CBO 3222-50 - Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família - Descrição do cargo, funções, competências e atividades exercidas pelos técnicos e auxiliares de enfermagem

O profissional no cargo de Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família CBO 3222-50 auxilia na prestação de assistência básica a indivíduos e a grupos sociais, atuando na promoção, prevenção, manutenção, recuperação e reabilitação dos processos saúde-doença em todo o ciclo vital, sob orientação de profissional de nível superior da área de saúde Participa de equipe multidisciplinar da estratégia de saúde da família.

Segue protocolos e normas de biossegurança, normas de saúde e segurança no trabalho e de proteção ao meio ambiente

CBO 3222-50 é o Código Brasileiro da Ocupação de técnicos e auxiliares de enfermagem que pertence ao grupo dos técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde, segundo o Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Confira funções, descrição do cargo de Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família, atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário pago para os Técnicos e auxiliares de enfermagem CBO 3222-50 em todo Brasil.

Divisões de categorias profissionais do CBO 3222-50

  • Técnicos de nível médio.
    • Técnicos e auxiliares de enfermagem.
      • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde.

O que faz um Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família

O Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família CBO 3222-50 participa do processo de territorialização e mapeamento da área de atuação da sua equipe, auxiliando na identificação de grupos, famílias e indivíduos expostos a riscos, inclusive aqueles relativos ao trabalho Participa da atualização contínua dessas informações.

Participa das atividades de assistência básica em sua área de atuação, realizando procedimentos de auxiliar de enfermagem na unidade de saúde familiar e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários (escolas, associações, entre outros).

Auxilia na prestação de assistência ao paciente, providenciando sua higienização, mensurando seu peso e sua altura, trocando seus curativos, monitorando sua evolução, entre outros procedimentos Acolhe as pessoas da comunidade local, escutando suas queixas e as encaminhado para avaliação de enfermeiro ou para consulta médica.

Auxilia na instrução da família sobre cuidados maternos e infantis, sobre prevenção de doenças, sobre cuidado e reabilitação de paciente e sobre outros assuntos relacionados à saúde e ao bem-estar individual e comunitário Participa de campanhas de educação sanitária e de vacinação.

Auxilia na busca ativa e na notificação de doenças e agravos.

Auxilia na organização do ambiente de trabalho, providenciando material de consumo, controlando e fiscalizando validade de medicamentos.

Funções do cargo

O funcionário CBO 3222-50 deve demonstrar competências pessoais, trabalhar com biossegurança e segurança, efetuar procedimentos de admissão de paciente, prestar assistência ao paciente, organizar ambiente de trabalho, realizar visitas domiciliares e a instituições, promover a saúde da família, realizar instrumentação cirúrgica, comunicar-se, auxiliar equipe técnica em procedimentos específicos, administrar medicação prescrita.

Condições de trabalho dessas profissões

Técnicos e auxiliares de enfermagem trabalham em hospitais, clínicas, serviços sociais, ou ainda em domicílios. São assalariados, com carteira assinada, ou trabalham por conta própria, prestando serviços temporários em clínicas ou em residências. Organizam-se em equipe, atuando com supervisão permanente de enfermeiro ou outro membro de equipe de saúde, de nível superior. Trabalham em ambientes fechados e com revezamentos de turnos, ou confinados em embarcação, no caso do auxiliar de saúde (navegação marítima). Exceção feita aos profissionais que atuam na saúde da família, que de acordo com portaria específica, cumprem jornada de oito horas diárias. É comum trabalharem sob pressão, levando à situação de estresse. Em algumas atividades, podem ser expostos à contaminação biológica, material tóxico e à radiação.

Exigências do mercado de trabalho para o CBO 3222-50

O ingresso nas ocupações técnicas requer certificação de competências ou curso técnico em enfermagem (nível médio). Para os auxiliares de enfermagem requer-se ensino fundamental e cursos de qualificação profissional com o mínimo de quatrocentas horas-aula, podendo chegar a mil e quinhentas. A possibilidade de continuar a qualificação dependerá da conclusão do ensino médio. Atualmente, há cursos técnicos em enfermagem, organizados modularmente, com saídas intermediárias para qualificação de auxiliares de enfermagem. O requisito de entrada desses cursos é o ensino médio completo, tendo como filosofia a educação continuada, que possibilita ao auxiliar atingir o nível técnico, ao completar novos módulos de formação profissionalizante.

Atividades exercidas por um Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família CBO 3222-50

Um Auxiliar de enfermagem da estratégia de saúde da família (ou sinônimo) deve coordenar o cuidado dos usuários, participar das avaliações da equipe, usar equipamento de proteção individual - epi, trocar informações técnicas, participar em campanhas de saúde pública, demonstrar empatia, seguir protocolo em caso de contaminação ou acidente, verificar medicamentos recebidos, esterilizar instrumental, demonstrar capacidade de administrar confiltos, descartar material contaminado, realizar busca ativa de usuários em descontinuidade de tratamento, realizar ações de prevenção de agravos e curativas, identificar parceiros e recursos disponíveis na comunidade, monitorar evolução de paciente, fiscalizar validade de materiais e medicamentos, verificar peso corporal, altura e/ou circunferência abdominal de paciente, suprir demandas da equipe, comunicar ao médico efeitos adversos dos medicamentos, preparar paciente para medicação, executar antissepsia, participar das atividades de educação permanente, coletar material para exames, realizar busca ativa de focos de risco a saúde, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, demonstrar capacidade de persuasão, demonstrar compreensão, apresentar-se situando paciente no ambiente, ministrar palestras, trocar curativos, interpretar testes cutâneos, demonstrar paciência, demonstrar capacidade de efetuar atendimento humanizado, organizar grupos de promoção a saúde, participar das atividades de planejamento, incentivar a participação coletiva nos trabalhos sociais, participar da definição do território de atuação com a equipe, acompanhar paciente na ingestão de medicamento, demonstrar capacidade de atenção, auxiliar em reanimação de paciente, desinfectar aparelhos e materiais, precaver-se contra efeitos adversos dos produtos, participar do gerenciamento de insumos, controlar administração de vacinas, participar de discussão de casos, demonstrar capacidade de saber ouvir, acompanhar tempo de administração de soro e medicação, controlar sinais vitais, orientar familiares, paciente e comunidade, definir ações de acordo com prioridades locais, efetuar testes de glicemia, atualizar informações cadastrais, administrar em separado medicamentos incompatíveis, lavar mãos antes e após cada procedimento, calcular dosagem de medicamentos, identificar necessidades dos usuários, identificar grupos, famílias e indivíduos expostos a riscos, registrar dados nos sistemas de informação, providenciar limpeza concorrente e terminal, proceder a inaloterapia, preparar medicação prescrita, delimitar perímetro de atuação, demonstrar capacidade de observação, demonstrar coordenação motora fina, encaminhar material para exames, incentivar a participação da comunidade, acondicionar perfurocortante para descarte, vacinar-se, chamar médico nas intercorrências, comunicar doenças, agravos e situações de importância local, providenciar material de consumo, paramentar-se, higienizar paciente, verificar via de administração, cumprir diretrizes, princípios e estrutura organizacional do sistema único de saúde, puncionar acesso venoso, organizar medicamentos e materiais de uso de paciente e de posto de enfermagem, verificar resultado e validade da esterilização.

Cargos e salários CBO 3222-50 - Técnicos e auxiliares de enfermagem

Salário Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família

Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família: Brasil

  • 717
  • Brasil
  • 3.040 - 5.740
  • 39h
O profissional no cargo de Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família CBO 3222-50 trabalhando no Brasil, ganha entre 3.040 e 5.740 para uma jornada de trabalho média de 39h semanais de acordo com dados salariais de 717 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3222-50.
Salário Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família

Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família: São Paulo

  • 488
  • São Paulo
  • 3.670 - 5.305
  • 40h
O profissional no cargo de Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família CBO 3222-50 trabalhando em São Paulo, ganha entre 3.670 e 5.305 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 488 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3222-50.
Salário Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família São Paulo

Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família: São Paulo, SP

  • 381
  • São Paulo, SP
  • 4.158 - 5.305
  • 40h
O profissional no cargo de Auxiliar de Enfermagem da Estratégia de Saúde da Família CBO 3222-50 trabalhando em São Paulo - SP, ganha entre 4.158 e 5.305 para uma jornada de trabalho média de 40h semanais de acordo com dados salariais de 381 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3222-50.