Quanto Ganha um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) no estado de SP - Salário 2024

R$ 3.021,13/mês

Atualizado em

Um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) trabalhando no estado de São Paulo ganha em média R$ 3.021,13 para uma jornada de trabalho de 42 horas semanais.

A faixa salarial do Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) fica entre R$ 2.400,00 salário mediana da pesquisa e o teto salarial de R$ 5.669,75, sendo que R$ 2.938,62 é a média do piso salarial 2024 de acordos coletivos levando em conta profissionais em regime CLT de todo o estado de SP.

As informações são de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais do Novo CAGED, que reúne dados do CAGED, eSocial e Empregador Web com um total de 348 salários de profissionais admitidos e desligados pelas empresas nos últimos 12 meses.

Tópicos dessa pesquisa salarial:

Perfil Profissional

O cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) CBO 8131-30 trabalhando no estado de São Paulo, tem um perfil profissional médio de um trabalhador com 37 anos, ensino médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h por semana em empresas do segmento de Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas.

A cidade com mais ocorrências de contratações no estado e por consequência com mais vagas de emprego para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) é São Paulo .

Metodologia

O levantamento leva em consideração somente o salário base de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) trabalhando no estado de São Paulo, não entram no cálculo nenhum adicional salarial como bônus, comissões, horas extras, adicional noturno, periculosidade, insalubridade nem nada do tipo. Somente o salário base registrado em carteira e no contrato de trabalho entram na amostragem.

Os dados salariais são atualizados mensalmente de acordo com divulgação dos dados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O que faz um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) CBO 8131-30

O Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) opera e controla processos de produção química em regimes contínuos, exercendo sua ação a partir de centrais de operação, que utilizam tecnologias de controle e automação de processos Monitora as variáveis de processo medidas por sistemas de controle.

Documenta as atividades, registrando dados operacionais Presta apoio às atividades da manutenção Segue normas e procedimentos técnicos, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

Algumas funções no exercício da profissão

  • transformar polímeros em produtos intermediários ou finais;
  • operar etapas do processo produtivo;
  • controlar parâmetros do processo produtivo;
  • realizar interfaces de turno de trabalho;
  • monitorar funcionamento de equipamentos e sistemas;
  • movimentar materiais e insumos;
  • trabalhar com segurança;
  • progrmar atividades de produção;
  • realizar serviços de manutenção de primeiro nível;
  • demonstrar competências pessoais;
  • segregar produtos não conformes;
  • monitorar os ajustes realizados;
  • pesar quantidade dos materiais e insumos;
  • tratar não-conformidades;
  • repor níveis de óleo;
  • interpretar normas e procedimentos de segurança, saúde e meio ambiente;
  • autocontrolar-se;
  • fixar tubulações;
  • emitir relatório de ocorrência de anomalia;
  • preparar equipamentos para manutenção;
  • ver mais...

Salário de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) - Série histórica no estado de São Paulo

O que faz um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

  1. segregar produtos não conformes;
  2. monitorar os ajustes realizados;
  3. pesar quantidade dos materiais e insumos;
  4. tratar não-conformidades;
  5. repor níveis de óleo;
  6. interpretar normas e procedimentos de segurança, saúde e meio ambiente;
  7. autocontrolar-se;
  8. fixar tubulações;
  9. emitir relatório de ocorrência de anomalia;
  10. preparar equipamentos para manutenção;
  11. avaliar amostras dos produtos;
  12. substituir equipamentos de proteção individual no seu prazo de validade;
  13. verificar disponibilidade de insumos e matérias-primas;
  14. preencher listas de verificações preestabelecidas dos equipamentos e sistemas - chek-list;
  15. emitir permissão de trabalho - documento que orienta a execução para evitar riscos no trabalho;
  16. solicitar execução de serviços complementares - pintura, limpeza, andaimes;
  17. registrar incidentes e acidentes;
  18. analisar condições ambientais no trabalho;
  19. selecionar meios para movimentação de materiais e insumos;
  20. apresentar sugestões de melhoria dos processos operacionais;
  21. inventariar materiais e insumos;
  22. ver mais...

Tabela salarial para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

Tabela salarial com piso salarial, média salarial, mediana, primeiro e terceiro quartil
Período Salário Mensal Salário Anual Salário Semanal Salário/Hora
Piso Salarial 2.939 35.263 735 13,86
Média Salarial 3.021 36.254 755 14,25
1º Quartil 2.029 24.352 507 9,57
Salário Mediana 2.400 28.800 600 11,32
3º Quartil 4.681 56.172 1.170 22,08
Teto Salarial 5.670 68.037 1.417 26,74
  • Piso Salarial: Média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) negociados por sindicatos e registrados no MTE;
  • Média Salarial: A soma de todos os salários dividido pelo total de salários de profissionais no cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;
  • 1° Quartil: Primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Salário Mediana: Mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. o cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;
  • 3º Quartil: Cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Teto Salarial: Corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

Demanda no mercado de trabalho para o cargo

Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) é um cargo que está com altíssima demanda no mercado de trabalho do estado de São Paulo nos últimos meses.

No comparativo entre os meses de Junho de 2023 e Maio de 2024, tivemos um aumento de 31.25% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Continue lendo e confira a mais completa pesquisa salarial gratuita para o cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) segundo levantamento do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web.

Quanto ganha um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) nas principais cidades de SP

Clique em uma cidade para ver a pesquisa salarial completa para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) na localidade
Cidade Jornada Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial Salário/Hora Total
41 2.962,04 3.045,21 4.602,01 14,69 147
44 2.115,98 2.175,39 3.287,52 9,89 50
42 2.518,04 2.588,74 3.912,18 12,20 36
44 1.855,94 1.908,05 2.883,51 8,67 21
44 4.110,43 4.225,85 6.386,23 19,34 13
40 8.085,51 8.312,53 12.562,14 41,45 9
42 2.356,22 2.422,38 3.660,77 11,50 8
44 2.033,57 2.090,67 3.159,48 9,50 8
42 2.300,73 2.365,33 3.574,56 11,17 6
44 3.385,21 3.480,26 5.259,48 15,82 5
Clique no link de uma cidade para ver a pesquisa salarial completa ou utilize a Busca Salarial. Veja o salário de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) em todo o Brasil.

Empresas que mais contratam Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) no estado de São Paulo

Salários por setores de empresas
CNAE Segmento da Empresa Piso Salarial Média Salarial Teto Salarial
8299-7/99 Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas 3.338,63 3.432,38 5.187,11
3314-7/10 Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para uso geral 2.115,98 2.175,39 3.287,52
7820-5/00 Locação de mão-de-obra temporária 2.404,90 2.472,43 3.736,40
4684-2/99 Comércio atacadista de outros produtos químicos e petroquímicos 2.526,23 2.597,16 3.924,90
2019-3/99 Fabricação de outros produtos químicos 3.174,55 3.263,69 4.932,18
4930-2/03 Transporte rodoviário de produtos perigosos 1.960,70 2.015,75 3.046,26
3822-0/00 Tratamento e disposição de resíduos perigosos 1.837,14 1.888,73 2.854,30
2320-6/00 Fabricação de cimento 2.332,44 2.397,93 3.623,82
2029-1/00 Fabricação de produtos químicos orgânicos 9.645,29 9.916,11 14.985,52
4663-0/00 Comércio atacadista de máquinas e equipamentos para uso industrial 6.331,86 6.509,65 9.837,58
CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Para ver a pesquisa salarial completa para o segmento, clique nas empresas da lista. Para ver outros segmentos e pesquisas em estados e cidades específicas, utilize a nossa Pesquisa Salarial e filtre a busca por CNAE.

Descrição da ocupação de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

Profissionais no cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) realizam interfaces de turnos de trabalho, programam atividades de produção e monitoram funcionamento de equipamentos e sistemas. Controlam parâmetros do processo produtivo, operam suas etapas e movimentam materiais e insumos. Transformam polímeros em produtos intermediários ou finais e realizam manutenção de primeiro nível. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Condições de trabalho

Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos atuam na fabricação de produtos químicos e de artigos de borracha e plástico como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão permanente de técnicos ou engenheiros e no sistema de rodízio de turnos. Podem trabalhar em ambientes fechados ou a céu aberto, em grandes alturas ou em locais confinados. Em algumas atividades permanecem expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, radiação e voltagem elevada.

Exigências do mercado de trabalho para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

Para o exercício dessas ocupações requer-se ensino médio concluído e curso de qualificação profissional com cerca de quatrocentas horas- aula oferecido em centros de treinamento das próprias empresas ou em instituições de formação profissional. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional.

Principais funções dos operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos

Trabalhadores no cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) devem transformar polímeros em produtos intermediários ou finais, operar etapas do processo produtivo, controlar parâmetros do processo produtivo, realizar interfaces de turno de trabalho, monitorar funcionamento de equipamentos e sistemas, movimentar materiais e insumos, trabalhar com segurança, progrmar atividades de produção, realizar serviços de manutenção de primeiro nível, demonstrar competências pessoais.

Quanto ganha um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) por jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário. Filtro de amostragem com 348 profissionais admitidos e desligados no estado de São Paulo. A relação abrange somente Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) em regime integral de trabalho. Ideal para sabermos exatamente o salário por hora do profissional.

Cálculo de acordo com a carga horária mensal e salário
Total Jornada Ref. Salário Mensal Salário Hora
222 44 220 2.611,85 11,87
97 40 200 3.349,73 16,75
16 36 180 4.501,11 25,01
5 42 210 2.710,60 12,91
4 43 215 12.495,50 58,12
2 35 175 2.763,00 15,79

No Brasil, todo trabalhador contratado com carteira assinada, ou seja, numa relação de emprego, tem a jornada de trabalho estipulada no contrato de trabalho. A lei exige que fique clara, por escrito, a duração do trabalho que esse profissional terá de cumprir diariamente.

Salários Nível I, Nível II e Nível III para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

Um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) Nível I ganha em média R$ 3.089,17, o Nível II recebe cerca de R$ 3.556,34, já o Nível III tem uma média salarial de R$ 5.338,89 mensais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto aos dados oficiais do CAGED de profissionais demitidos no mercado de trabalho.

Metodologia: Salários de 169 profissionais demitidos das empresas no estado de São Paulo.
Porte da Empresa Nível I Nível II Nível III
Micro 2.970,59 3.204,17 4.095,45
Pequenas 3.049,82 3.283,40 4.174,68
Médias 2.997,89 3.231,48 4.122,75
Grandes Empresas 3.117,15 3.350,74 4.242,01
  • *Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) Nível I: até 4 anos;
  • *Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) Nível II: de 4 a 6 anos;
  • *Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) Nível III: acima de 6 anos na empresa até sua demissão;

Piso Salarial 2024 - Acordo, convenção coletiva ou dissídio de São Paulo

O valor do piso salarial 2024 de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) no estado de São Paulo é de R$ 2.938,62 para uma jornada de trabalho de 42 horas por semana.

O valor do salário base, bem como o percentual de reajuste salarial 2024 é homologado por acordo, convenção coletiva ou dissídio dos Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos pelo sindicato no estado de São Paulo.

O valor do piso salarial mostrado aqui é a média ponderada do salário normativo retirada de acordos coletivos no estado de São Paulo que foram registradas no MTE, calculado em conjunto com o salário em locais próximos com maior número de contratações para chegar ao valor final.

Na grande maioria dos casos, esse cálculo se aproxima muito do salário base da categoria para o cargo CBO 8131-30.

Calculamos dessa forma para que os dados não sejam afetados por dados de contratações de Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos em locais que não hajam sindicatos regionais para negociações salariais com sindicatos patronais.

Evolução salarial do Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) ao longo do tempo

Salário de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) mês a mês no estado de São Paulo de acordo com a pesquisa salarial. Salários de admitidos e desligados pelas empresas. Confira o gráfico salarial do cargo no período da pesquisa:

Contratações e demissões do cargo pelo mercado de trabalho de São Paulo

Balanço de contratações e demissões de profissionais no cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) trabalhando no estado de São Paulo durante o período da pesquisa. Dado importante para conferir se está havendo mais admissões do que demissões do cargo no estado. Confira o gráfico:

Pesquisa de salários por gênero

Pesquisa salarial por gênero para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins). O gráfico mostra o total de homens e mulheres admitidos e demitidos do cargo no estado de São Paulo, o salário e a jornada de trabalho de cada gênero. Confira o gráfico por gênero e informações completas do mercado de trabalho:

Levantamento salarial por grau de instrução

Neste filtro com níveis de escolaridade, a pesquisa busca mostrar uma relação entre o grau de instrução do funcionário e o salário base de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) trabalhando no estado de São Paulo com filtro removendo aprendizes, trabalho parcial e intermitentes. Acesse o gráfico:

Pesquisa salarial por faixa etária

Neste levantamento mostramos a relação direta entre a idade e a remuneração mensal do colaborador no cargo de Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) trabalhando no estado de São Paulo com filtro removendo aprendizes, trabalho parcial e intermitentes. Confira o levantamento com gráfico ilustrativo:

Simulador de gastos da empresa com o salário mensal de um Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins)

  • Salário Base: R$ 3.021,13
  • Salário-educação (3%): R$ 90,63
  • Sistema S (2%): R$ 60,42
  • INSS Patronal (20%): R$ 604,23
  • RAT - Risco Ambiental do Trabalho (1%): R$ 30,21
  • FGTS (8%): R$ 241,69
  • Férias 1/12: R$ 251,76
  • Auxílio Transporte: R$ 220,00
  • Auxílio Alimentação: R$ 440,00
  • Adicional Noturno (20%): R$ 604,23
  • Periculosidade (30%): R$ 906,34
  • Insalubridade (20%): R$ 288,00
  • Plano de Saúde: R$ 300,00
  • 1/3 de Férias: R$ 83,92
  • 13º Salário: R$ 251,76
  • FGTS sobre Férias: R$ 20,14
  • FGTS sobre 1/3 de Férias: R$ 6,71
  • FGTS sobre 13º: R$ 20,14
  • Aviso Prévio: R$ 251,76
  • FGTS sobre Aviso Prévio: R$ 20,14
  • Multa Rescisória FGTS: R$ 251,76

Os valores referem-se somente a uma simulação de gastos mensais proporcionais e médios do mercado de trabalho. Alguns benefícios não são pagos ao mesmo tempo. Procure seu contador para maiores detalhes.

Fique por dentro dos seus direitos trabalhistas

Salário e mercado de trabalho para Técnico de Operação (Química Petroquímica e Afins) – Salário – SP

Toda essa pesquisa salarial pode ser utilizada para fins acadêmicos, empresariais estratégicos e matérias em portais, sites, blogs e redes sociais desde que seja citada a fonte com um link para o site Salario.com.br.

Ainda tem dúvidas sobre a origem dos dados salariais do Salario.com.br? Leia aqui e veja também onde os dados do Salario.com.br estão sendo utilizados.