Reforma na CLT do Governo Temer não reduziu desemprego e ainda piorou a vida do trabalhador

A Reforma na CLT foi apresenta pelo Governo, ainda quando Temer estava no poder, como a única solução para diminuir o desemprego no Brasil. Contudo, mesmo depois de dois anos dela ter entrado em vigor, a situação não mudou.

Pelo contrário, o cenário teve uma piora considerável. Apesar do aumento entre os trabalhadores contratados em regime parcial e intermitente de trabalho, a taxa de desemprego ainda continua altíssima e os brasileiros que conseguem uma vaga, estão sujeitos a precarização. Ou seja, condições de trabalho piores do que dos anos anteriores, como salários inferiores, carga horária maior e menos benefícios.

Reforma na CLT

Situação do mercado de trabalho é alarmante

Dados recentes mostram como a Reforma na CLT não ajudou a melhorar nenhum aspecto do mercado de trabalho. De acordo com dados do IBGE, no segundo trimestre de 2019, a taxa de desemprego no Brasil chegou a 12,6 milhões de trabalhadores.

A proposta que teve início com Temer e que agora está sendo aprofundada pelo presidente Jair Bolsonaro tem surtido efeitos contrários. Especialistas apontam que proposta que o mercado se regularize sozinho, tendo mínima intervenção do Estado, tem beneficiado apenas os empregadores, deixando os trabalhadores desamparados.

Aumento do número de profissionais liberais

Segundo o IBGE a quantidade de profissionais liberais, ou seja, que trabalham por conta própria, chegou a 23,901 milhões. Em outras palavras, a reforma da CLT tem obrigado muitas pessoas a se tornarem autônomas, uma vez que as oportunidades com carteira registrada não aumentam.

Outra tendência que também tem crescido por conta das mudanças nas leis trabalhistas é a de terceirização, o que também motiva a precarização. Um dos setores mais afetados por conta dessa onda é o de limpeza e conservação.

Segundo Edson André dos Santos, diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços e Asseio, Conservação e Limpeza de São Paulo (Siemaco-SP), a grande maioria dos setores busca por essa terceirização.

Qual é a sua opinião sobre a Reforma na CLT? Deixe ela nos comentários.

Comente sobre Reforma na CLT do Governo Temer não reduziu desemprego e ainda piorou a vida do trabalhador

Regras para os comentários

  • Todos os comentários são moderados antes de publicados.
  • Comentário todo em letra maiúscula não será aprovado.
  • Respondemos todas as dúvidas no prazo máximo de 2 dias úteis.
  • Se postou uma pergunta, volte a essa página para ver a resposta. Não enviamos respostas por email devido ao problema com SPAM.

3 comentários em Reforma na CLT do Governo Temer não reduziu desemprego e ainda piorou a vida do trabalhador

  1. Eu me lembro que em 2017 quando Temer era presidente e ele propôs essa Inreforma Trabalhista um bando de “Inteligentes ” apoiaram eles dizendo que isso seria bom ,pois geraria mais empregos .E que o trabalhador poderia vir em casa almoçar por causa da flexibilidade de horario.E que você empregado poderia barganhar um alto salarial ,e benefícios diretamente com o seu patrão .Tentar barganhar com patrão por melhorias salariais e a mesma coisa que no assalto e vc pede ao ladrão que não lhe roube .Vc já sabe o que vai acontecer se vc abrir a boca nas duas situações né ?

  2. ” Essa Reforma Trabalhista, foi um golpe contra os direito dos trabalhadores, 2020 nada mudou, desemprego pior do que nunca,e nosso presidente fala que os trabalhadores tem muitas regalias…..

    • O desemprego só aumentou
      Onde trabalho passamos por cada humilhação
      Trabalho além da carga horária de 8 horas
      As vezes chegando a 12 a 14 horas de trabalho diário. Não e uma vez na semana não é todo dia.
      E temos que aguentar tudo isso calado para não ser mandado embora.
      Triste a realidade do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui