CBO 7221-10 - Forjador a martelo - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos trabalhadores de forjamento de metais

O profissional no cargo de Forjador a martelo CBO 7221-10 opera equipamentos dotados de martelo de forja, preparando o ferramental, preparando a linha ou o ambiente de produção, executando as operações de conformação especificadas, retirando excessos de metal das peças forjadas, furando as peças forjadas, e calibrando as peças forjadas a quente Planeja o trabalho, interpretando ordens de serviço ou projetos e examinando programação da produção.

Aplica as técnicas requeridas para forjar peças de ferro, aço e outros materiais metálicos, a quente ou a frio Pode usar recursos de automação e robótica, realizando a configuração dos equipamentos Cumpre normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção contra incêndios e de preservação ambiental.

CBO 7221-10 é o Código Brasileiro da Ocupação de trabalhadores de forjamento de metais que pertence ao grupo dos trabalhadores da transformação de metais e de compósitos, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Forjador a martelo, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Trabalhadores de forjamento de metais CBO 7221-10 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 7221-10

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
    • Trabalhadores de forjamento de metais.
      • Trabalhadores da transformação de metais e de compósitos.

O que faz um Forjador a martelo

O Forjador a martelo CBO 7221-10 planeja o trabalho, interpretando ordens de serviço ou projetos, para determinar as tolerâncias e as sequências de operações Examina a programação da produção.

Prepara o ferramental – fora do equipamento de forja a martelo, conferindo medidas das matrizes conforme especificações do equipamento.

Verifica o código da corrida da matéria-prima – ferro, aço, titânio, alumínio de alta resistência, aço inox austenítico, dentre outros materiais, conforme programação da produção Fixa matriz no porta-estampo e aquece as matrizes previamente.

Prepara a linha ou o ambiente de produção, realizando as montagens, os ajustes e outras operações requeridas, para permitir o início do processo de forjamento Em ambientes de produção com recursos de automação e robótica, realiza a configuração dos equipamentos.

Centraliza o ferramental, ajustando suas partes.

Fixa chavetas e garras nos equipamentos Em sistemas com laminador, ajusta o laminador conforme especificações ou orientações para peças a serem produzidas.

Aquece o ferramental previamente.

Fixa e centraliza – no equipamento – o conjunto para retirada de rebarbas, perfuração e calibração das peças forjadas, ajustando a altura do conjunto Testa equipamentos para verificar ajustes e reaperta componentes de fixação Opera equipamento de forja a martelo, de acordo com as técnicas requeridas no processo, para forjar peças de ferro, aço e outros materiais metálicos.

Abastece forno com matéria-prima e aquece o ferramental Regula parâmetros do forno e do equipamento, conforme especificações técnicas ou orientações de engenharia Verifica temperatura de forjamento.

Aciona laminador do sistema para permitir a laminação da matéria-prima (material metálico) a ser forjada e dar início à produção Aciona o equipamento para produzir peças de amostra, observando as operações para detectar funcionamento irregular e verificar se as configurações do equipamento estão em conformidade com as especificações.

Em sistemas com comando centralizado, configura parâmetros de controle do processo e da produção Aplica lubrificantes especiais ou outros produtos desmoldantes nas matrizes, para facilitar a extração da peça forjada Molda peças no equipamento de forja, executando as operações de conformação necessárias, até atingir a forma especificada.

Atua nos comandos apropriados para definir as pressões e profundidades dos golpes de martelo e para sincronizar as operações do equipamento Retira excessos de metal das peças forjadas Fura peças forjadas e calibra peças forjadas a quente.

Confere formas das peças forjadas com gabaritos ou instrumentos de medição Inspeciona visualmente as peças forjadas e as acondiciona em local apropriado Em processos de forjaria de precisão, realiza o controle dimensional das peças forjadas, de acordo com especificações de processo.

Remove as matrizes dos equipamentos quando a produção for concluída Retira ferramental após conclusão de programação e monta o ferramental específico para nova corrida Pode substituir componentes por desgaste Mantém o ambiente de produção limpo e organizado Solicita manutenção para os equipamentos de forjaria, quando necessário.

Trabalha com segurança, usando Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Segue diretrizes de preservação ambiental, realizando coleta, classificação e descarte de resíduos do processo forjamento.

Funções do cargo

O funcionário CBO 7221-10 deve preparar o ferramental fora do equipamento, forjar peças metálicas, preparar a linha de produção, demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho dessas profissões

Trabalhadores de forjamento de metais os profissionais trabalham, principalmente, na indústria metalmecânica, desenvolvem suas atividades em equipe comandada permanentemente por coordenador, supervisor ou líder, em turnos fixos de trabalho. Em indústrias que passaram por reestruturação podem ser designados operadores polivalentes e trabalhar em células de produção. Costumam permanecer em posições desconfortáveis por longos períodos e podem estar expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas. O seu vínculo de trabalho mais comum é como empregado com carteira assinada.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 7221-10

É desejável que o profissional tenha como nível de instrução mínimo o ensino fundamental completo. Para o exercício pleno das atividades requer-se, pelo menos, quatro anos de experiência para o forjador a martelo e o forjador e, entre um e dois anos, para o forjador prensista. Não costuma ser requisitada formação profissional formal, o que indica que essas ocupações podem ser aprendidas na prática, no local de trabalho.

Atividades exercidas por um Forjador a martelo CBO 7221-10

Um Forjador a martelo (ou sinônimo) deve retirar ferramental após conclusão de programação ou por desgaste de componentes, verificar a temperatura de forjamento, aplicar o desmoldante para facilitar a extração da peça forjada, acondicionar peças forjadas em local apropriado, buscar o aperfeiçoamento profissional, retirar excessos de metal das peças forjadas, aquecer o ferramental previamente, regular parâmetros do forno e da prensa conforme norma ou orientação, furar a peça forjada, testar equipamentos para verificar os ajustes, usar os equipamentos de proteção individual e coletivo, centralizar no equipamento o conjunto de rebarbação, perfuração e calibração para peças forjadas, solicitar manutenção em fornos, prensas, laminadores e martelos, abastecer o forno com matéria prima, fixar a matriz no porta-estampo, fixar as chavetas, garras nos equipamentos, moldar as peças no equipamento até atingir a forma especificada, iniciar processo de produção, ajustar o laminador conforme especificações ou orientações para as peças a serem produzidas, montar ferramental no equipamento, fixar no equipamento o conjunto de rebarbação, perfuração e calibração para as peças forjadas, trabalhar em equipe, centralizar o ferramental, ajustando as suas partes, obedecer orientações, normas para a realização dos trabalhos, conferir as formas das peças forjadas com gabarito ou instrumentos de medição, desenvolver habilidade para visualizar detalhes de objetos, laminar a matéria prima metálica, aquecer o ferramental, inspecionar visualmente as peças forjadas, verificar o código da corrida da matéria prima, conforme programação de produção, zelar pela limpeza e organização no local de trabalho, aplicar conhecimento teoricos na execução dos trabalhos, ajustar altura do conjunto de rebarbação, perfuração e calibração para peças forjadas, reapertar componentes de fixação, desenvolver habilidade para realizar movimentos manuais precisos, conferir medidas das matrizes conforme especificação do equipamento, calibrar a peça forjada a quente, aquecer as matrizes previamente, realizar os trabalhos conforme os princípios da qualidade total.

Cargos e salários CBO 7221-10 - Trabalhadores de forjamento de metais

Salário Marteleiro a Carga de Fogo

Marteleiro a Carga de Fogo: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Marteleiro a Carga de Fogo CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Marteleiro de Cutelaria

Marteleiro de Cutelaria: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Marteleiro de Cutelaria CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Forjador a Martelo

Forjador a Martelo: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Forjador a Martelo CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Forjador a Martelete

Forjador a Martelete: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Forjador a Martelete CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Forjador a Martelo de Queda Livre

Forjador a Martelo de Queda Livre: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Forjador a Martelo de Queda Livre CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Forjador a Martelo-pilão

Forjador a Martelo-pilão: Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Forjador a Martelo-pilão CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Marteleiro (forjaria)

Marteleiro (forjaria): Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Marteleiro (forjaria) CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.
Salário Marteleiro (metalúrgica)

Marteleiro (metalúrgica): Brasil

  • 143
  • Brasil
  • 2.278 - 3.905
  • 43h
O profissional no cargo de Marteleiro (metalúrgica) CBO 7221-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.278 e 3.905 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 143 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7221-10.