CBO 3212-05 - Técnicos florestais - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 3212-05 é o Código Brasileiro da Ocupação de técnicos florestais que pertence ao grupo dos técnicos da produção agropecuária, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Técnicos florestais CBO 3212-05 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 3212-05

  • Técnicos de nível médio.
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde.
      • Técnicos da produção agropecuária.
        • Técnicos florestais.

Descrição dos cargos da categoria Técnicos florestais

Os Técnicos florestais CBO 3212-05 supervisionam, execução de atividades florestais, desde a construção de viveiros florestais e infra-estrutura, produção de mudas e colheita florestal até o manejo de florestas nativas e comerciais, inventariam florestas, planejam atividades florestais, elaboram documentos técnicos. Administram unidades de conservação e de produção, atuam na preservação e conservação ambiental, fiscalizam e monitoram fauna e flora, ministram treinamentos e podem participar de pesquisas.

Condições de trabalho

Técnicos florestais atuam em instituições públicas e privadas ligadas a atividades florestais, empresas de fabricação de produtos de madeira, indústrias de papel e celulose, instituições de pesquisas e desenvolvimento, reservas ecológicas e indústrias de silvicultura e exploração florestal. Técnicas avançadas de mapeamento, possibilitadas pelo sistema de posicionamento global (gps) têm facilitado e agilizado a identificação de eventos a fiscalizar, ampliando o mercado de trabalho. Trabalham a céu aberto e em ambiente fechado. São assalariados, com carteira assinada. Atuam sob condições favoráveis de trabalho. Em algumas atividades, podem estar sujeitos a ruídos e material tóxico.

Exigências do mercado de trabalho

O exercício dos cargos de Técnicos florestais requer curso técnico florestal ou curso pós-técnico florestal, de nível médio. Trabalham em equipe multidisciplinar, sob supervisão ocasional de engenheiros florestais e afins. O pleno exercício da atividade é atingido após experiência profissional de um a dois anos na área.

Funções dos Técnicos florestais CBO 3212-05

Técnicos florestais devem:

  • administrar unidades de conservação e de produção;
  • fiscalizar fauna e flora;
  • atuar na preservação e conservação ambiental;
  • ministrar treinamentos na Área florestal;
  • comunicar-se;
  • inventariar florestas;
  • elaborar documentos técnicos;
  • praticar extensão florestal;
  • supervisionar execução de atividades florestais;
  • demonstrar competências pessoais;
  • participar de pesquisas florestais;
  • planejar atividades florestais;
  • Atividades dos cargos CBO 3212-05

    Entre as principais atribuições dos Técnicos florestais CBO 3212-05 estão as de:

    • planejar infraestrutura (galpões, viveiros, vias de acesso, cercas, equipamentos e outros);
    • conferir dados coletados;
    • coordenar equipe de vigilância e resgate;
    • elaborar planos de auto suprimento;
    • emitir documentos fiscais;
    • definir técnicas de treinamento;
    • gerenciar industrialização de produtos florestais;
    • comercializar subprodutos;
    • recensear áreas vizinhas das unidades de conservação e produção;
    • providenciar renovação de documentos fiscais;
    • liderar;
    • supervisionar aplicação de produtos químicos e orgânicos;
    • acompanhar experimentos em geral;
    • preparar material didático;
    • pesquisar usos alternativos de madeira;
    • coletar dados, materiais e subprodutos para subsidiar pesquisas;
    • fornecer dados técnicos para elaboração de contratos;
    • dar provas de responsabilidade;
    • demonstrar senso crítico;
    • demonstrar bom condicionamento físico;
    • definir objetivos da floresta;
    • identificar líderes comunitários;
    • demonstrar iniciativa;
    • fiscalizar produção e comercialização de produtos e subprodutos da flora;
    • orientar sobre utilização racional de recursos naturais renováveis e conservação ambiental;
    • controlar volume de produção e estoque de produtos florestais;
    • sistematizar informações socioeconômicas da comunidade;
    • gerenciar beneficiamento de produtos florestais;
    • emitir autos de infração ambiental;
    • organizar cronograma de treinamento;
    • desenvolver métodos e equipamentos;
    • participar de publicação de resultados de pesquisas;
    • supervisionar colheita florestal;
    • ministrar palestras para comunidades, escolas e empresas;
    • atualizar cadastros em geral;
    • elaborar cronograma de execução física e operacional;
    • registrar treinamento realizado;
    • assessorar criação de cooperativas;
    • orientar sobre legislação ambiental;
    • mobilizar comunidades e lideranças;
    • analisar projetos técnicos ambientais e de impacto ambiental;
    • orientar sobre uso de tecnologias;
    • realizar levantamento residual, cubagem e fator de empilhamento;
    • emitir relatórios de inventários florestais;
    • definir logística de carregamento e transporte;
    • criar placas identificadoras e sinalizadoras;
    • divulgar resultados de pesquisa;
    • ministrar aulas;
    • selecionar matrizes de espécies florestais;
    • elaborar planilha de custos para execução de projetos;
    • participar na elaboração de projetos de pesquisa;
    • processar dados coletados;
    • demonstrar capacidade de expressão escrita;
    • demonstrar coerência;
    • avaliar desempenho de treinandos;
    • fiscalizar utilização de máquinas e equipamentos florestais;
    • orientar execução de projetos técnicos;
    • demonstrar qualidade de adaptação;
    • montar unidades demonstrativas;
    • demonstrar capacidade de expressão oral;
    • instalar experimentos em geral;
    • trabalhar em equipe;
    • elaborar desenhos técnicos;
    • demonstrar criatividade;
    • planejar volume de colheita de madeira;
    • fiscalizar controle fitossanitário de essências florestais;
    • supervisionar banco de dados;
    • adequar linguagem;
    • supervisionar controle de qualidade de produção florestal;
    • emitir relatórios de atividades operacionais;
    • detectar necessidades de treinamento e reciclagem;
    • demonstrar viabilidade econômica de produtos e métodos;

    Cargos e salários CBO 3212-05 - Técnicos florestais

    Salário Técnico em Madeira

    Técnico em Madeira: Brasil

    • 190
    • Brasil
    • 2.256 - 4.173
    • 42h
    O profissional no cargo de Técnico em Madeira CBO 3212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.256 e 4.173 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 190 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3212-05.
    Salário Assistente Técnico em Madeira

    Assistente Técnico em Madeira: Brasil

    • 190
    • Brasil
    • 2.256 - 4.173
    • 42h
    O profissional no cargo de Assistente Técnico em Madeira CBO 3212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.256 e 4.173 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 190 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3212-05.
    Salário Técnico Madeireiro

    Técnico Madeireiro: Brasil

    • 190
    • Brasil
    • 2.256 - 4.173
    • 42h
    O profissional no cargo de Técnico Madeireiro CBO 3212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.256 e 4.173 para uma jornada de trabalho média de 42h semanais de acordo com dados salariais de 190 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3212-05.