CBO 2313-35 - Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série - Salário, o que faz, descrição do cargo

CBO 2313-35 é o Código Brasileiro da Ocupação de professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série que pertence ao grupo dos professores de nível superior na educação infantil e no ensino fundamental, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série CBO 2313-35 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2313-35

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais do ensino.
      • Professores de nível superior na educação infantil e no ensino fundamental.
        • Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série.

Descrição dos cargos da categoria Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série

Os Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série CBO 2313-35 promovem a educação dos (as) alunos (as) por intermédio dos seguintes componentes curriculares: língua portuguesa, matemática, ciências naturais, geografia, história, educação artística, educação física e línguas estrangeiras modernas, de 5ª a 8ª série do ensino fundamental. Planejam cursos, aulas e atividades escolares, avaliam processo de ensino-aprendizagem e seus resultados, registram práticas escolares de caráter pedagógico, desenvolvem atividades de estudo, participam das atividades educacionais e comunitárias da escola. Para o desenvolvimento das atividades é mobilizado um conjunto de capacidades comunicativas.

Condições de trabalho

Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série trabalham com clientelas de diferentes faixas etárias, oriundas de comunidades com diferentes contextos culturais e sociais, em escolas ou instituições de ensino das redes públicas federal, estadual, municipal e da rede privada e ONG. Predominantemente, trabalham em zonas urbanas, como empregados registrados em carteira. Desenvolvem suas atividades de forma individual e em equipe, com supervisão ocasional, em locais próprios à atividade de ensino e também em locais improvisados, em horários irregulares. Em algumas atividades, alguns profissionais podem estar expostos aos efeitos do ruído intenso e à fadiga originária do trabalho sob pressão.

Exigências do mercado de trabalho

O exercício dessas ocupações requer ensino superior completo na área. Na rede pública de ensino requer-se concurso público.

Funções dos Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série CBO 2313-35

Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série devem:

  • estudar;
  • planejar cursos, aulas e atividades escolares;
  • demonstrar competências pessoais;
  • participar das atividades educacionais e comunitárias da escola;
  • comunicar-se;
  • avaliar o processo de ensino-aprendizagem e seus resultados;
  • promover a educação dos alunos;
  • registrar práticas escolares de caráter pedagógico;
  • Atividades dos cargos CBO 2313-35

    Entre as principais atribuições dos Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série CBO 2313-35 estão as de:

    • adequar diferentes recursos didáticos e pedagógicos ao processo de ensino e aprendizagem;
    • expressar-se com clareza;
    • demonstrar capacidade de diálogo;
    • determinar os objetivos do curso e da disciplina;
    • participar das assembleias escolares;
    • prever recursos materiais e didáticos;
    • prever participação em eventos culturais e científicos;
    • desenvolver atividades de estímulo à ampliação do conhecimento;
    • observar o cumprimento das regras estabelecidas pela comunidade escolar;
    • desenvolver atividades para reflexão sobre os problemas da sociedade contemporânea;
    • expor o aluno a situações-problema no processo de aprendizagem;
    • desenvolver atividades para reflexão sobre valores estéticos;
    • propor critérios para a composição das classes;
    • trabalhar em equipe;
    • propor atividades culturais;
    • debater projetos interdisciplinares com os alunos;
    • propor estudos interdisciplinares;
    • analisar a autoavaliação dos alunos;
    • selecionar os conteúdos;
    • sistematizar o conhecimento;
    • consultar legislação;
    • contribuir para o exercício da cidadania entre os alunos;
    • respeitar os limites dos alunos;
    • comunicar às autoridades escolares e às famílias os problemas referentes aos alunos;
    • demonstrar solidariedade;
    • corrigir provas, exercícios e trabalhos dos alunos;
    • solicitar providências das instâncias competentes quanto aos direitos funcionais do professor;
    • listar material escolar básico;
    • realizar reuniões com os pais para orientação;
    • escrever segundo as normas ortográficas e gramaticais;
    • adequar diferentes ambientes ao processo de ensino e aprendizagem;
    • demonstrar controle emocional;
    • trocar experiências com os professores através de reuniões;
    • discutir projetos interdisciplinares com colegas;
    • registrar as atividades de horas-de trabalho docente extraclasse;
    • ministrar aulas;
    • demonstrar criatividade e iniciativa;
    • estabelecer as metodologias de ensino;
    • avaliar a frequência dos alunos;
    • contextualizar os conhecimentos;
    • falar segundo as normas ortográficas e gramaticais;
    • desenvolver situações de aprendizagem para reflexão sobre os direitos da criança e dos adolescentes;
    • elaborar o projeto pedagógico;
    • assumir funções administrativo-pedagógicas;
    • agir eticamente;
    • demonstrar pontualidade e assiduidade;
    • propor opções para o horário de trabalho;
    • desenvolver temas transversais por intermédio de diferentes atividades;
    • acompanhar as mudanças na área da educação;
    • desenvolver atividades para reflexão sobre a questão da cidadania;
    • registrar atividades culturais e pedagógicas;
    • contribuir para o desenvolvimento de relações de solidariedade entre os alunos;
    • propor calendário de avaliação escrita;
    • diagnosticar o nível pedagógico dos alunos;
    • avaliar o processo de ensino-aprendizagem em reuniões com a comunidade escolar;
    • conviver com as ideias ou posições contrárias;
    • definir processos e critérios de avaliação;
    • definir os requisitos para o desenvolvimento do trabalho docente;
    • ler literatura específica da área de conhecimento;
    • dialogar com a direção e coordenações da escola;
    • incentivar a participação dos alunos nos projetos comunitários;
    • avaliar os alunos nos conselhos de classe e/ou série;
    • propor atividades e exercícios de recuperação da aprendizagem;
    • orientar os alunos quanto aos métodos e práticas de estudo;
    • orientar a autoavaliação dos alunos;
    • criar situações múltiplas de aprendizagem;
    • socializar os conhecimentos adquiridos em eventos de formação;
    • preencher formulários com notas e faltas;
    • preencher diário de classe;
    • demonstrar liderança;
    • orientar os alunos quanto à utilização dos recursos didáticos e ambientes de aprendizagem;
    • registrar os planos da escola, do curso e das disciplinas;
    • demonstrar capacidade de intervir na realidade;
    • registrar atividades extracurriculares;
    • avaliar a participação dos alunos nas atividades escolares;
    • promover palestras e outras atividades sobre valores éticos;
    • propor regras comuns para comunidade escolar;
    • elaborar cronogramas das atividades da disciplina;
    • analisar o plano de gestão da escola;
    • consultar bibliotecas;
    • possibilitar a apropriação de conhecimentos;
    • encaminhar alunos para serviço de orientação escolar;
    • revelar interesses multidisciplinares;
    • comunicar os resultados da avaliação aos pais e aos alunos;
    • organizar a bibliografia;
    • sugerir a compra de equipamentos e materiais pedagógicos;
    • sugerir atividades na elaboração do cronograma da escola;
    • respeitar a heterogeneidade dos alunos;
    • empregar recursos e procedimentos didáticos;
    • propor atividades e exercícios em sala de aula e extra classe;
    • construir relações de confiança com os alunos;
    • colocar-se disponível para os alunos;
    • organizar atividades comunitárias;
    • aprender novas tecnologias;
    • frequentar cursos de especialização, eventos científicos e sindicais;
    • levar em conta sugestões da comunidade para elaboração de projetos pedagógicos;
    • participar da elaboração do plano de gestão da escola;
    • selecionar recursos multimídia eletrônica, textos, livros didáticos e paradidáticos;
    • identificar as dificuldades dos alunos para reorganização do processo de aprendizagem;
    • elaborar os instrumentos de avaliação;
    • orientar sobre a preservação do patrimônio histórico- cultural e do meio ambiente;
    • esclarecer os critérios de avaliação para os alunos;
    • elencar temas para projetos pedagógicos;
    • participar da gestão escolar nos colegiados;
    • registrar avaliações e resultados;
    • estimular a troca de conhecimento;
    • analisar os livros didáticos propostos pelos ministérios, secretarias e coordenações;
    • decodificar diferentes códigos e linguagens;
    • promover jogos e atividades de caráter cooperativo;

    Cargos e salários CBO 2313-35 - Professores de nível superior no ensino fundamental de quinta a oitava série

    Salário Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental

    Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental: Brasil

    • 2.090
    • Brasil
    • 3.491 - 10.450
    • 25h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental CBO 2313-35 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.491 e 10.450 para uma jornada de trabalho média de 25h semanais de acordo com dados salariais de 2.090 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série

    Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série: Brasil

    • 2.090
    • Brasil
    • 3.491 - 10.450
    • 25h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série CBO 2313-35 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.491 e 10.450 para uma jornada de trabalho média de 25h semanais de acordo com dados salariais de 2.090 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental São Paulo

    Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental: São Paulo, SP

    • 142
    • São Paulo, SP
    • 4.779 - 12.927
    • 24h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental CBO 2313-35 trabalhando em São Paulo - SP, ganha entre 4.779 e 12.927 para uma jornada de trabalho média de 24h semanais de acordo com dados salariais de 142 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental Belo Horizonte

    Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental: Belo Horizonte, MG

    • 56
    • Belo Horizonte, MG
    • 2.958 - 6.835
    • 19h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental CBO 2313-35 trabalhando em Belo Horizonte - MG, ganha entre 2.958 e 6.835 para uma jornada de trabalho média de 19h semanais de acordo com dados salariais de 56 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental Rio de Janeiro

    Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental: Rio de Janeiro, RJ

    • 92
    • Rio de Janeiro, RJ
    • 2.658 - 6.931
    • 23h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental CBO 2313-35 trabalhando em Rio de Janeiro - RJ, ganha entre 2.658 e 6.931 para uma jornada de trabalho média de 23h semanais de acordo com dados salariais de 92 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série Rio de Janeiro

    Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série: Rio de Janeiro, RJ

    • 92
    • Rio de Janeiro, RJ
    • 2.658 - 6.931
    • 23h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série CBO 2313-35 trabalhando em Rio de Janeiro - RJ, ganha entre 2.658 e 6.931 para uma jornada de trabalho média de 23h semanais de acordo com dados salariais de 92 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.
    Salário Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série São Paulo

    Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série: São Paulo, SP

    • 142
    • São Paulo, SP
    • 4.779 - 12.927
    • 24h
    O profissional no cargo de Professor de Língua Portuguesa no Ensino Supletivo do Ensino Fundamental de 5ª a 8ª Série CBO 2313-35 trabalhando em São Paulo - SP, ganha entre 4.779 e 12.927 para uma jornada de trabalho média de 24h semanais de acordo com dados salariais de 142 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2313-35.