CBO 2543-05 - Auditores fiscais do trabalho - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 2543-05 é o Código Brasileiro da Ocupação de auditores fiscais do trabalho que pertence ao grupo dos auditores fiscais públicos, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Auditores fiscais do trabalho CBO 2543-05 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2543-05

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais das ciências sociais e humanas.
      • Auditores fiscais públicos.
        • Auditores fiscais do trabalho.

Descrição dos cargos da categoria Auditores fiscais do trabalho

Os Auditores fiscais do trabalho CBO 2543-05 asseguram a observância dos direitos trabalhistas nas relações de trabalho, desenvolvendo atividades de auditoria, levantando riscos ocupacionais, atendendo ao público, mediando conflitos individuais e coletivos, promovendo direitos de cidadania no trabalho e aplicando, se necessário, medidas punitivas aos infratores. Podem subsidiar a elaboração de planos, programas e normas na área trabalhista e administrar atividades de fiscalização.

Condições de trabalho

Auditores fiscais do trabalho atuam em nome de uma Delegacia Regional do Trabalho em atividades externas, nos mais variados ramos de atividade, onde existir irregularidades na observância das leis trabalhistas. Podem estar expostos a ruídos, radiação, material tóxico, inflamável e explosivo, doenças infecto-contagiosas, fumaça, poeira etc. Muitas vezes trabalham em conjunto com outras instituições, sob supervisão permanente, em locais fechados, a céu aberto, horários irregulares, inclusive aos domingos e feriados. Em algumas situações sofrem pressão de grupos corporativos e risco de agressão física, podendo ocasionar estresse emocional.

Exigências do mercado de trabalho

O acesso à vaga nessas ocupações ocorre por concurso público, tendo como requisito ensino superior completo nas áreas pretendidas: Advogado, Médico, Enfermeiro, Assistente social e Engenheiro civil. Os profissionais aprovados em concurso recebem treinamento específico com mais de quatrocentas horas-aula.

Funções dos Auditores fiscais do trabalho CBO 2543-05

Auditores fiscais do trabalho devem:

  • subsidiar a elaboração de planos, programas e normas;
  • promover direitos de cidadania no trabalho;
  • desenvolver procedimentos administrativos;
  • administrar atividades de fiscalização;
  • auditorar os direitos trabalhistas;
  • mediar conflitos trabalhistas individuais e coletivos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • atender ao público;
  • levantar riscos ocupacionais;
  • Atividades dos cargos CBO 2543-05

    Entre as principais atribuições dos Auditores fiscais do trabalho CBO 2543-05 estão as de:

    • interditar máquinas e equipamentos;
    • discutir viabilidade técnica da fiscalização;
    • analisar causas de acidentes e doenças do trabalho;
    • realizar plantões;
    • demonstrar capacidade de negociação ;
    • distribuir tarefas;
    • homologar rescisões de contrato de trabalho;
    • apurar irregularidades;
    • agir com ética;
    • articular a viabilização das mudanças propostas;
    • verificar a adequação do trabalho do adolescente (de 14 a 18 anos);
    • conceder prazos para adequação de procedimentos;
    • orientar relações trabalhistas;
    • fiscalizar o cumprimento da legislação de proteção ao trabalhador;
    • participar da elaboração da legislação do trabalho;
    • verificar vínculo empregatício dos trabalhadores;
    • desinterditar máquinas e equipamentos;
    • desembargar obras;
    • julgar defesas e recursos;
    • apreender documentação e equipamentos;
    • realizar diagnósticos epidemiológicos;
    • proteger a maternidade no âmbito do trabalho;
    • integrar comissões interinstitucionais;
    • informar os resultados da auditoria;
    • fornecer informações sobre o andamento de processos;
    • orientar sobre saúde e segurança do trabalhador;
    • combater a informalidade no trabalho rural;
    • fornecer certificados de inexistência de ilícitos trabalhistas apurados;
    • propor planos de trabalho;
    • identificar fatores de risco;
    • elaborar laudos e pareceres;
    • presidir mesas redondas;
    • realizar conciliação prévia;
    • coibir o trabalho da criança (até 14 anos incompletos);
    • operacionalizar cadastro de oferta de emprego para portadores de deficiência;
    • discutir termos e prazos legais de execução;
    • integrar comissões tripartites;
    • auxiliar na solução de conflitos individuais;
    • ministrar conselhos técnicos;
    • demonstrar iniciativa;
    • enviar processos para execução fiscal;
    • acompanhar o cumprimento das resoluções das mesas de entendimento;
    • integrar conselhos deliberativos;
    • orientar entidades de classe;
    • demonstrar sociabilidade;
    • remeter denúncias a órgãos competentes;
    • programar trabalhos;
    • gerenciar recursos humanos;
    • fazer cumprir as cotas legais;
    • demonstrar capacidade de enfrentar situações de riscos;
    • demonstrar senso de observação;
    • embargar obras;
    • verificar o cumprimento de acordos e convenções coletivos;
    • compor comissões de inquérito e sindicâncias;
    • demonstrar discernimento;
    • autuar empregadores em situação irregular;
    • coordenar equipes;
    • atender situações de emergência;
    • fixar objetivos e metas de auditoria;
    • planejar operações;
    • controlar bens patrimoniais e materiais de consumo;
    • notificar irregularidades ao empregador;
    • abrir canais de comunicação;
    • levantar débitos de fundo de garantia e de contribuição sindical;
    • suspender a atividade do trabalho;
    • provocar mesas de entendimento;
    • determinar medidas para avaliação de riscos;
    • instaurar procedimentos administrativos;
    • formalizar acordos das mesas redondas;
    • efetuar diligências;
    • sugerir arquivamento de processo;
    • encaminhar o trabalhador a órgãos competentes;
    • disponibilizar elementos comprobatórios de sua auditoria;
    • demonstrar senso crítico;
    • dominar legislação trabalhista e correlata;
    • determinar a implementação de medidas de controle ou eliminação de fatores de risco;
    • colaborar com entidades de classe na solução de conflitos trabalhistas;
    • demonstrar objetividade;
    • demonstrar imparcialidade;
    • compor mesas de entendimento;
    • atestar a pré-existência de vínculo trabalhista para efeito de pagamento de seguro-desemprego;
    • informar processos administrativos;
    • anotar o registro do contrato de trabalho na ctps;
    • administrar recursos financeiros;
    • coibir atos de discriminação no trabalho;
    • verificar atributos da legislação trabalhista (jornada de trabalho, férias, etc;
    • demonstrar autocontrole;
    • sensibilizar os segmentos envolvidos em situações irregulares;

    Cargos e salários CBO 2543-05 - Auditores fiscais do trabalho

    Salário Auditor-Fiscal do Trabalho

    Auditor-Fiscal do Trabalho: Brasil

    • 59
    • Brasil
    • 3.33 - 10.204
    • 42h
    O profissional no cargo de Auditor-Fiscal do Trabalho CBO 2543-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.33 e 10.204 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 59 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2543-05.