CBO 3221-10 - Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 3221-10 é o Código Brasileiro da Ocupação de tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas que pertence ao grupo dos técnicos da ciência da saúde humana, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas CBO 3221-10 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 3221-10

  • Técnicos de nível médio.
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde.
      • Técnicos da ciência da saúde humana.
        • Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas.

Descrição dos cargos da categoria Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas

Os Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas CBO 3221-10 aplicam procedimentos estéticos e terapêuticos manipulativos, energéticos, vibracionais e não farmacêuticos. Os procedimentos terapêuticos visam a tratamentos de moléstias psico-neuro- funcionais, músculo-esqueléticas e energéticas, além de patologias e deformidades podais. No caso das doulas, visam prestar suporte contínuo a gestante no ciclo gravídico puerperal, favorecendo a evolução do parto e bem-estar da gestante. Avaliam as disfunções fisiológicas, sistêmicas, energéticas, vibracionais e inestéticas dos pacientes/clientes. Recomendam a seus pacientes/clientes a prática de exercícios, o uso de essências florais e fitoterápicos com o objetivo de diminuir dores, reconduzir ao equilíbrio energético, fisiológico e psico-orgânico, bem como cosméticos, cosmecêuticos e óleos essenciais visando sua saúde e bem estar. Alguns profissionais fazem uso de instrumental pérfuro-cortante, medicamentos de uso tópico e órteses, outros aplicam métodos das medicinas oriental e convencional.

Condições de trabalho

Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas atuam na área da saúde, serviços sociais e serviços pessoais. A grande maioria atua como autônomo, trabalhando por conta própria, de forma individual, embora os esteticistas também possam trabalhar em equipe. Executam suas funções em ambiente fechado, sem supervisão e em horários diurnos, não obstante os esteticistas e as doulas possam, também, trabalhar em horários irregulares.

Exigências do mercado de trabalho

A formação requerida para os esteticistas é a de técnico de nível médio ou graduação em tecnologia. No caso das Doulas é requerido um curso básico de qualificação profissional de, até, 200 horas, não sendo necessária experiência profissional para o desempenho da ocupação. Já para as demais ocupações exige-se formação em curso técnico de nível médio na área de atuação. O exercício pleno das atividades, para os esteticistas, ocorre após um período de aproximadamente dois anos de exercício profissional. No caso dos massoterapeutas e terapeutas holísticos, o exercício pleno das atividades ocorre em cerca de menos de um ano de experiência profissional; para os técnicos em acupuntura, quiropraxia e podólogos não há exigência de experiência anterior.

Funções dos Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas CBO 3221-10

Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas devem:

  • avaliar disfunções;
  • comunicar-se;
  • aplicar procedimentos terapêuticos e/ou estéticos;
  • trabalhar com segurança;
  • realizar tratamento e correção podológicos e/ou estéticos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • administrar clínica/espaço terapêutico/estético;
  • Atividades dos cargos CBO 3221-10

    Entre as principais atribuições dos Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas CBO 3221-10 estão as de:

    • demonstrar percepção sensorial;
    • divulgar serviços;
    • preparar moldes e modelos para órteses;
    • demonstrar condicionamento físico;
    • acondicionar lixo contaminado para incineração;
    • explicar técnicas e procedimentos;
    • trabalhar com postura ergonômica;
    • estabelecer contrato com cliente/paciente;
    • demonstrar visão holística;
    • cadastrar cliente/paciente;
    • esterilizar instrumental;
    • avaliar tecidos moles;
    • treinar pessoal;
    • avaliar sinais e sintomas;
    • demonstrar habilidade manual;
    • preparar paciente/cliente;
    • colocar órteses de unhas (unicorteses);
    • descartar material e/ ou produtos com validade vencida;
    • tratar afecções e infecções cutâneas e anexos;
    • recomendar exames complementares;
    • palpar estruturas articulares e ósseas;
    • ministrar aulas, cursos e palestras;
    • selecionar técnica , tipo de terapia e recurso de trabalho;
    • arquivar cadastro de cliente/paciente;
    • demonstrar capacidade de trabalhar sob pressão;
    • recomendar exercícios;
    • planejar procedimentos;
    • demonstrar auto conhecimento;
    • demonstrar coordenação motora fina;
    • demonstrar discrição;
    • demonstrar capacidade de escuta;
    • aplicar emolientes, medicamentos, cosméticos e cosmecêuticos;
    • administrar finanças;
    • tratar lâminas ungueais (unhas);
    • tratar queratoses;
    • registrar informações técnicas;
    • providenciar manutenção da clínica/espaço terapêutico/estético;
    • agendar consultas/atendimentos;
    • orientar paciente/cliente sobre medidas preventivas;
    • efetuar antissepsia no paciente/cliente;
    • aplicar estímulos manipulativos;
    • tomar medidas antropométricas e energéticas;
    • demonstrar senso estético;
    • armazenar produtos;
    • realizar avaliação do cliente/paciente;
    • encaminhar paciente a outros profissionais;
    • orientar sobre postura estática e dinâmica;
    • realizar massagem relaxante;
    • controlar estoque;
    • produzir relatórios;
    • demonstrar criatividade;
    • recomendar palmilhas e calçados;
    • informar paciente/cliente sobre sua condição;
    • demonstrar liderança;
    • ouvir paciente/cliente;
    • confeccionar órteses corretivas e de proteção de unhas;
    • trabalhar em equipe multi e interdisciplinar;
    • avaliar sistema muscular (força, temperatura e tônus);
    • usar epi;
    • demonstrar percepção intuitiva;
    • efetuar curativos;
    • analisar biomecânica;
    • palpar estruturas musculares e sistema tegumentar;
    • demonstrar empatia;
    • demonstrar capacidade de persuasão;
    • higienizar local de trabalho;
    • colocar órteses de contenção articular;
    • efetuar assepsia do local;
    • acondicionar materiais perfurocortantes para descarte;

    Cargos e salários CBO 3221-10 - Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas

    Salário Podólogo

    Podólogo: Brasil

    • 462
    • Brasil
    • 1.487 - 2.481
    • 42h
    O profissional no cargo de Podólogo CBO 3221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.487 e 2.481 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 462 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3221-10.
    Salário Técnico em Podologia

    Técnico em Podologia: Brasil

    • 462
    • Brasil
    • 1.487 - 2.481
    • 42h
    O profissional no cargo de Técnico em Podologia CBO 3221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.487 e 2.481 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 462 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3221-10.