CBO 9911-15 - Conservadores de vias permanentes (trilhos) - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 9911-15 é o Código Brasileiro da Ocupação de conservadores de vias permanentes (trilhos) que pertence ao grupo dos outros trabalhadores da conservação e manutenção (exceto trabalhadores elementares), segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Conservadores de vias permanentes (trilhos) CBO 9911-15 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 9911-15

  • Trabalhadores em serviços de reparação e manutenção.
    • Outros trabalhadores da conservação, manutenção e reparação.
      • Outros trabalhadores da conservação e manutenção (exceto trabalhadores elementares).
        • Conservadores de vias permanentes (trilhos).

Descrição dos cargos da categoria Conservadores de vias permanentes (trilhos)

Os Conservadores de vias permanentes (trilhos) CBO 9911-15 reparam componentes de superestrutura e infra-estrutura das vias. Corrigem geometria das vias por meio de equipamentos, analisando informações topográficas e geométricas, preparando e ajustando máquinas e corrigindo desníveis. Esmerilham trilhos, desguarnecem lastros, removendo os que estiverem contaminados e recolocando aqueles que estiverem tratados. Realizam soldagem aluminotérmica, examinando, cortando, nivelando, alinhando, soldando e esmerilhando trilhos. Inspecionam vias e providenciam manutenção de máquinas e equipamentos. Desenvolvem as atividades comunicando-se com outras áreas e com o centro de controle operacional e trabalham seguindo normas de segurança, qualidade e proteção ao meio ambiente.

Condições de trabalho

Conservadores de vias permanentes (trilhos) trabalham em empresas de transporte terrestre como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, em locais abertos, no horário noturno. Porém,o trabalho em horário diurno também é possível, especialmente no caso dos conservadores de vias. Normalmente trabalham em locais subterrâneos e sujeitos a posições desconfortáveis durante longos períodos. O soldador aluminotérmico pode permanecer exposto a ruído intenso e altas temperaturas.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício das ocupações de conservador de vias permanentes e soldadores aluminotérmicos requer-se ensino fundamental completo. No caso do operador de máquinas especiais e do inspetor de vias permanentes, exige-se ensino médio completo e curso básico de qualificação com até duzentas horas-aula, ministrado em escola profissionalizante. As empresas dão preferência a trabalhadores que tenham cursos de mecânica geral e ou elétrica, especialmente no caso do inspetor de vias permanentes. O pleno desempenho das atividades ocorre com a prática profissional no posto de trabalho.

Funções dos Conservadores de vias permanentes (trilhos) CBO 9911-15

Conservadores de vias permanentes (trilhos) devem:

  • inspecionar vias;
  • trabalhar com segurança;
  • reparar componentes da superestrutura e da infraestrutura da via;
  • desguarnecer lastro;
  • demonstrar competências pessoais;
  • comunicar-se;
  • corrigir geometria da via por meio de equipamentos;
  • providenciar manutenção de máquinas e equipamentos;
  • realizar soldagem aluminotérmica;
  • esmerilhar trilhos;
  • Atividades dos cargos CBO 9911-15

    Entre as principais atribuições dos Conservadores de vias permanentes (trilhos) CBO 9911-15 estão as de:

    • sinalizar vias;
    • participar da elaboração da programação de trabalho;
    • controlar a velocidade de trabalho (do esmerilhamento);
    • recolher objetos estranhos da via;
    • classificar nível de falhas;
    • trabalhar em equipe;
    • confirmar liberação de via para manutenção;
    • reciclar-se;
    • checar equipamento (check list);
    • inteirar-se do trabalho a ser realizado;
    • monitorar o painel de controle da máquina desguarnecedora;
    • aplicar procedimentos de segurança;
    • mapear áreas de risco;
    • definir método de esmerilhamento;
    • demonstrar senso de ética;
    • remover lastro contaminado;
    • relacionar pendências do equipamento;
    • ajustar dados da máquina;
    • interditar linha em situação de emergência;
    • analisar informações topográficas e geométricas da via;
    • definir prioridades;
    • descarregar britas e dormentes;
    • corrigir desnível transversal dos trilhos;
    • relatar falhas detectadas no ato de inspeção;
    • varrer lastro;
    • injetar produtos químicos nos dormentes;
    • comunicar ao centro de controle operacional o local de serviço;
    • auxiliar técnicos na aferição de máquinas;
    • atentar para as normas de segurança;
    • demonstrar bom senso;
    • examinar o estado do trilho;
    • examinar condições das ferramentas;
    • lavar vias;
    • encaminhar para aferição equipamentos, máquinas e instrumentos de trabalho;
    • analisar programação de inspeção;
    • examinar condições gerais do veículo;
    • regularizar lastro;
    • relatar horas e atividades desenvolvidas pela equipe;
    • corrigir nivelamento longitudinal;
    • definir riscos em potencial;
    • comunicar ocorrências;
    • pedir autorização para interdição de linha;
    • regular pressão dos motores de esmerilhamento;
    • isolar áreas;
    • instalar máquina de desguarnecimento na via;
    • respeitar limites de velocidade da via;
    • operar veículo de inspeção geométrica da via;
    • operar esmerilhadeira para ação corretiva e ou preventiva em trilhos;
    • monitorar instrumentos de correção de via;
    • carregar materiais diversos;
    • recolocar lastro tratado;
    • encaminhar veículo para manutenção;
    • demonstrar iniciativa;
    • alimentar a máquina com dados geométricos;
    • avaliar local de depósito do rejeito;
    • demonstrar capacidade de concentração;
    • descarregar trilhos;
    • posicionar carro esmerilhador na via;
    • trocar informações com outras áreas;
    • reforçar a marcação de parâmetros na via;
    • checar água de irrigação (máquina esmerilhadora) e extintores;
    • preparar a máquina;
    • determinar profundidade de corte da máquina desguarnecedora;
    • corrigir alinhamento;
    • socar lastro;
    • usar equipamentos de segurança individual;
    • regular ângulos dos motores de esmerilhamento;
    • peneirar brita para remoção de detritos;
    • conduzir trem esmerilhador até local de trabalho;
    • demonstrar responsabilidade;
    • estabelecer limite de nivelamento e alinhamento da via;
    • trocar peças danificadas;
    • monitorar pressão e ângulos dos motores de esmerilhamento;
    • anotar detalhes do serviço executado;
    • medir desgaste ondulatório de trilhos;
    • deslocar-se a pé pela via;
    • esmerilhar componentes de amv, trilhos e juntas;
    • avaliar qualidade do esmerilhamento do trilho;
    • remover equipamentos à oficina;

    Cargos e salários CBO 9911-15 - Conservadores de vias permanentes (trilhos)

    Salário Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

    Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos): Brasil

    • 1.888
    • Brasil
    • 1.771 - 3.415
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) CBO 9911-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.771 e 3.415 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.888 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 9911-15.
    Salário Operador de Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

    Operador de Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos): Brasil

    • 1.888
    • Brasil
    • 1.771 - 3.415
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) CBO 9911-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.771 e 3.415 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.888 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 9911-15.
    Salário Operador de Maquinas Especiais em Conservação de Via Permanente (Trilhos)

    Operador de Maquinas Especiais em Conservação de Via Permanente (Trilhos): Brasil

    • 1.888
    • Brasil
    • 1.771 - 3.415
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Maquinas Especiais em Conservação de Via Permanente (Trilhos) CBO 9911-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.771 e 3.415 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.888 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 9911-15.
    Salário Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

    Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos): Espírito Santo

    • 365
    • Espírito Santo
    • 2.286 - 2.399
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) CBO 9911-15 trabalhando em Espírito Santo, ganha entre 2.286 e 2.399 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 365 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 9911-15.