CBO 8112-15 - Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 8112-15 é o Código Brasileiro da Ocupação de operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos que pertence ao grupo dos operadores de instalações em indústrias químicas, petroquímicas, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos CBO 8112-15 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 8112-15

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
    • Trabalhadores em indústrias de processos contínuos e outras indústrias.
      • Operadores de instalações em indústrias químicas, petroquímicas.
        • Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos.

Descrição dos cargos da categoria Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos

Os Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos CBO 8112-15 preparam interfaces de turno de trabalho e monitoram equipamentos e variáveis do processo de produção. Operam etapas do processo produtivo, realizam manobras de alinhamento dos processos e controlam resultados das etapas do processo produtivo e do sistema de qualidade. Produzem em bateladas (celulose, metais, têxtil e produtos químicos), vazam (descarregam) o forno e treinam novos operadores. Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e preservação ambiental.

Condições de trabalho

Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos atuam na fabricação de produtos químicos, de coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares, álcool, pastas, papel e derivados e metalurgia básica. São assalariados com carteira assinada e atuam em equipe (turnos, multifuncional) sob supervisão permanente. O trabalho é presencial, realizado em ambiente fechado ou a céu aberto. Permanecem durante longos períodos em posições desconfortáveis e trabalham sob pressão, o que pode levá-los a situação de estresse constante. Podem, ainda, trabalhar em grandes alturas ou confinados, em algumas atividades, podem ficar e expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso, altas temperaturas, poeira, gases e umidade.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício dessas ocupações requer-se o curso técnico de nível médio em metalurgia, siderurgia, química, petroquímica ou áreas afins oferecido por instituições de formação profissional ou escolas técnicas. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional.

Funções dos Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos CBO 8112-15

Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos devem:

  • monitorar equipamentos e variáveis do processo de produção;
  • produzir em bateladas (celulose, metais, têxtil e produtos químicos);
  • operar etapas do processo produtivo;
  • realizar manobras de alinhamento dos processos;
  • preparar interfaces de turno de trabalho;
  • controlar os resultados das etapas do processo produtivo e do sistema de qualidade;
  • trabalhar com segurança;
  • treinar novos operadores;
  • demonstrar competências pessoais;
  • vazar (descarregar) o forno;
  • Atividades dos cargos CBO 8112-15

    Entre as principais atribuições dos Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos CBO 8112-15 estão as de:

    • testar equipamentos após manutenção;
    • elaborar relatório de ocorrências de turno;
    • simular evacuação de área;
    • adicionar aditivos e reagentes;
    • registrar resultados de análises laboratoriais;
    • efetuar pressurização conforme procedimentos;
    • demonstrar persuasão;
    • interpretar resultados das amostras;
    • monitorar a qualidade do produto final;
    • liberar através de documento, equipamentos para manutenção;
    • interpretar normas e procedimentos de segurança;
    • ajustar velocidade (rpm) de equipamentos rotativos;
    • monitorar a execução de serviços por terceiros;
    • remover material contaminado do sistema;
    • desobstruir tubulações, conexões, canaletas;
    • utilizar equipamentos de proteção individual;
    • comunicar a ocorrência de acidente e incidente;
    • registrar correções executadas nas variáveis do processo;
    • entregar amostras extras ao laboratório;
    • executar coleta de amostra, demonstrando procedimentos;
    • controlar a temperatura da reação química;
    • monitorar tempo de reação do processo;
    • orientar o preenchimento da folha de leitura operacional;
    • tomar iniciativa;
    • tratar efluentes conforme padrões especificados;
    • controlar níveis de contaminação no ambiente industrial;
    • executar rotinas operacionais demonstrando-as;
    • identificar tipos de amostras;
    • comparar dados do processo com padrões estabelecidos;
    • requisitar insumos e matérias-primas;
    • monitorar a execução de atividades orientadas;
    • checar o nível de ruído dos equipamentos;
    • acionar brigada de segurança;
    • controlar insumos e matérias-primas;
    • discutir ações de segurança (dds, pds);
    • consultar ocorrências de turno;
    • corrigir condições inseguras no processo de produção;
    • remover resíduos do processo;
    • demonstrar fluência verbal;
    • demonstrar espírito de liderança;
    • manobrar equipamentos de transporte;
    • demonstrar autocontrole;
    • identificar produtos não conformes (com falhas, fora dos padrões);
    • emitir relatório de análise de falhas no processo produtivo;
    • inspecionar visualmente sistema de bica;
    • realizar ramonagem (limpeza utilizando vapor);
    • registrar leitura dos painéis de controles;
    • inspecionar condições de funcionamento dos equipamentos rotativos;
    • controlar tempo de funcionamento e campanha do equipamento;
    • acionar chave para energizar (ou desenergizar) equipamentos de baixa tensão após manutenção;
    • revezar equipamentos rotativos;
    • ler relatórios e informações operacionais;
    • selecionar etapas do processo;
    • conferir estoque de insumos e matérias-primas;
    • identificar pureza dos produtos analisados;
    • realizar procedimentos, instruções e padrões do sistema de qualidade;
    • instruir a interpretação do fluxograma do processo de produção;
    • tratar água para fins industriais e potável;
    • registrar incidentes e acidentes;
    • identificar o tipo de equipamento para execução das tarefas;
    • analisar relatório de não conformidades;
    • demonstrar criatividade;
    • sinalizar riscos e pontos críticos do ambiente;
    • monitorar combustão de fornos, caldeiras;
    • conferir o sistema de selagem e refrigeração;
    • separar produtos não conformes;
    • analisar a alcalinidade da água;
    • identificar condições inseguras no trabalho;
    • sinalizar áreas de risco;
    • demonstrar sociabilidade;
    • carregar insumos e matérias-primas;
    • operar equipamentos dentro dos padrões estabelecidos;
    • combater princípios de incêndio;
    • emitir relatório e informações de desempenho dos treinandos;
    • preencher boletins de análise do processo;
    • emitir solicitação de alterações nos procedimentos e instruções do processo produtivo;
    • programar instrumentos de medição (defratômetro, raio x);
    • carregar equipamentos com matérias-primas;
    • elaborar ordem de serviço para manutenção dos equipamentos;
    • separar bacias para o processo de lixiviação;
    • emitir permissão de trabalho (documento que orienta a execução dos serviços para evitar riscos inerentes ao trabalho).;
    • preencher gráfico de controle do processo;
    • orientar sobre o funcionamento dos equipamentos;
    • inspecionar nível de óleo dos equipamentos;
    • analisar em equipe a investigação de acidentes;
    • operar máquina de homogeneização (misturadores);
    • comunicar ocorrências do turno;
    • expedir resíduos conforme procedimento padrão;
    • registrar leitura de instrumentos de campo;
    • efetuar despressurização do sistema;
    • operar partida e parada de equipamentos;
    • retirar equipamentos de operação;
    • identificar pontos de super aquecimento nos equipamentos;
    • medir ph, densidade e condutividade do produto (conforme padrões);
    • ajustar variáveis do processo;
    • coletar amostras das etapas do processo de produção;
    • limpar tanques e vasos;
    • reutilizar produtos não conformes no processo produtivo;
    • relacionar-se com superiores e subordinados;

    Cargos e salários CBO 8112-15 - Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos

    Salário Operador de Tratamento Químico de Materiais Radioativos

    Operador de Tratamento Químico de Materiais Radioativos: Brasil

    • 23
    • Brasil
    • 2.091 - 3.999
    • 39h
    O profissional no cargo de Operador de Tratamento Químico de Materiais Radioativos CBO 8112-15 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.091 e 3.999 para uma jornada de trabalho média de 39h semanais de acordo com dados salariais de 23 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 8112-15.