Engenharia Elétrica: Saiba tudo sobre o curso, preço, mercado de trabalho

A faculdade de Engenharia Elétrica oferece ao profissional as habilidades necessárias para lidar com questões como geração, transmissão, distribuição e utilização de energia elétrica, capacitando-o a trabalhar em indústrias, concessionárias de energia, empresas de telecomunicações e várias outras.

Durante o curso, o aluno estuda disciplinas que o habilitam a realizar desde o planejamento até a instalação e manutenção de componentes, dispositivos e materiais para redes elétricas residenciais, comerciais e industriais, de acordo com as normas de segurança exigidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

No final do curso, além dessas habilidades básicas adquiridas, o engenheiro elétrico também domina ferramentas destinadas à projeção e implantação de sistemas elétricos que utilizam fontes de energia renováveis, como energia solar, eólica entre outras.

Continue lendo esse post e confira tudo sobre o curso de Engenharia Elétrica.

Curso de engenharia elétrica

Grade curricular do curso de Engenharia Elétrica

Durante a faculdade de Engenharia Elétrica, o aluno passa por disciplinas bem complexas, a maioria delas ligadas à área de exatas, como estatística, física, matemática, geometria, ciência da computação, entre outras.

Além destas, também fazem parte da grade curricular do curso que forma engenheiros elétricos ou engenheiros eletricistas, mecânica, gestão ambiental e desenvolvimento sustentável, química, português, circuitos e materiais elétricos, além de inglês técnico.

Como podemos observar, para cursar a faculdade de engenharia elétrica, é preciso ter bastante afinidade com números.

Veja também:

Duração do curso

O curso de Graduação em Engenharia Elétrica possui a duração de 5 (cinco anos).

Por ser um curso de grande complexidade, mais de um estágio supervisionado pode ser exigido do aluno para que ele possa conquistar o tão sonhado diploma universitário (exigência que pode variar para cada instituição de ensino).

Além do estágio obrigatório, o estudante também deve entregar o TCC (Trabalho de Conclusão de Concurso).

Preço médio das faculdades

Se você deseja se tornar um bom engenheiro elétrico através de instituições de ensino privadas, prepare o bolso, pois o curso de graduação em Engenharia Elétrica é um dos mais caros que existem, ficando atrás apenas dos cursos de medicina.

No geral, as mensalidades das faculdades de engenharia elétrica variam entre R$ 1.200,00 a R$ 5.000 (não, você não leu errado – cinco mil reais), dependendo da universidade escolhida pelo futuro aluno. Mas esses valores podem ficar mais em conta com os atuais programas de bolsas universitárias, como o Quero Bolsa e o Educa Mais Brasil.

Além dos programas particulares de bolsas educacionais, há também incentivos do governo para quem deseja cursar uma graduação, mas não tem condições financeiras de arcar com os altos custos da mensalidade, como o ProUni e o FIES.

Veja a seguir a média de valores cobrados por três instituições de ensino renomadas do país:

Modalidade Presencial

  • Anhanguera – a partir de R$ 1.064,00
  • Estácio de Sá (UNESA) – a partir de R$ 1.399,86
  • Universidade Veiga de Almeida (UVA) – a partir de R$ 1.483.24

Modalidade Semipresencial ou EAD (Ensino à Distância)

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) – Modalidade Semipresencial – a partir de R$ 849,00

  • Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) – Modalidade Semipresencial – a partir de R$ 1.132,99
  • Universidade Estácio de Sá (UNESA) – Modalidade Flex – a partir de R$ 599,00 dependendo do polo de ensino.

Áreas de atuação no mercado de trabalho

O mercado de trabalho para quem atua na área de Engenharia Elétrica é bem amplo. E quem seguir nessa carreira com certeza terá muitas oportunidades boas pela frente.

engenharia elétrica

O profissional de engenharia elétrica pode atuar em concessionárias de energias, indústrias, comércios, hospitais, empresas de TI e empresas de construção civil.

Além disso, o bacharel em engenharia elétrica também pode trabalhar em órgãos do governo, ou, exercer a profissão com autônomo.

Expectativa de carreira

O aumento do uso de smartphones, de TVS de última geração e de eletrodomésticos como geladeira, micro-ondas, ventiladores e ar condicionados tem feito com que a sociedade dia após dia se torne mais dependente da geração e do fornecimento de energia elétrica. Os dispositivos elétrico-eletrônicos – dos mais simples aos mais sofisticados – dependem da eletricidade para funcionar.

Além do mais, as questões de sustentabilidade e do uso energias oriundas de fontes renováveis têm sido cada vez mais discutidas no país, o que amplia as opções de atuação do engenheiro elétrico, que também poderá atuar na projeção de sistemas de energia que causem menos impactos negativos para o planeta.

Podemos concluir então, que o curso de graduação em engenharia elétrica é de extrema importância para a sociedade, pois, através da capacitação de novos profissionais, sistemas inovadores de geração de energia irão de surgir, o que contribui beneficamente para o desenvolvimento da população.

Mas não se esqueça de que exercer a profissão de engenheiro elétrico, além do diploma de nível superior, é necessário se registrar junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) do estado onde você reside.

Agora que você já sabe que a engenharia elétrica é a profissão do futuro, que tal efetuar a sua matrícula para o próximo semestre letivo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Please enter your name here