CBO 8131-10 - Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 8131-10 é o Código Brasileiro da Ocupação de operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos que pertence ao grupo dos operadores de outras instalações químicas, petroquímicas, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos CBO 8131-10 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 8131-10

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
    • Trabalhadores em indústrias de processos contínuos e outras indústrias.
      • Operadores de outras instalações químicas, petroquímicas.
        • Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos.

Descrição dos cargos da categoria Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos

Os Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos CBO 8131-10 realizam interfaces de turnos de trabalho, programam atividades de produção e monitoram funcionamento de equipamentos e sistemas. Controlam parâmetros do processo produtivo, operam suas etapas e movimentam materiais e insumos. Transformam polímeros em produtos intermediários ou finais e realizam manutenção de primeiro nível. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Condições de trabalho

Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos atuam na fabricação de produtos químicos e de artigos de borracha e plástico como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão permanente de técnicos ou engenheiros e no sistema de rodízio de turnos. Podem trabalhar em ambientes fechados ou a céu aberto, em grandes alturas ou em locais confinados. Em algumas atividades permanecem expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, radiação e voltagem elevada.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício dessas ocupações requer-se ensino médio concluído e curso de qualificação profissional com cerca de quatrocentas horas- aula oferecido em centros de treinamento das próprias empresas ou em instituições de formação profissional. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional.

Funções dos Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos CBO 8131-10

Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos devem:

  • trabalhar com segurança;
  • realizar serviços de manutenção de primeiro nível;
  • controlar parâmetros do processo produtivo;
  • operar etapas do processo produtivo;
  • realizar interfaces de turno de trabalho;
  • movimentar materiais e insumos;
  • transformar polímeros em produtos intermediários ou finais;
  • monitorar funcionamento de equipamentos e sistemas;
  • demonstrar competências pessoais;
  • programar atividades de produção;
  • Atividades dos cargos CBO 8131-10

    Entre as principais atribuições dos Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos CBO 8131-10 estão as de:

    • fixar tubulações;
    • identificar causas da anomalia;
    • bloquear operação;
    • selecionar meios para movimentação de materiais e insumos;
    • analisar condições ambientais no trabalho;
    • aderir lonas e revestimentos;
    • monitorar vibração e ruído de equipamentos rotativos;
    • imprimir marcas e gravuras em produtos;
    • monitorar a qualidade do produto durante o processo;
    • sociabilizar-se;
    • emitir permissão de trabalho (documento que orienta a execução para evitar riscos no trabalho);
    • remover resíduos;
    • substituir componentes e dispositivos auxiliares;
    • instalar e retirar raquetes (dispositivo para bloqueio de fluxo);
    • identificar não-conformidades;
    • reprocessar produtos não conformes;
    • ajustar condições operacionais dos equipamentos;
    • elaborar procedimentos operacionais;
    • conferir material e insumos recebidos;
    • consultar o programa de produção;
    • manter hábitos de higiene e saúde no local de trabalho;
    • inventariar materiais e insumos;
    • pesar quantidade dos materiais e insumos;
    • identificar desvios em relação às condições padrões de operação;
    • acondicionar materiais, insumos e produtos acabados;
    • testar a consistência das informações dos instrumentos;
    • preparar silos para limpeza;
    • avaliar amostras dos produtos;
    • solicitar execução de serviços complementares (pintura, limpeza, andaimes);
    • efetuar correções nas variáveis conforme resultados laboratoriais;
    • praticar sinergia;
    • costurar lonas;
    • misturar grânulos;
    • segregar produtos não conformes;
    • requisitar materiais;
    • identificar vazamentos;
    • interpretar normas e procedimentos de segurança, saúde e meio ambiente;
    • substituir eletrodos;
    • condicionar equipamentos para operação;
    • controlar o cumprimento dos índices técnicos;
    • ajustar variáveis de controle (pressão, vazão e temperatura);
    • limpar filtros, telas, peneiras e centrífugas;
    • utilizar equipamento de proteção individual (epi);
    • identificar amostras;
    • preencher listas de verificações preestabelecidas dos equipamentos e sistemas (checklist);
    • identificar produtos e insumos movimentados;
    • moldar materiais utilizando a matriz;
    • responsabilizar-se;
    • operar equipamentos de transporte (empilhadeiras, esteiras, pontes e elevadores);
    • resfriar matéria-prima;
    • monitorar os ajustes realizados;
    • tratar não-conformidades;
    • ler instruções operacionais;
    • medir material para corte;
    • desenvolver habilidade para trabalhar em equipe;
    • interpretar análise das amostras laboratoriais;
    • autodesenvolver-se;
    • dosar materiais para preparação de mistura;
    • preparar relatório de ocorrência de turno;
    • retirar amostras dos insumos e produtos recebidos;
    • interpretar relatórios de turnos anteriores e instruções operacionais;
    • comunicar-se;
    • coletar amostras;
    • prestar primeiros-socorros;
    • acionar equipamentos;
    • ajustar equipamento de corte;
    • ajustar gaxetas e selos mecânicos;
    • registrar incidentes e acidentes;
    • estender material para corte;
    • debater ações de segurança através do dds (05 minutos diários de reunião sobre segurança);
    • verificar a validade da calibração dos instrumentos;
    • inspecionar equipamentos de proteção coletivos (epc);
    • liderar;
    • repor níveis de óleo;
    • inverter figura oito (dispositivo que veda ou interliga sistema de fluxo líquido, gasoso ou sólido);
    • monitorar índices técnicos (produção, custos, metas e qualidade);
    • combater incêndio;
    • desenvolver iniciativa;
    • verificar disponibilidade de insumos e matérias-primas;
    • ajustar trançadeira;
    • substituir equipamentos de proteção individual no seu prazo de validade;
    • conter vazamentos;
    • emitir relatório de ocorrência de anomalia;
    • identificar atividades prioritárias;
    • organizar equipamentos;
    • separar material a ser movimentado, conforme formulação;
    • inspecionar as instalações;
    • combater emergências como brigadistas;
    • conferir níveis de fluidos e temperatura dos equipamentos;
    • preparar equipamentos para manutenção;
    • efetuar manobras operacionais;
    • substituir juntas de vedação;
    • autocontrolar-se;
    • apresentar sugestões de melhoria dos processos operacionais;
    • pró-agir;
    • alimentar máquinas e equipamentos;
    • sinalizar áreas de risco;
    • retirar equipamentos e sistemas de operação;
    • cortar fios de polímeros;

    Cargos e salários CBO 8131-10 - Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos

    Salário Operador de Calandra (Química Petroquímica e Afins)

    Operador de Calandra (Química Petroquímica e Afins): Brasil

    • 719
    • Brasil
    • 1.607 - 2.926
    • 43h
    O profissional no cargo de Operador de Calandra (Química Petroquímica e Afins) CBO 8131-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.607 e 2.926 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 719 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 8131-10.
    Salário Operador de Calandra (química

    Operador de Calandra (química: Brasil

    • 719
    • Brasil
    • 1.607 - 2.926
    • 43h
    O profissional no cargo de Operador de Calandra (química CBO 8131-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.607 e 2.926 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 719 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 8131-10.
    Salário Operador Industrial (química

    Operador Industrial (química: Brasil

    • 719
    • Brasil
    • 1.607 - 2.926
    • 43h
    O profissional no cargo de Operador Industrial (química CBO 8131-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.607 e 2.926 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 719 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 8131-10.