CBO 2145-25 - Engenheiro químico (petróleo e borracha) - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos engenheiros químicos

O profissional no cargo de Engenheiro químico (petróleo e borracha) CBO 2145-25 Projeta sistemas e equipamentos em indústrias de petróleo e seus derivados, de borracha e de plásticos e seus produtos, aplicando princípios e métodos de engenharia química, física, biologia, entre outros Verifica a viabilidade técnica e econômica e supervisiona a implantação do projeto.

Prospecta novas tecnologias, realiza pesquisas para desenvolver processos e simuladores Participa em projetos de automação dos processos Controla os processos químicos, físicos e biológicos, coletando e analisando amostras, verificando equipamentos e programando sua manutenção, para garantir a qualidade da produção.

Analisa aspectos e impactos ambientais Coordena as atividades de trabalho Elabora documentação técnica, podendo participar de perícias.

Cumpre normas técnicas e regulamentadoras de biossegurança, saúde e segurança no trabalho, de combate a incêndio e de preservação ambiental

CBO 2145-25 é o Código Brasileiro da Ocupação de engenheiros químicos que pertence ao grupo dos profissionais das ciências exatas, físicas e da engenharia, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Engenheiro químico (petróleo e borracha), atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Engenheiros químicos CBO 2145-25 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 2145-25

  • Profissionais das ciências e das artes.
    • Engenheiros químicos.
      • Profissionais das ciências exatas, físicas e da engenharia.

O que faz um Engenheiro químico (petróleo e borracha)

O Engenheiro químico (petróleo e borracha) CBO 2145-25 controla processos químicos, físicos e biológicos, definindo materiais e equipamentos, nível de estoque de materiais, parâmetros de controle de processos, procedimentos operacionais, métodos analíticos, entre outros, a fim de produzir petróleo e derivados, borrachas, plásticos e seus produtos, nas indústrias do petróleo, borracha e plástico Coleta e analisa amostras e verifica os resultados em relação às especificações estabelecidas.

Efetua a análise estatística de dados, identificando padrões e tendências, a fim de corrigir desvios e assegurar a qualidade do produto.

Verifica a conformidade e o funcionamento de equipamentos, requisitando a manutenção, quando necessária Registra as ocorrências.

Desenvolve processos e sistemas químicos, inclusive automatizados e integrados, realizando pesquisas e estudos relacionados aos materiais e aos equipamentos, executando testes e ensaios e calculando o balanço de massa, de energia e a quantidade de movimento em plantas industriais Desenvolve simuladores de processos, testando-os e validando-os.

Gerencia custos e indicadores de processos, modificando as variáveis, validando os processos e avaliando o custo-benefício.

Pode trabalhar, na indústria do petróleo, em atividades de prospecção, extração e beneficiamento de petróleo e gás, “onshore” e “offshore” Participa do desenvolvimento de automação de processos, prospectando soluções tecnológicas, selecionando fornecedores de equipamentos, instalações e insumos, alterando o fluxograma a fim de melhorar o desempenho.

Monitora a implantação de processos, sistemas e equipamentos na indústria.

Pode utilizar software de controle a distância Projeta sistemas e equipamentos, gerando projeto conceitual e projeto de engenharia básica Verifica a viabilidade técnica e econômica do projeto.

Detalha o projeto construtivo, consultando normas técnicas, de segurança e a legislação, dimensionando os equipamentos e sistemas Elabora cronograma físico e financeiro do projeto e supervisiona sua implantação Pode trabalhar na produção e beneficiamento de petróleo, derivados e produtos petroquímicos, materiais plásticos, fibras e borrachas.

Analisa aspectos e impactos ambientais para implantação sistemas de gestão ambiental, especificando e executando ações de controle, quantificando os impactos e implementando os processos para recuperação e reutilização de rejeitos, inclusive com a implantação de tecnologias que geram diminuição de custos e redução do impacto ambiental em suas atividades Elabora planos ambientais de contingência e emergência.

Coordena equipe de trabalho, programa as atividades, estabelecendo metas e procedimentos, selecionando a equipe e delegando tarefas Coordena as atividades de desenvolvimento técnico da equipe, avaliando o desempenho individual e coletivo Assessora na elaboração de plano de carreira.

Divulga planos de metas e resultados, avaliando seu cumprimento Promove eventos e seminários técnicos Participa de perícias técnicas e auditoria.

Presta consultorias e assistência técnica e avalia relatórios Elabora documentação técnica, tais como: normas e laudos técnicos, relatórios e manuais, memórias técnicas e não conformidades Elabora mapas de riscos ambientais e de segurança, fichas de segurança de materiais e de produtos químicos e prepara documentação.

Submete pedido de patentes de produtos e processos Implementa segurança de processos e procedimentos de trabalho, classificando perigos e riscos de segurança, elaborando plano e procedimentos de segurança no trabalho, realizando inspeções periódicas e fiscalizando a utilização de equipamentos de segurança Diagnostica causas de acidentes de trabalho Verifica a observância de normas técnicas e de segurança, comunicando acidentes e incidentes, participando de treinamento de segurança no trabalho Cumpre normas técnicas e regulamentadoras de biossegurança, saúde e segurança no trabalho, de combate a incêndio e de preservação ambiental.

.

Funções do cargo

O funcionário CBO 2145-25 deve implantar sistemas de gestão ambiental, elaborar documentação técnica, desenvolver processos e sistemas, demonstrar competências pessoais, implementar segurança de processos e procedimentos de trabalho, coordenar equipe e atividades de trabalho, projetar sistemas e equipamentos, controlar processos químicos, físicos e biológicos.

Condições de trabalho dessas profissões

Engenheiros químicos atuam em um amplo campo de trabalho, em indústrias tradicionais como alimentos e bebidas e também em outros ramos, tais como a extração de minerais metálicos, petróleo e gás, refino de combustíveis, fabricação de produtos químicos e petroquímicos, indústria do açúcar e álcool. Trabalham em equipe, de forma cooperativa, podendo supervisioná-la ou serem supervisionados. São empregados, majoritariamente, em empresas privadas. Quando se vinculam a universidades e institutos de pesquisa geralmente exercem funções de professor ou pesquisador. Eventualmente, em algumas atividades que exercem podem estar expostos a materiais tóxicos, ruído intenso e altas temperaturas.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 2145-25

O exercício das ocupações requer formação superior em Engenharia química e afins ou Tecnologia em Produção Sucroalcooleira, com registro no CREA. No mercado de trabalho, têm sido valorizados profissionais com pós-graduação e cursos de especialização.

Atividades exercidas por um Engenheiro químico (petróleo e borracha) CBO 2145-25

Um Engenheiro químico (petróleo e borracha) (ou sinônimo) deve realizar estudos de viabilidade técnico econômica do projeto, prestar consultorias e assistências técnicas, elaborar ficha de segurança de materiais e produtos químicos, demonstrar acuidade sensorial, selecionar equipe de trabalho, preparar documentação legal, coordenar qualificação técnica de equipe, coletar amostras, avaliar desempenho individual e de equipe, redigir relatórios e manuais, elaborar cronograma físico-financeiro de projetos, modificar variáveis de processos, emitir laudos e/ou pareceres técnicos, supervisionar implantação de projetos, detalhar projeto construtivo, avaliar cumprimento de metas, padronizar documentos técnicos, programar atividades de trabalho, consultar normas técnicas, de segurança e legislação, verificar conformidade e funcionamento de equipamentos, classificar perigos e riscos de segurança, monitorar implantação de processos, sistemas e equipamentos, definir parâmetros de controle de processos, definir nível de estoque de materiais, analisar amostras, definir sistema de amostragem, implementar processo de reutilização de rejeitos, analisar aspectos e impactos ambientais, quantificar impactos ambientais, diagnosticar causas de acidentes de trabalho, implantar ações de controle ambiental, divulgar planos, metas e resultados, requisitar manutenção de equipamentos, promover eventos e seminários técnicos, selecionar fornecedores de equipamentos, instalações e insumos, elaborar mapa de riscos ambientais e de segurança, participar do desenvolvimento de automação de processos, trabalhar em equipe, realizar testes e/ou ensaios em plantas industriais e/ou residenciais, área automotiva, aeronáutica, etc, verificar conformidade de resultados, definir procedimentos operacionais, demonstrar capacidade de liderança, fiscalizar procedimentos e utilização de equipamentos de segurança, estabelecer procedimentos de segurança, realizar testes e ensaios de materiais, demonstrar senso crítico, alterar fluxograma de processos, elaborar planos ambientais de contigência e emergência, delegar tarefas, demonstrar atenção focada, submeter pedido de patentes de produtos e processos, dimensionar equipamentos e sistemas, definir padrões e métodos analíticos, simular processos, gerar projetos de engenharia básica, assessorar a elaboração de planos de carreiras, avaliar relatórios, avaliar custo benefício de processos, demonstrar capacidade de raciocínio dedutivo, demonstrar capacidade de raciocínio lógico e analítico, registrar ocorrências, efetuar análise estatística de dados, validar processos, gerar projeto conceitual, recuperar rejeitos e efluentes - sólidos, líquidos e gasosos, demonstrar capacidade de persuasão, prospectar soluções tecnológicas, demonstrar capacidade de negociação, especificar ações de controle ambiental, avaliar consultorias e assistências técnicas, demonstrar capacidade de raciocínio indutivo, desenvolver simuladores de processos, registrar memória técnica, demonstrar capacidade de síntese, pesquisar processos, materiais e equipamentos, gerenciar custos de processos, elaborar planos de segurança de trabalho, emitir normas técnicas, participar de perícias técnicas e auditorias, estabelecer metas de trabalho, demonstrar capacidade de tomar decisões, calcular balanços de massa, energia e quantidade de movimento, realizar inspeções, definir materiais e equipamentos.

Cargos e salários CBO 2145-25 - Engenheiros químicos

Salário Engenheiro Químico (derivados de Petróleo)

Engenheiro Químico (derivados de Petróleo): Brasil

  • 708
  • Brasil
  • 11.289 - 23.392
  • 40h
O profissional no cargo de Engenheiro Químico (derivados de Petróleo) CBO 2145-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 11.289 e 23.392 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 708 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2145-25.
Salário Engenheiro Químico (petróleo e Petroquímica)

Engenheiro Químico (petróleo e Petroquímica): Brasil

  • 708
  • Brasil
  • 11.289 - 23.392
  • 40h
O profissional no cargo de Engenheiro Químico (petróleo e Petroquímica) CBO 2145-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 11.289 e 23.392 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 708 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2145-25.
Salário Engenheiro Químico (plástico)

Engenheiro Químico (plástico): Brasil

  • 708
  • Brasil
  • 11.289 - 23.392
  • 40h
O profissional no cargo de Engenheiro Químico (plástico) CBO 2145-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 11.289 e 23.392 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 708 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2145-25.
Salário Engenheiro Químico (Petróleo e Borracha)

Engenheiro Químico (Petróleo e Borracha): Brasil

  • 708
  • Brasil
  • 11.289 - 23.392
  • 40h
O profissional no cargo de Engenheiro Químico (Petróleo e Borracha) CBO 2145-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 11.289 e 23.392 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 708 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2145-25.
Salário Engenheiro Químico (borracha)

Engenheiro Químico (borracha): Brasil

  • 708
  • Brasil
  • 11.289 - 23.392
  • 40h
O profissional no cargo de Engenheiro Químico (borracha) CBO 2145-25 trabalhando no Brasil, ganha entre 11.289 e 23.392 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 708 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 2145-25.