CBO 6230-30 - Ferrador de animais - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos tratadores polivalentes de animais

O profissional no cargo de Ferrador de animais CBO 6230-30 executa procedimentos de ferrageamento, aplicando ferraduras - lâminas de ferro, alumínio, plástico ou borracha - presas por meio de cravos nos cascos de equinos, de asininos e de muares, para proteger, curar ou prevenir problemas nas suas patas, melhorando o desempenho e o bem-estar dos animais Faz casqueamento.

Forja as ferraduras Segue normas e procedimentos técnicos e normas regulamentadoras de biossegurança, de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

CBO 6230-30 é o Código Brasileiro da Ocupação de tratadores polivalentes de animais que pertence ao grupo dos trabalhadores na exploração agropecuária, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Ferrador de animais, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Tratadores polivalentes de animais CBO 6230-30 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 6230-30

  • Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca.
    • Tratadores polivalentes de animais.
      • Trabalhadores na exploração agropecuária.

O que faz um Ferrador de animais

O Ferrador de animais CBO 6230-30 prepara o trabalho, selecionando equipamentos, instrumentos e materiais, tais como forja a gás, bigorna, esmeril ou lixadeira, martelos, tenaz de bigornar, torquês de ferrador e rebitador Escolhe local coberto e com amplo espaço para trabalhar, para evitar possíveis acidentes com os animais ou com o pessoal envolvido.

Trabalha com auxiliar.

Levanta informações sobre o animal, verificando idade, raça e atividades exercidas Avalia o animal, fazendo diagnóstico de alinhamento e balanceamento.

Verifica se o animal tem desconforto podal pelo uso de ferraduras desgastadas Pode identificar doenças e ferimentos em patas e cascos – tais como inflamações, infecções e picadas de insetos e de animais peçonhentos -, recomendando o encaminhamento ao veterinário.

Pode indicar necessidade de consulta veterinária para prescrição de órteses e próteses ortopédicas.

a partir da constatação da necessidade do ferrageamento, faz a contenção do animal Desferra o animal, se for o caso.

Faz o casqueamento.

Tira as medidas das patas dianteiras e traseiras e verifica a altura e o peso do animal, para forjar as ferraduras Forja as ferraduras e faz o acabamento, utilizando instrumentos e equipamentos de forjaria Seleciona o método de ferrageamento - a quente ou a frio -, de acordo com o caso.

Faz fixação da ferradura nas paredes dos cascos com o uso de cravos (cravejamento), observando o alinhamento e o balanceamento do animal Faz o acabamento da fixação das ferraduras Pode aplicar ferraduras com fins terapêuticos - corrigindo os defeitos dos cascos e as irregularidades dos aprumos nos membros locomotores – ou a corretiva ou ortopédica, que corrige algumas irregularidades na marcha, evitando acidentes.

Pode auxiliar veterinário em procedimentos cirúrgicos e prestar-lhe assistência em exames laboratoriais, incluindo clínicos e radiológicos Verifica e indica, ao proprietário do animal, a frequência necessária de ferrageamento.

Orienta o proprietário do animal no sentido de evitar terrenos e ambientes que provoquem choques, traumas e ferimentos prejudicais aos cascos, patas e pernas dos animais, bem como locais com umidade excessiva ou condições de higiene inadequadas, que levem ao aparecimento de bactérias, fungos, parasitas e infestações diversas Recomenda, ainda, evitar atividades que provoquem estresse e esforço físico excessivo para o animal Promove e executa limpeza de instalações e higienização dos instrumentos próprios das atividades de casqueamento e ferrageamento.

Realiza os registros das medidas coletadas antes e depois do ferrageamento, no prontuário podológico do animal Zela pela segurança, prevenindo a ocorrência de acidentes e utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) - tais como luvas, botas e avental de couro -, para realizar o processo de ferrageamento dos equídeos.

Funções do cargo

O funcionário CBO 6230-30 deve manejar animais, higienizar animais e recintos, monitorar saúde e comportamento de animais, demonstrar competências pessoais, realizar atividades de apoio, tratar sanidade de animais, adestrar animais.

Condições de trabalho dessas profissões

Tratadores polivalentes de animais trabalham em pequenas e médias propriedades rurais, fundações, canis e haras, predominantemente do setor privado, como assalariado, com carteira assinada. Há, também, trabalhadores por conta própria, como os inseminadores, adestradores de animais,casqueadores de animais e ferradores de animais. Organizam-se individualmente ou em equipe, sob supervisão ocasional de trabalhadores mais experientes. Trabalham a céu aberto, durante o dia, alguns ficam sujeitos a posições desconfortáveis,bem como expostos a ruídos e ataques de animais.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 6230-30

Para o exercício dessas ocupações requer-se, no mínimo, quarta série do ensino fundamental, mais curso profissionalizante de duzentas horas-aula (adestradores, inseminadores de animais, casqueadores de animais e ferradores de animais) e cursos eventuais (para as demais ocupações), oferecidos pelas associações, cooperativas, órgãos governamentais de apoio à agropecuária e à extensão rural e instituições de formação profissional. O desempenho pleno das atividades requer de um a dois anos de experiência.

Atividades exercidas por um Ferrador de animais CBO 6230-30

Um Ferrador de animais (ou sinônimo) deve esterilizar materiais e equipamentos cirúrgicos, conferir estado físico de animais, cortar excessos de cascos, atentar-se para detalhes, trabalhar com segurança, realizar alinhamento e balanceamento dos cascos, detectar níveis de estresse em animais, anestesiar animais, amordaçar animais, assessorar em intervenções cirúrgicas, aplicar curativos, manifestar resistência física, higienizar materiais, instrumentos e equipamentos, selecionar animais a serem casqueados, relatar ocorrências, selecionar amimais a serem ferrados, monitorar tempo entre casqueamentos/ferrageamentos, planejar captura de animais, demonstrar sensibilidade táctil, ensinar comportamentos, confeccionar ferraduras corretivas ou ortopédicas, assessorar em exames clínicos e radiológicos, manifestar criatividade, colocar animais em regime de jejum, estabelecer contato com animais, conter animais para casqueamento e ferrageamento, assessorar em pesquisas, recomendar encaminhamento ao veterinário, se necessário, trabalhar em equipe, demonstrar capacidade de decisão, demonstrar capacidade de organização, mergulhar patas de aminais em solução preparada - pé de lúvio, realizar ferrageamento de animais, acondicionar medicamentos, equipamentos, instrumentos e acessórios, selecionar tipos de ferraduras e cravos, higienizar ferimentos em cascos, manifestar iniciativa, amarrar animais, demonstrar habilidade manual, manifestar paciência, examinar patas de animais - aprumos e angulações, retirar ferradura velha - desferrar, participar de atividades educativas e culturais, treinar colegas de trabalho, preencher formulários, orientar proprietários de animais, monitorar agressividade de animais, higienizar cascos de animais, recolher dejetos, lixo e restos de alimentos em recintos e adjacências, limpar cascos, detectar presença de ferimentos nas patas, demonstrar capacidade de observação, manifestar afinidade com animais.

Cargos e salários CBO 6230-30 - Tratadores polivalentes de animais

Salário Ferrador de Animais

Ferrador de Animais: Brasil

  • 11
  • Brasil
  • 1.661 - 2.622
  • 43h
O profissional no cargo de Ferrador de Animais CBO 6230-30 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.661 e 2.622 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 11 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 6230-30.
Salário Ferrador de Equinos

Ferrador de Equinos: Brasil

  • 11
  • Brasil
  • 1.661 - 2.622
  • 43h
O profissional no cargo de Ferrador de Equinos CBO 6230-30 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.661 e 2.622 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 11 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 6230-30.
Salário Ferrageador de Equinos

Ferrageador de Equinos: Brasil

  • 11
  • Brasil
  • 1.661 - 2.622
  • 43h
O profissional no cargo de Ferrageador de Equinos CBO 6230-30 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.661 e 2.622 para uma jornada de trabalho média de 43h semanais de acordo com dados salariais de 11 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 6230-30.