CBO 3281-10 - Técnicos em necropsia e taxidermistas - Salário, Piso Salarial, Descrição do Cargo

CBO 3281-10 é o Código Brasileiro da Ocupação de técnicos em necropsia e taxidermistas que pertence ao grupo dos técnicos em necrópsia e taxidermistas, segundo a tabela CBO divulgada pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (antigo MTE - Ministério do Trabalho).

Nesta página você pode ver as funções desempenhadas pelo cargo, descrição de atividades principais, atribuições, mercado de trabalho, piso salarial médio, jornada de trabalho, faixa salarial, dados salariais oficiais atualizados para a função, bem como o salário médio pago para os Técnicos em necropsia e taxidermistas CBO 3281-10 em todo Brasil ou categorizados por estados e cidades brasileiras.

Divisões de categorias profissionais do CBO 3281-10

  • Técnicos de nível médio.
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde.
      • Técnicos em necrópsia e taxidermistas.
        • Técnicos em necropsia e taxidermistas.

Descrição dos cargos da categoria Técnicos em necropsia e taxidermistas

Os Técnicos em necropsia e taxidermistas CBO 3281-10 reconstituem cadáveres humanos e de animais, formolizam cadáveres humanos e de animais, embalsamam cadáveres. Taxidermizam animais vertebrados, curtem peles, preparam esqueletos de animais, confeccionam dioramas, pesquisando característica dos animais e seu habitat. Orientam pessoas em aulas práticas e museus, gerenciam atividades comerciais e acervo científico. Trabalham conforme normas e procedimentos técnios, de segurança e higiene.

Condições de trabalho

Técnicos em necropsia e taxidermistas trabalham em órgãos de administração pública, universidade, museu, instituto médico-legal e serviço de verificação de óbitos. O taxidermista trabalha de forma individual, com autonomia, como assalariado ou por conta própria, durante o dia ou em horários irregulares, em ambiente fechado ou a céu aberto. O embalsamador geralmente é assalariado com carteira assinada, atua em dupla, em ambiente fechado, sob supervisão constante de médico patologista. Trabalha durante o dia ou em rodízio de turnos. Durante o trabalho, tanto o embalsamador como o taxidermista podem permanecer em posições desconfortáveis por longos períodos e estar sujeitos a baixas temperaturas, à exposição de materiais explosivos e a riscos de contaminação.

Exigências do mercado de trabalho

Para o exercício profissional de taxidermista requer-se curso técnico de nível médio em biologia e o domínio de técnicas específicas da área. Para os embalsamadores requer-se curso de nível médio completo e qualificação profissional superior a quatrocentas horas- aula, ministrada por médicos patologistas para formação de pessoal de apoio. O desempenho das atividades requer de um a dois anos de experiência, sob orientação de profissionais experimentados.

Funções dos Técnicos em necropsia e taxidermistas CBO 3281-10

Técnicos em necropsia e taxidermistas devem:

  • taxidermizar animais vertebrados;
  • curtir peles;
  • demonstrar competências pessoais;
  • formolizar cadáveres humanos e animais;
  • embalsamar cadáveres;
  • preparar esqueletos de animais;
  • trabalhar com segurança;
  • reconstituir cadáveres humanos e animais;
  • orientar pessoas;
  • gerenciar atividades comerciais e acervo científico;
  • confeccionar dioramas;
  • Atividades dos cargos CBO 3281-10

    Entre as principais atribuições dos Técnicos em necropsia e taxidermistas CBO 3281-10 estão as de:

    • dar aulas práticas;
    • promover a piquelagem da pele;
    • retirar pele do animal;
    • aplicar produto químico para o curtimento da pele;
    • medir o cadáver;
    • demonstrar equilíbrio emocional;
    • avaliar as condições do cadáver;
    • usar besouros (dermestídios) para limpeza de carcaças de animais;
    • desenvolver projetos específicos (museus);
    • controlar entrada de visitas no ambiente de trabalho;
    • tomar banho no término do expediente;
    • montar projeto de ambientação;
    • macerar animais;
    • esterilizar ferramentas;
    • coletar material para pesquisa;
    • atualizar-se em embalsamamento e taxidermia;
    • secar animal;
    • mostrar museu de animais taxidermizados a visitantes;
    • cozinhar carcaça de animais;
    • produzir réplicas;
    • desenvolver ferramentas e acessórios específicos;
    • demonstrar paciência;
    • demonstrar ética profissional;
    • demonstrar senso de observação;
    • demonstrar criatividade;
    • injetar soluções químicas nas regiões musculares, cavidades torácicas e cranianas;
    • orientar estagiários na área de taxidermia;
    • proceder tratamento químico de peles ou partes de animais;
    • administrar banco de dados com informação dos exemplares;
    • acompanhar pesquisadores em trabalho de campo;
    • gerenciar fluxo de caixa;
    • demonstrar habilidade manual;
    • destrinchar o animal;
    • desengordurar a pele;
    • salgar a pele;
    • introduzir cadáver em tanques com soluções químicas;
    • higienizar ambiente de trabalho;
    • divulgar o trabalho por meio de publicidade;
    • controlar descarte de material infectado;
    • retirar amostras de órgãos de cadáveres;
    • confeccionar moldes;
    • controlar descarte de resíduos químicos;
    • acondicionar animal para trabalho posterior;
    • retirar vísceras de cadáver necropsiado;
    • desenvolver taxidermia em série para acervo científico;
    • seguir orientação para utilização de soluções químicas;
    • neutralizar o produto do curtimento;
    • usar equipamentos de proteção individual;
    • buscar orientações em órgãos competentes;
    • clarear ossos;
    • restaurar cadáver desfigurado;
    • ministrar mini cursos;
    • ministrar palestras;
    • demonstrar responsabilidade;
    • amaciar a pele;
    • prestar informações à mídia sobre prática de taxidermia;
    • neutralizar a pele;
    • montar o esqueleto;
    • lavar as mãos após manuseio de material;
    • adquirir licenciamento em órgãos competentes;
    • secar o esqueleto;
    • pesquisar características do animal e de seu habitat;
    • suturar corpos necropsiados;
    • montar exemplar;
    • reproduzir habitat natural;
    • restaurar cadáver mutilado;
    • caracterizar comportamento das espécies;
    • tamponar orifícios do cadáver;
    • retirar excesso de carne dos ossos;
    • suportar odores;
    • etiquetar exemplares;
    • demonstrar versatilidade;
    • lavar cadáver;
    • engraxar a pele;
    • despachar animais taxidermizados para outros estados ou países;
    • criar ficha individual do espécime;
    • pesar o cadáver;
    • aplicar normas de procedimentos técnicos;
    • limpar a pele;
    • preparar material para inserção no diorama;
    • imergir pele em produto químico;
    • proceder acabamento final do exemplar;
    • preparar soluções químicas;
    • secar a pele;
    • demonstrar habilidade para lidar com a morte;
    • respeitar normas para utilização de soluções químicas;
    • demonstrar respeito com o cadáver;
    • acondicionar material;
    • conservar em via úmida, cadáveres humanos e animais;
    • comprar material específico da área;
    • realizar manutenção de acervo;
    • trocar informações técnicas;
    • reconstituir cadáver;
    • demonstrar empatia por animais;
    • tomar vacinas;

    Cargos e salários CBO 3281-10 - Técnicos em necropsia e taxidermistas

    Salário Taxidermista

    Taxidermista: Brasil

    • 34
    • Brasil
    • 1.56 - 3.287
    • 33h
    O profissional no cargo de Taxidermista CBO 3281-10 trabalhando no Brasil, ganha entre 1.56 e 3.287 para uma jornada de trabalho média de 33h semanais de acordo com dados salariais de 34 colaboradores registrados em regime CLT. Clique e confira a pesquisa salarial completa do cargo CBO 3281-10.