CBO 7212-05 - Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 7212-05 é o Código Brasileiro da Ocupação de preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais que pertence ao grupo dos trabalhadores de usinagem de metais e de compósitos, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais CBO 7212-05 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 7212-05

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
    • Trabalhadores da transformação de metais e de compósitos.
      • Trabalhadores de usinagem de metais e de compósitos.
        • Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais.

Descrição dos cargos da categoria Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais

Os Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais CBO 7212-05 preparam, regulam e operam máquinas-ferramenta que usinam peças de metal e compósitos e controlam os parâmetros e a qualidade das peças usinadas, aplicando procedimentos de segurança às tarefas realizadas. Planejam seqüências de operações, executam cálculos técnicos, podem implementar ações de preservação do meio ambiente. Dependendo da divisão do trabalho na empresa, podem apenas preparar ou operar as máquinas-ferramenta.

Condições de trabalho

Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais trabalham em indústrias metalmecânicas, geralmente como assalariados, seu trabalho se desenvolve em rodízios de turnos, com supervisão ocasional. Em algumas atividades, podem ficar em posições desconfortáveis por longos períodos e estar expostos a ruído intenso.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício dessas ocupações requer-se o ensino fundamental e cursos de qualificação profissional de mais de quatrocentas horas- aula, no caso do preparador de máquinas-ferramenta e entre duzentas e quatrocentas horas para as demais ocupações. O exercício pleno das atividades requer entre um e dois anos de experiência, sendo que as maiores exigências recaem no profissional que atua com mandriladora.

Funções dos Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais CBO 7212-05

Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais devem:

  • executar cálculos técnicos;
  • planejar sequência de operações;
  • demonstrar competências pessoais;
  • controlar as peças usinadas;
  • implementar ações de preservação do meio ambiente;
  • operar máquinas-ferramenta;
  • manter a comunicação com a equipe;
  • aplicar procedimentos de segurança;
  • preparar máquinas;
  • Atividades dos cargos CBO 7212-05

    Entre as principais atribuições dos Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais CBO 7212-05 estão as de:

    • acompanhar desenvolvimento de novas ferramentas;
    • prestar informações claras e objetivas;
    • prestar primeiros socorros, conforme procedimentos;
    • interpretar desenho técnico;
    • agir com espírito de equipe;
    • identificar resíduos e produtos;
    • propor soluções para eliminar situações de risco ambiental;
    • selecionar material para usinagem;
    • regular máquina;
    • utilizar parâmetros do equipamento;
    • verificar a validade da calibração do instrumento;
    • tomar decisões;
    • operar equipamentos de içamento, conforme normas e procedimentos;
    • controlar qualidade do produto no processo (visual e dimensional);
    • registrar informações sobre alterações realizadas;
    • avaliar a qualidade dos equipamentos de proteção individual (epi) e de proteção coletiva (epc);
    • propor soluções para eliminar situações de risco de segurança;
    • verificar calibração do instrumento;
    • identificar necessidades de manutenção;
    • inspecionar condição de equipamentos e ferramentas;
    • realizar manutenção de primeiro nível;
    • zelar pelo patrimônio da empresa;
    • registrar o lote de peças;
    • comunicar-se com o setor de manutenção para providências;
    • manter atualizado o registro de produção;
    • monitorar ações de implementação da preservação do meio ambiente;
    • cumprir prazos;
    • selecionar resíduos industriais;
    • executar processo de usinagem;
    • consultar desenho do produto;
    • cumprir normas de segurança;
    • manter ordem e limpeza no local de trabalho;
    • controlar dimensionalmente as peças;
    • requisitar material de consumo;
    • consultar manual técnico, tabelas, dados específicos e normas;
    • acondicionar resíduos em locais estabelecidos;
    • trocar informações sobre o andamento do serviço;
    • utilizar equipamentos de proteção individual (epi) e de proteção coletiva (epc);
    • quantificar volume de resíduo para descarte;
    • interpretar plano de operações;
    • resolver problemas com agilidade;
    • maximizar o rendimento da máquina;
    • operar aplicativos de informática;
    • trabalhar com criatividade;
    • afiar ferramenta de corte;
    • registrar desvios do processo, no livro de ocorrências;
    • manter em condições adequadas os equipamentos de içamento;
    • comunicar-se com o setor responsável para transporte de resíduo;
    • demonstrar capacidade de comunicação;
    • controlar a qualidade da peça usinada, conforme padrão estabelecido;
    • prestar apoio técnico e profissional;
    • corrigir imperfeições da ferramenta (desgaste e quebra);
    • fixar ferramenta na máquina;
    • relacionar-se com profissionalismo;
    • aplicar dados do fabricante e da ferramenta;
    • utilizar o controle estatístico do processo (cep);
    • manusear produtos químicos, conforme normas do fabricante;

    Cargos e salários CBO 7212-05 - Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais

    Salário Operador de Máquina de Eletroerosao

    Operador de Máquina de Eletroerosao: Brasil

    • 1.515
    • Brasil
    • 2.185 - 4.679
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Máquina de Eletroerosao CBO 7212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.185 e 4.679 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.515 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.
    Salário Operador de Eletroerosão a Fio

    Operador de Eletroerosão a Fio: Brasil

    • 1.515
    • Brasil
    • 2.185 - 4.679
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Eletroerosão a Fio CBO 7212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.185 e 4.679 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.515 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.
    Salário Operador de Eletroerosão Por Penetração

    Operador de Eletroerosão Por Penetração: Brasil

    • 1.515
    • Brasil
    • 2.185 - 4.679
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Eletroerosão Por Penetração CBO 7212-05 trabalhando no Brasil, ganha entre 2.185 e 4.679 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 1.515 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.
    Salário Operador de Máquina de Eletroerosao Caxias do Sul

    Operador de Máquina de Eletroerosao: Caxias do Sul, RS

    • 180
    • Caxias do Sul, RS
    • 1.849 - 3.223
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Máquina de Eletroerosao CBO 7212-05 trabalhando em Caxias do Sul - RS, ganha entre 1.849 e 3.223 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 180 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.
    Salário Operador de Eletroerosão a Fio

    Operador de Eletroerosão a Fio: São Paulo

    • 755
    • São Paulo
    • 2.305 - 2.419
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Eletroerosão a Fio CBO 7212-05 trabalhando em São Paulo, ganha entre 2.305 e 2.419 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 755 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.
    Salário Operador de Eletroerosão Por Penetração

    Operador de Eletroerosão Por Penetração: São Paulo

    • 755
    • São Paulo
    • 2.305 - 2.419
    • 44h
    O profissional no cargo de Operador de Eletroerosão Por Penetração CBO 7212-05 trabalhando em São Paulo, ganha entre 2.305 e 2.419 para uma jornada de trabalho média de 44h semanais de acordo com dados salariais de 755 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 7212-05.