Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) - Salário 2019 - São Paulo, SP

09/2019
atualização

Informações salariais oficiais do período de 02/2019 até 09/2019 segundo dados do CAGED/MTE.

360
salários

Salários de 360 profissionais no cargo e dados do mercado de trabalho para a profissão.

43h
carga horária

Jornada de trabalho de 43h. Carga horária semanal média de 360 profissionais.

R$ 2.042,96
média salarial

Salário médio bruto mensal calculado de acordo com informações salariais de admitidos e desligados.

Um Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) trabalhando na cidade de São Paulo-SP ganha entre R$ 1.513,23 (média do piso salarial 2019 de acordos, convenções coletivas e dissídios) e o teto salarial de R$ 3.087,38, sendo que a média salarial fica em R$ 2.042,96 para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais do CAGED no período de 02/2019 até 09/2019 com uma amostragem de 360 salários.

O cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) trabalhando em São Paulo, tem um perfil profissional médio de um trabalhador com 31 anos, Ensino Médio completo, do sexo masculino que trabalha 44h por semana em médias empresas que atuam no segmento de Fabricação de medicamentos alopáticos para uso humano.

Você pode ver a pesquisa salarial para Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) em todo o Brasil clicando aqui.

Continue lendo e confira todos os dados da pesquisa salarial como piso salarial, setores com os melhores salários, salários de acordo com o nível profissional, porte da empresa, escolaridade, faixa etária e muito mais pra você saber exatamente quanto ganha um Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) no mercado de trabalho segundo levantamento do Salario.com.br junto a dados salariais oficiais do CAGED.

O que faz um Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins)

Realizam interfaces de turnos de trabalho, programam atividades de produção e monitoram funcionamento de equipamentos e sistemas. Controlam parâmetros do processo produtivo, operam suas etapas e movimentam materiais e insumos. Transformam polímeros em produtos intermediários ou finais e realizam manutenção de primeiro nível. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Condições de trabalho

Atuam na fabricação de produtos químicos e de artigos de borracha e plástico como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão permanente de técnicos ou engenheiros e no sistema de rodízio de turnos. Podem trabalhar em ambientes fechados ou a céu aberto, em grandes alturas ou em locais confinados. Em algumas atividades permanecem expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, radiação e voltagem elevada.

Exigências do mercado de trabalho

Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) – Salário – São Paulo, SP

Para o exercício dessas ocupações requer-se ensino médio concluído e curso de qualificação profissional com cerca de quatrocentas horas- aula oferecido em centros de treinamento das próprias empresas ou em instituições de formação profissional. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos, nos termos do artigo 429 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT.

Principais funções dos operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos

Trabalhadores no cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) devem transformar polímeros em produtos intermediários ou finais, trabalhar com segurança, operar etapas do processo produtivo, movimentar materiais e insumos, realizar serviços de manutenção de primeiro nível, demonstrar competências pessoais, programar atividades de produção, monitorar funcionamento de equipamentos e sistemas, controlar parâmetros do processo produtivo, realizar interfaces de turno de trabalho.

Jornada de trabalho

Relação jornada de trabalho/salário com 360 profissionais admitidos e desligados no periodo de 02/2019 até 09/2019.

Somente profissionais admitidos
AdmitidosJornadaRef.Salário p/ mêsSalário p/ hora
11344220R$ 1.687,03R$ 7,67
6040200R$ 2.271,82R$ 11,36
233165R$ 2.434,50R$ 14,75
134170R$ 1.193,00R$ 7,02
130150R$ 1.393,00R$ 9,29
Somente profissionais desligados
DesligadosJornadaRef.Salário p/ mêsSalário p/ hora
13444220R$ 1.932,37R$ 8,78
4540200R$ 2.875,40R$ 14,38
233165R$ 4.384,50R$ 26,57
136180R$ 1.391,00R$ 7,73
142210R$ 2.578,00R$ 12,28

Salários por tipos de contratos de trabalho

Tipos de admissão e demissão - *O tempo de empresa é expresso em meses em casos de demissão
TotalRelaçãoSalárioTempo na empresa*
171Admissão por ReempregoR$ 1.905,270
136Demissão sem Justa CausaR$ 2.268,8276
30Pedido de DemissãoR$ 1.979,8333
7Demissão por Justa CausaR$ 2.043,4354
6Admissão ao Primeiro EmpregoR$ 1.432,830
4Desligamento por Acordo Empregado/EmpregadorR$ 2.224,75149
3Demissão por Término de ContratoR$ 1.350,333
2Término do Contrato de Trabalho de Prazo DeterminadoR$ 2.141,507
1Desligamento por MorteR$ 1.576,00164

Tabela salarial Júnior, Pleno e Sênior por porte da empresa

Um Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) Júnior trabalhando em São Paulo-SP ganha em média R$ 1.907,74, o nível pleno recebe cerca de R$ 2.283,15, já o Sênior tem uma média salarial de R$ 2.686,12 mensais de acordo com dados oficiais do CAGED de profissionais demitidos no mercado de trabalho.

Conheça as diferenças entre os níveis Júnior, Pleno e Sênior.

Metodologia: Salários de 183 profissionais demitidos das empresas de São Paulo-SP no período de 02/2019 até 09/2019.
Porte da EmpresaJúniorPlenoSênior
MEI e Micro empresa1.780,362.142,002.788,20
Pequena empresa1.806,592.565,502.338,50
Média empresa1.894,322.355,002.702,72
Grande empresa2.364,322.175,382.802,80

*Os salários de Júnior, Pleno e Sênior no cargo são referentes somente ao histórico do Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) naquela empresa até ser demitido. Esses dados não levam em consideração a vida profissional completa no cargo, por isso o salário de um pleno pode ser maior que um sênior por exemplo. Geralmente quando a amostragem de salários na pesquisa é maior isso tende a se estabilizar estatisticamente.

Piso salarial

O piso salarial de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) em São Paulo-SP é de *R$ 1.513,23 para uma jornada de trabalho de 43 horas por semana.

O valor do piso salarial, bem como o percentual de reajuste do salário é homologado pela convenção coletiva ou dissídio da categoria pelo sindicato dos Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos.

*O valor do piso salarial mostrado aqui é a média da base salarial retirada de convenções coletivas registradas no MTE (caso houver), calculada em conjunto com o salário em locais com maior número de contratações para chegar ao valor final.

Na grande maioria dos casos, esse cálculo se aproxima muito do piso salarial dos Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos.

Salário base para aprendiz

Não houveram contratações de aprendizes para esse cargo em São Paulo-SP no período da pesquisa de 02/2019 até 09/2019.

Confira uma tabela salarial completa com todos os cargos e salários de aprendizes contratados.

Salário para PNE no cargo

De acordo com a pesquisa, no período de 02/2019 até 09/2019 com 14 salários de profissionais no cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) portador de necessidades especiais, a média salarial em São Paulo-SP é de R$ 2.454,36 para uma jornada de trabalho de 41 horas semanais em média.

O salário médio aqui mostrado não difere o tipo de deficiência do trabalhador, podendo esta ser permanente, até mesmo um trabalhador readaptado que retorna de afastamento do trabalho pelo INSS.

Contratações e demissões pelo mercado de trabalho

Contratações e demissões de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) pelo mercado de trabalho em São Paulo-SP no período de 02/2019 até 09/2019.

No período de 02/2019 até 09/2019 houveram 177 contratações formais com carteira assinada e 183 demissões em São Paulo-SP, resultando num saldo negativo de -6 empregos formais gerados.

Setores que mais contratam

TotalSegmento da EmpresaSalário
83Fabricação de Medicamentos Alopáticos para Uso Humano2.585,36
34Fabricação de Produtos Derivados do Cacau e de Chocolates1.597,03
26Fabricação de Outros Produtos Químicos não Especificados Anteriormente1.752,04
26Fabricação de Artefatos de Material Plástico para Usos Industriais2.367,04

Segmentos de empresas com os melhores salários

TotalSegmento da EmpresaSalário
83Fabricação de Medicamentos Alopáticos para Uso Humano2.585,36
26Fabricação de Artefatos de Material Plástico para Usos Industriais2.367,04
26Fabricação de Outros Produtos Químicos não Especificados Anteriormente1.752,04
34Fabricação de Produtos Derivados do Cacau e de Chocolates1.597,03

Salário por gênero

Numa amostragem de 360 salários de profissionais admitidos ou desligados no cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) em São Paulo-SP, 84 são mulheres com salário médio de R$ 1.932,21 para uma jornada semanal de 42 horas.

Um total de 276 são homens com média salarial de R$ 2.076,67 e jornada de trabalho de 43h por semana.

As informações são do CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho) com recursos do FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador com cálculos estatísticos do Salario.com.br.

Salário por grau de instrução

Neste filtro com níveis de escolaridade, a pesquisa busca mostrar uma relação entre o grau de instrução do funcionário e o salário base de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) em São Paulo.

  • (2) Até 5ª ano incompleto: R$ 2.006,50.
  • (7) Até 5ª ano do fundamental: R$ 1.612,71.
  • (6) 6º ao 9º ano do fundamental: R$ 1.626,33.
  • (10) Ensino fundamental completo: R$ 1.767,20.
  • (14) Ensino médio incompleto: R$ 1.993,64.
  • (195) Ensino médio completo: R$ 1.977,81.
  • (19) Ensino superior incompleto: R$ 2.129,74.
  • (23) Ensino superior completo: R$ 3.320,83.

Obs: o gráfico não mostrará porcentagens muito pequenas.

Salário por faixa etária ou idade

Neste levantamento mostramos a relação direta entre a idade e a remuneração mensal do colaborador no cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) em São Paulo-SP com filtro removendo aprendizes, trabalho parcial e intermitente. O total de salários da amostragem aparece entre parênteses.

  • (12) Até 20 anos: R$ 1.501,25.
  • (131) Entre 21 e 30 anos: R$ 1.890,28.
  • (128) Entre 31 e 40 anos: R$ 2.055,45.
  • (60) Entre 41 e 50 anos: R$ 2.066,10.
  • (25) Entre 51 e 60 anos: R$ 2.935,32.
  • (4) Entre 61 e 70 anos: R$ 2.344,25.

Obs: o gráfico não mostrará dados muito pequenos.

Ainda tem dúvidas sobre a origem dos dados salariais do Salario.com.br? Leia aqui.

Se você tiver alguma dúvida sobre o salário de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) CBO 813125 ou qualquer outro aspecto do levantamento salarial aqui mostrado, por favor deixe um comentário logo abaixo ou entre em contato conosco.

Comente sobre Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) – Salário – São Paulo, SP

Regras para os comentários

  • Todos os comentários são moderados antes de publicados.
  • Possui dúvidas trabalhistas sobre o cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) – Salário – São Paulo, SP? Acesse o nosso conteúdo trabalhista.
  • Respondemos todas as dúvidas no prazo máximo de 2 dias úteis.
  • Se postou uma pergunta, volte a essa página para ver a resposta. Não enviamos respostas por email devido ao problema com SPAM.
  • Tem alguma dúvida sobre a origem e confiabilidade dos dados salariais do cargo de Operador de Produção (Química Petroquímica e Afins) – Salário – São Paulo, SP? Acesse este link.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Please enter your name here