com público;
    • reeducar postura;
    • definir frequência e tempo da intervenção;
    • adaptar instrumentos de facilitação;
    • emitir pareceres técnico-administrativos;
    • avaliar funções cinética-funcionais;
    • solicitar manutenção de equipamentos;
    • reeducar marcha;
    • identificar indicadores de desempenho;
    • realizar recondicionamento cardiorrespiratório;
    • prescrever terapêutica;
    • definir condutas e procedimentos;
    • prescrever órteses, próteses e adaptações;
    • avaliar conformidade dos materiais;
    • demonstrar perseverança;
    • elaborar processos seletivos;
    • testar equipamentos;
    • prestar assessoria;
    • aplicar técnicas fisioterapêuticas para distúrbios musculoesqueléticos;
    • orientar clientes, pacientes, familiares e cuidadores;
    • definir indicadores epidemiológicos e índices de acidentes e incidentes;
    • solicitar exames complementares;
    • reorientar conduta terapêutica;
    • operar equipamentos, materiais e dispositivos;
    • avaliar órteses, próteses e adaptações;
    • demonstrar criatividade;
    • estimular adesão e continuidade do tratamento;
    • estabelecer prognóstico;
    • mediar reuniões clínicas;
    • supervisionar equipes;
    • emitir relatórios;
    • emitir atestados;
    • desenvolver material educativo;
    • adaptar estruturas aos pacientes e clientes;
    • estabelecer nexo de causa traumo-ortopédico;
    • aplicar critérios de elegibilidade;
    • montar equipamentos;
    • identificar situações de risco;
    • avaliar qualidade de vida;
    • elaborar protocolo de avaliação e tratamento;
    • descartar material perfurocortante;
    • implementar cultura ergonômica;
    • realizar desinfecção de instrumental;
    • coletar dados dos clientes e pacientes (anamnese);
    • dar alta a clientes e pacientes;
    • implementar ações de conscientização, correção e concepção;
    • transmitir segurança;
    • demonstrar capacidade de observação;
    • demonstrar dinamismo;
    • definir estratégias;
    • participar na elaboração de programas de qualidade de vida;
    • estipular equipamentos e materiais de uso padrão;
    • reavaliar estratégias de intervenção;
    • desenvolver programas preventivos e de promoção em saúde;
    • coordenar grupos de estudos;
    • demonstrar habilidade de comunicação;
    • solicitar reposição de materiais;
    • coordenar equipes;
    • avaliar funções musculoesqueléticas;
    • interpretar exames complementares;
    • realizar pesquisa prática;
    • capacitar clientes e pacientes a usar órteses, próteses e adaptações;
    • organizar eventos técnico-científicos;
    • contornar situações adversas;
    • demonstrar iniciativa;
    • participar da implementação das políticas públicas em saúde;
    • emitir pareceres técnicos;
    • demonstrar habilidade manual;
    • usar epi;
    • selecionar equipamentos e materiais;
    • demonstrar habilidade para lidar com cavalo;
    • demonstrar capacidade motora fina;
    • acompanhar evolução clínica;
    • preparar programas de atividades físicas funcionais;
    • trabalhar em equipe;
    • avaliar funções sensório-perceptivas e de dor;
    • registrar procedimentos e evolução de clientes e pacientes;
    • elaborar critérios de elegibilidade;
    • ensinar procedimentos para mobilidade independente e semi dependente;
    • demonstrar equilíbrio emocional;
    • ensinar técnicas para independência funcional;
    • organizar grupos de educação;
    • demonstrar capacidade de percepção;
    • apresentar trabalhos técnico-científicos;
    • criar instrumentos de facilitação;
    • participar da elaboração de políticas públicas de saúde;
    • propor mudanças de hábito de vida;

    Cargos e salários CBO 2236-35 - Fisioterapeutas

    Salário Fisioterapeuta Traumato-Ortopédica Funcional

    Fisioterapeuta Traumato-Ortopédica Funcional: Brasil

    • 135
    • Brasil
    • 2.31 - 4.265
    • 34h
    O profissional no cargo de Fisioterapeuta Traumato-Ortopédica Funcional CBO 2236-35 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.31 e 4.265 para uma jornada de trabalho média de 34h semanais de acordo com dados salariais de 135 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2236-35.