CBO 2221-15 - Engenheiros agrossilvipecuários - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 2221-15 é o Código Brasileiro da Ocupação de engenheiros agrossilvipecuários que pertence ao grupo dos agrônomos, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Engenheiros agrossilvipecuários CBO 2221-15 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2221-15

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Profissionais das ciências biológicas, da saúde.
      • Agrônomos.
        • Engenheiros agrossilvipecuários.

Descrição dos cargos da categoria Engenheiros agrossilvipecuários

Os Engenheiros agrossilvipecuários CBO 2221-15 planejam, coordenam e executam atividades agrossilvipecuárias e do uso de recursos naturais renováveis e ambientais. Fiscalizam essas atividades, promovem a extensão rural, orientando produtores nos vários aspectos das atividades agrossilvipecuárias e elaboram documentação técnica e científica. Podem prestar assistência e consultoria técnicas.

Condições de trabalho

Engenheiros agrossilvipecuários trabalham em atividades da agricultura, pecuária e silvicultura, exploração florestal, pesca e aqüicultura, em empresas públicas e privadas e em cooperativas de produtores. Atuam como empregados, prestadores de serviços ou servidores públicos. Há possibilidade de colocação também em órgãos públicos fiscalizadores da qualidade ou classificadores de produtos e em empresas públicas de extensão rural. Trabalham em equipe, com supervisão ocasional, a céu aberto, ficando, muitas vezes, expostos a condições climáticas adversas. Podem permanecer em condições desconfortáveis por longos períodos, sujeitos a exposição de materiais tóxicos e ruídos intensos.

Exigências do mercado de trabalho

As ocupações requerem o curso superior completo na área para o seu exercício. É freqüente a presença de profissionais com cursos de mestrado, doutorado ou cursos de especialização.

Funções dos Engenheiros agrossilvipecuários CBO 2221-15

Engenheiros agrossilvipecuários devem:

  • elaborar documentação técnica e científica;
  • fiscalizar atividades agrossilvipecuárias e o uso de recursos naturais renováveis e ambientais;
  • comunicar-se;
  • coordenar atividades agrossilvipecuárias e o uso de recursos naturais renováveis e ambientais;
  • demonstrar competências pessoais;
  • planejar atividades agrossilvipecuárias e do uso de recursos naturais renováveis e ambientais;
  • desenvolver tecnologia;
  • prestar assistência e consultoria técnicas e extensão rural;
  • executar atividades agrossilvipecuárias e do uso de recursos naturais renováveis e ambientais;
  • Atividades dos cargos CBO 2221-15

    Entre as principais atribuições dos Engenheiros agrossilvipecuários CBO 2221-15 estão as de:

    • realizar perícias e auditorias;
    • realizar estudos de mercados;
    • analisar viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental de soluções propostas;
    • realizar visitas técnicas;
    • apreender produtos agrossilvipecuários;
    • analisar projetos, contratos, convênios, propostas técnicas, programas de trabalho.;
    • evidenciar adaptabilidade;
    • estimar custos;
    • elaborar material para divulgação de produtos, serviços, equipamentos;
    • executar levantamento topográfico;
    • supervisionar processo em manejo de recursos naturais (bióticos e abióticos);
    • orientar comercialização de produtos agrossilvipecuários;
    • fiscalizar procedência, transporte e comercialização de produtos de origem animal e vegetal;
    • coordenar treinamentos;
    • adaptar linguagem;
    • autuar crimes ambientais e florestais;
    • elaborar estudos estatísticos;
    • fiscalizar obras em execução;
    • administrar recursos patrimoniais;
    • elaborar projetos;
    • demonstrar criatividade;
    • orientar utilização de fontes alternativas de energia;
    • desenvolver capacidade de negociação;
    • identificar necessidades;
    • adaptar tecnologia;
    • supervisionar construção e manutenção de infraestrutura rural;
    • definir parâmetros de produção;
    • administrar recursos financeiros;
    • elaborar artigos técnico-científicos;
    • prescrever receituário agropecuário;
    • coordenar programas e convênios interinstitucionais;
    • supervisionar atividades de sistema de produção (agricultura, aquicultura, silvicultura, pecuária);
    • discutir soluções propostas com envolvidos;
    • demonstrar receptividade;
    • desenvolver programas computacionais específicos;
    • desenvolver expressão oral;
    • embargar atividades agrossilvipecuárias de estabelecimentos infratores;
    • demonstrar discernimento;
    • supervisionar processos de tratamento de resíduos;
    • levantar informações técnicas;
    • orientar processos de uso sustentável e conservação de solo, água e meio ambiente;
    • ministrar cursos, seminários, palestras.;
    • orientar administração de propriedade rural;
    • coordenar equipe de trabalho;
    • intermediar convênios, contratos, parcerias;
    • desenvolver produtos, equipamentos e acessórios;
    • diagnosticar situações;
    • emitir laudos e pareceres técnicos;
    • organizar associações de produtores;
    • elaborar normas e procedimentos técnicos;
    • organizar eventos;
    • desenvolver liderança;
    • testar desempenho de equipamentos, máquinas, materiais;
    • desenvolver raciocínio lógico;
    • supervisionar processos de recuperação de área degradada;
    • analisar amostras colhidas e resultados de análises laboratoriais;
    • captar recursos financeiros;
    • avaliar atividades agrossilvipecuárias;
    • desenvolver expressão escrita;
    • inspecionar qualidade e sanidade de produto;
    • inventariar recursos físicos e financeiros de empreendimento;
    • demonstrar espírito empreendedor;
    • monitorar itens de controle do processo produtivo e/ou ambiental;
    • elaborar relatórios de atividade;
    • desenvolver processos e sistemas de tratamento de resíduos;
    • definir ordenamento cronológico e logística de ações;
    • executar levantamento ambiental;
    • orientar planejamento, execução, controle e administração de sistemas produtivos;
    • fiscalizar atividades de extrativismo;
    • elaborar inventário de recursos disponíveis (naturais, máquinas, equipamentos);
    • desenvolver biotecnologia;
    • cultivar flexibilidade na relação interpessoal;

    Cargos e salários CBO 2221-15 - Engenheiros agrossilvipecuários

    Salário Engenheiro de Pesca

    Engenheiro de Pesca: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Engenheiro de Pesca CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.
    Salário Consultor Técnico em Aqüicultura

    Consultor Técnico em Aqüicultura: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Consultor Técnico em Aqüicultura CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.
    Salário Consultor Técnico em Pesca

    Consultor Técnico em Pesca: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Consultor Técnico em Pesca CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.
    Salário Engenheiro Aqüicultor

    Engenheiro Aqüicultor: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Engenheiro Aqüicultor CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.
    Salário Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pesca

    Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pesca: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pesca CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.
    Salário Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pescado

    Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pescado: Brasil

    • 93
    • Brasil
    • 3.498 - 7.403
    • 42h
    O profissional no cargo de Engenheiro Especialista em Tecnologia de Pescado CBO 2221-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.498 e 7.403 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 93 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2221-15.